O primeiro negro de uma branquinha

Um conto erótico de Negroeamor
Categoria: Heterossexual
Data: 25/03/2020 16:03:18
Nota 8.00

O primeiro negro de uma branquinha

Como sabem escrevo pelo celular, então erros são comuns, assim como palavras erradas (fruto do corretor automático). Não me critique, faça as correções caso queira e bom conto.

Meus amigos me chamam de Gab, 40 anos, sou negro, magro, 1,78 de altura, cavanhaque e cabelos bem curtinhos. Não me acho bonito, mas sei chamar a atenção das mulheres.

Sou Executivo de vendas em uma empresa grande se São Paulo o que me propicia viagens todos os meses a vários estados, algo cansativo mas muito bom para alguém como eu. Eu havia acabado de sair de um casamento de 20 anos onde deixei uma filha, casa, carro e tudo para a ex, agora me restava refazer minha vida, as viagens me faziam bem agora que as coisas estavam diferentes.

Essa semana tive de atender um cliente no interior paulista, uma cidade pequena e um tanto afastada da capital. Era um local estranho, particularmente semelhante as cidades do sul onde a predominância da população é de pele branca. Um contraste e tanto ter um negro passando em frente a uma escola bem na hora da saída dos adolescentes do ensino médio. Dezenas de loiras e branquinhas na flor da idade passando por mim com aqueles corpos maravilhosos e hormônios a flor da pele.

Não tive como deixar de reparar em muitas delas, ainda mais na situação em que eu estava, um quase celibato, onde só pensava em sexo, vivia excitado e nunca praticava o ato. O engraçado foi ver a cara que uma mulher que coordenava a saída dos adolescentes fazia, ela tinha uma expressão sombria e ao mesmo tempo cara de chacota, me pergunto até hoje como fazer isso, mas acreditem, era exatamente essa a cara.

Ela se aproximou de mim de forma serena e sem desgrudar os olhos de mim um só segundo.

- Você não é daqui, não é mesmo?

- Não, estou aqui a trabalho. Linda cidade a propósito.

- Linda a cidade ou as adolescentes?

Fiquei sem graça e sem saber o que dizer. A verdade é que ao ver todas aquelas meninas eu fiquei pasmo e excitado a ponto de parar onde estava e ficar observando cada uma das que passava. O chato é que minha parada se deu de frente com a inspetora de alunos.

- Eu vi quando parou e ficou observando as meninas, fiquei em dúvida se ria de sua expressão ou chamava a polícia para um tarado. O que eu deveria ter feito?

- Com sinceridade deveria rir enquanto ligava - disse rindo da minha própria condição. Desculpe se fui um tanto quanto ousado, não estou acostumado a ver tantas mulheres brancas. De onde venho há mais... variedade, nada tão único.

- Por isso da admiração expressa em uma cara de babaca ao olhar as meninas - disse rindo. Mas e quanto a cara de tarado?

- Essa é um pouco mais complicada. Me separei a pouco, desde então tenho estado um tanto quanto... solitário, se é que pode se dizer isso.

- Entendo, só tome cuidado com a forma como se comporta por aqui. As pessoas na cidade tendem a ser um pouco preconceituosas com seu povo - disse e virou-se para ir embora.

Quando a vi de costas pude admirar aquela mulher, ela era baixinha, cerca de 1,50, cabelos castanhos claros, olhos esverdeados, cochas grossas e uma bunda bem da bonita. Ela me estigou mais que as menininhas da escola a ponto de me deixar de pau duro.

- Vejo que você não compartilha do preconceito local - disse antes que ela se afastasse.

- Não, costumo manter a mente aberta, e os olhos também - disse apontando para o volume em minha calça enquanto se virava sorrindo.

- Espere, qual seu nome?

- Mila. Me desculpe se não te dou atenção, mas o dever me chama.

- Prazer Mila, sou o Gab - disse apressadamente. Não conheço ninguém na cidade e terei de passar alguns dias aqui. Se incomodaria de me mostrar um pouco mais do local mais tarde?

Ela voltou sorrindo para mim com aqueles lindos lábios.

- Mas acabamos de nós ver, como posso saber o que gosta ou não ou o que devo ou não apresentar?

- Deixe que eu decido isso, apenas me mostre e eu digo se gosto ou não. Quem sabe depois não me mostra um bom restaurante para coermos algo.

- Hummm...não tenho nada para fazer, meus filhos estão com o pai também, o que me deixa livre.

- Então é um sim...- estendi meu cartão para ela e disse que passaria após as aulas para pega-la.

Ela aceitou o cartão e saiu sorrindo, mas agora dava uma leve rebolada com aquele monumento branco. Eu já imaginava que me daria muito bem aquela noite, então corri para meus afazeres afim de estar pronto no horário marcado. Fui ao hotel onde me hospedei, tomei um belo banho, passei um perfume importado e segui para aguarda-la na frente da escola.

Era difícil não ficar excitado vendo aquele tanto de meninas, algumas nem aparentavam a idade que tinham, eram muito gostosas. Aliando isso ao fato de que estava a mais de 20 dias sem gozar e isso deixa qualquer homem pirado de tesão.

Passados minutos meu telefone toca com Mila perguntando por mim, então saí do carro e a chamei para vir ao meu encontro. Ela estava aí da melhor do que antes, havia retirado o uniforme de funcionária e estava com uma calça jeans que valorizava suas curvas, uma rasteirinha nos pés e uma blusinha cor de rosa de alcinha.

- Uau, ainda mais bonita do que antes.

- Besteira, nem havia olhado para mim, apenas para essas pirralhas mal educadas.

- Verdade, olhei bastante para elas, mas depois de te ver não tive mais interesse em migalhas.

- Notei, quando via as meninas não ficava tão animado.

Meu pau estava bem apertado na calça, mas ainda assim era volumoso, marcava bem a calça o meu volume. Fiquei envergonhado com a situação, ainda bem que estava quase mole já, senão seria bem mais evidente.

- Aí você vê o poder que causa em mim, ao contrário delas.

Recebi um sorriso gostoso e então saímos na direção que me foi indicado. Passamos umas duas horas caminhando entre espaços turísticos, tirando fotos e eu aproveitei a cada momento possível para tirar uma casquinha dela, até a hora em que não deu mais para segurar. Segurei Mila pelo queixo e a trouxe para mim e a beijei com gosto, então seguimos para sua casa.

Chegando em sua casa fomos logo nos rasgando, tirei sua blusinha e aqueles peitos maravilhosos peitos saíram me cumprimentando. Não sou bobo nem nada os cumprimentei também com belos beijos e chupões enquanto dedava sua buceta que agora já não tinha mais nada para protegê-lo. Então puxei seus cabelos, que estavam presos em um rabo de cavalo e a joguei no sofá, onde passei minha barba por suas costas enquanto acariciava seus seios com gosto.

Desci até sua bunda e a mordi enquanto com a outra mão passava os dedos dentro de sua bucetinha. Quando desci a boca até seu cu me deparei com um cu rosinha, o mais rosado que já vi na minha vida, então caí de língua naquele cu e senti suas mãos grudarem em meu ombro e cravar as unhas em mim. Gemi de dor mas não recuei lambi com gosto e vontade até que ela ficou mole.

- Puta que o pariu, nunca ninguém havia metido a língua em mim.

- Calma meu amor, foi só no cu, imagina na buceta como será.

- Vou te confessar algo - disse ela se ajeitando no sofá - eu não tenho alguém a anos, desde que meu marido me deixou para ficar com a vagabunda da minha melhor amiga. Então tenha calma comigo.

- Não se preocupe, sou somente calma - então a joguei de barriga para cima no sofá e comecei a mamar seus seios enquanto com a mão passeava pelo seu corpo. Então fui descendo com a língua por sua barriga, umbigo, virilha...

- Se no cu você arrepiou, vejamos agora.

Cai de boca na buceta dela brincando muito com o grelo dela de todas as formas possíveis enquanto metia o dedo com gosto, primeiro um, depois mais um e por fim estava com quatro dentro dela. Impressionante como era apertada, ela quase guilhotina a meus dedos, mas quando vi que estava pronta eu botei um dedo no seu cu também e acelerei as chupadas e as dedadas até que fui presenteado com um grito de acordar a vizinhança e uma gozada que molhou minha cara toda, além da tremedeira que tomou conta dela.

- Que porra foi essa?

- O que foi? Apenas uma linguadinha leve, nada de mais.

- Você está louco? Nunca senti nada igual, gozei mais que em 15 anos de casamento.

- Calma linda, apenas começamos a brincadeira.

Ela pediu ajuda para se levantar já que estava mole por causa da gozada, então a ajudei a ir até o quarto onde se deitou esparramada e conseguiu tirar o resto da roupa que ainda vestia.

- Tem certeza que é desse mundo?

- Acho que sim, ou será que ET tem um pinto, ainda mais desses - abri as calças e deixei o pau mole aparecer para ela.

- Não, isso não é normal.

- Anormal é não gozar assim em 15 anos de casada. Venha aqui e faça essa boquinha deixar meu pau duro.

Ela se sentou e abocanhou meu pau inteiro, pelo menos enquanto estava mole, pois depois que começou a crescer ela se esforçou muito para colocar ao menos metade. Tenho um pau bem preto de 20X10, ela adorou a brincadeira de abocanhar o gigante, ria e fazia piada enquanto tentava por tudo. Eu ficava cada vez mais excitado ao ver o contraste de nossas peles.

- Nunca esteve com um negro, não é mesmo?

- Não, na verdade sempre quis. Ouvia muito sobre o tamanho e queria comprovar.

- Temos uma forma um pouco radical de sexo, está pronta?

- Sim...

Então puxei seu cabelo e dei um tapa em sua cara, então forcei que se deitasse na cama, Mila ficou um pouco assustada mas ao sentir minha língua em sua buceta o susto passou, ela gemia feito louca, então subi a boca pelo seu corpo até seus seios que suguei com força e gosto arrancando gemidos de dor e tesão. Quando ela estava entregue subi até sua boca.

- Já sentiu seu gosto?

- Nunca.

Então invadi sua boca com minha língua deixando que nossos gostos se misturassem, pouco depois a invadi com meu pau vagarosamente para se acostumar. Passados minutos eu já foda com força dentro dela fazendo com que ficasse maluca e deixasse a vizinhança toda ciente do que acontecia ali dentro. Em pouco tempo meu pau já estava sendo estrangulado pelos seus gozos.

Foram no mínimo 3 horas naquela felação, apenas o cu não consegui comer, ela não deixou de forma alguma. Outra coisa que não queria era que eu gozasse dentro, tinha medo de engravidar. Mas em determinado momento a coloquei na posição de frango assado e começou a foder com mais força ainda e para dar uma apimentada coloquei um dedo em seu cu.

Aquilo foi o suficiente para fazer com que ela tivesse o maior dos orgasmos que já teve e mastigasse meu pau com muita força, aí não deu para segurar, foram 20 dias de porra para dentro dela e não do, questão alguma de tirar, bem depois de ter terminado.

- Não falei para não gozar dentro?

- Ninguém mandou apertar meu pau enquanto metiamos.

- E agora?

- Agora é seguir o que o mestre Zeca Pagodinho manda, " deixa a vida me levar"...

Nem preciso dizer que passei todos os dias naquela casa, dispensei o hotel e virei um hóspede em sua casa. O triste foi quando seus filhos chegaram, sua filha era tão gostosa quanto ela e me deu uma puta moral. Mas isso é uma outra história que com tô depois.

Usem sempre camisinha...

[email protected]


Este conto recebeu 14 estrelas.
Incentive Negroeamor a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
26/03/2020 07:11:20
Genteeeeeee! Não pode desperdiçar o sêmen! Sêmen é a semente da vida!
25/03/2020 16:12:47
Cara o que é essa porra de 20x10, uma fatia de pizza? Exageros à parte...

Listas em que este conto está presente


Online porn video at mobile phone


vídeos de pornô pramin assinti agorarola de 19 centrimetros na priquita da mulher X videocadê aquelas gostosas de fio dental roxinho fica as pernas para cimacontos.fragas cheirando causinhacoroa faz minete numa cona esporradaDona de casa e o garoto pirocudo ,contosmulheres gostosa com binco no peito mulheres casadas fazendo sarrada dentro do ônibus estando acompanhada do maridonovinha com sabonete batendo uma no chuveiropra um homemchantagiei a vizinha novinha a mamar contosvideos arrancando a virgindade da novinha sem piedade que deu por dinheiromulher da buceta ruıvaela pegou u jenro dotado peladofinalmente achei o video da minha irma xvideossogra deu mochila a sogra e a buceta para o genrobensiçãoler contos eroticos menagevídeo caseiro com mamãezinha só de casa dela com os peitinho durowwwxxvideo novinha arebenta o namoradoxvideos mulher dormindo de shortinho com a barguia abertanetinha chupando a enorme rola do vovo que enche sua carinha angelical de porrabaixar video bicha fala ai bicha disgracadaminha tia viu meu pau eretoesposa abriu a bundinha para aquele homem barrigudo e pirocudo/relato eroticocontospornos rapidinhas com enteadas na sala xvideo comeu a obesa pra sartisgazer ele minha mulher tatuou a dama de espadas na bunda contos eroticoseu, minha namorada, minha namorada e meu tioWESLLEYWEST-CASA DOS CONTOS EROTICOSco.mo dar bastante praser na pungetaxvideos gay fui estuprado por que nao paguei as drogaslidabucetaconto erotico gay negao dominador gosta de viado obedienteXVídeos mulheres das colchão na toda gostosa charmosa mas funcionaquero ver mulher g****** gostoso monografia g****** gostoso XVídeosvirgem celada goza no dedo xvidiovideos porno a namorada trail ele e ele estrupou ela com forcaVamp19- Casa Dos ContosGoroto ele é virgem e pai agara o pau do garoto conto eroticoVidios porno mulher centa na agua friapediu colinho para dirigir levou rolahttp://googleweblight.com/i?u=http://zdorovsreda.ru/tema/incesto;%2520amor%2520verdadeiro;%2520fazenda;%2520irm%25C3%25A3zinha/melhores&grqid=CLHUAQww&s=1&hl=pt-BRo negrao enrabador ta taradamorena de 58kg dando a bucetaxvideoe gemendo efalando.tirando avijidade das novihhaxvideos.comi o'cuda maexvidio gainhapornodoido mulher sarra no pau dentro da cueca conto erotico chatagiada e obrigada a ser escravadesejo de matar no onibus encoxadorcontos eroticos com novinhas atiçadasO Riquinho e o Favelado conto gayConto crente siririqueirairmas jemeas lesbicas do rabao fode uma a outra sexo louco pornodoidopai picudo comendo filha em Belémmae fisurada pelo filho pornoContos picantes ainda virgem fui abusada por um entregador velhoconto de novinha tomando nas coxasnivinha com o pacote em chadinhoTravecos escura de picas cavalar estrupando violentamente o cabaço do gay virgem vıdeos de novınhas tendo bebetrissexual fazer muito gostoso transando em historinha de quadrinhosContos.minha.sobrinha.não.tem.cabelo.na.buceta.mas.ja.quer.fuder.contos eroticos meninas de vinte cinco anos transando com cachorro com calcinha preta com lacinhos vermelhoconto de estrupo bem excitante entre novinho da família chorando com a pica no ci apertadopca groca cabecuda gozando dentro video pornoManda se solta solta pum bolado na bunda dessa gostosacontos eróticos meninas de 25 anos transando cachorro Calcinha Preta com lacinho vermelhoxvideos meu tio dei ou manusearcontos eróticos freirasconto encoxada gostosa que leveiconto erotico gay com vizinho velho coroa grisalhobaixar xixi pornô caseiro marido vai trabalhar mulher chama mecânico arruma carrocontoseroticos-estuprada por 2 cachorros roludodisvirtuando a bucetaxvideo cm gostosa calca coladadândo morena cabelo lizoXVídeo irmã rodando irmão imobilizadocontos eroticos dei para um vizinho de iptingacontos eroticos peguei uma garotinha do interior pra criar e ensinei tudo sobre sexo pra elaporno mae sete o pau no abracoxxxvideos.com meninas dado .como cabacuCai debocanomeu buset setaoo garotinho do semáforo contos eróticos reaisprovoquei tanto meu motorista e fudecontos eróticos vi escondido minha mulher me traindo com dotados