Primeiro Emprego 3

Um conto erótico de Dan_emin
Categoria: Homossexual
Data: 20/05/2018 16:45:24
Última revisão: 20/05/2018 17:56:03
Nota 10.00
Assuntos: Putaria, Gay, Homossexual

Na semana seguinte, conforme eu esperava, as coisas foram bem diferentes. Eu mal vi o Benício. Ele não estava aparecendo nem pra tradicional fumada na porta do galpão na hora do almoço ou no fim do dia.

O Antônio também estava numa correria só com o fechamento do trimestre de forma que nem a mamada no vestiário rolou.

No sábado teríamos uma confraternização de fim de trimestre na casa do Antônio. Iria só o pessoal da nossa área mesmo com as respectivas famílias.

Sábado de manhã parti pra confraternização no meu carro. Achei de ser a maior bagunça, mas os caras com quem trabalhava nem pareciam eles mesmos ao lado da mulher e filhos.

Antônio me recebeu no portão de bermuda e camiseta e pareceu bem satisfeito de eu ter ido. Tinha dito a ele no dia anterior que talvez não iria, com medo de ficar meio deslocado já que todos os outros estariam com família.

Ele me apresentou a mulher e os dois filhos e conheci o resto da família do pessoal que já estava lá. Aliás, já estavam todos da área. Só não tinha visto o Benício.

O único que não estava com família além de mim era o Wender, que estava sentado numa mesa com o Anderson e a família dele. Sentei-me com eles, pois eram os dois mais chegados que eu tinha.

Acabei passando a festa conversando com o Wender. Lá por volta do meio dia, o Benício apareceu. Saudou todos de forma cordial, incluindo a mim e depois ficou conversando num canto com o Antônio apenas.

Quando deu 14 horas eu já estava doido pra ir embora, meio entediado e também um pouco desconfortável com o Benício no mesmo ambiente. Era estranho o tratamento formal dele, até meio me ignorando, principalmente depois de sumir a semana toda após nossa última foda.

Aproveitei um momento que Antônio se afastou do Benício ao entrar em sua casa e fui atrás dele para me despedir e sair à francesa.

Alcancei-o na cozinha pegando umas cervejas na geladeira.

- Antônio, já vou indo. Obrigado estava tudo muito bom – falei e ele se virou pra mim colocando as cervejas no balcão.

- Pô, já vai embora? Fica aí mais. Eu te levo depois – ele falou insistindo pra eu ficar.

- Eu tenho que ir mesmo.

- Então espera aí que eu te levo. Vou pegar minhas chaves.

- Não precisa, eu vim de carro.

- Ahh sério? – ele falou desapontado – estava contando com essa desculpa pra você me dar uma mamada na volta pra compensar a semana, tem leite da semana inteira aqui pra você – ele falou mais baixo apesar de só ter nós dois dentro de casa e deu uma pegada no pacote.

- Bem queria, mas fica pra durante a semana – falei rindo de volta e segurando a atração por ele.

Saí sem chamar atenção e quando estava na rua pra entrar no meu carro, Wender apareceu pedindo carona, pois também já estava de saída.

- Claro, entra aí é caminho mesmo.

Fomos conversando e eu falando que foi legal a confraternização. Rimos bastante comentando como os caras eram outras pessoas com a família do lado. Antes de deixá-lo, ele me fez o convite de novo de fazer alguma coisa na casa dele, ver um filme ou jogar vídeo game; mas eu disse que estava doido pra ir pra casa tomar um banho.

Percebi que ele ficou meio desapontado. Não que eu não estivesse com vontade, mas eu imaginava o que ele queria na casa dele e queria me preparar calmamente em casa primeiro.

- Mas se você animar esperar, eu tomo um banho e venho. Moro a uns cinco quarteirões pra frente – falei quando ele já estava levando a mão pra abrir a porta.

- Ótimo. Eu te espero aqui então – ele falou animado.

Fui pra casa sentindo excitado pela animação dele. Se aquele macho gostoso me quisesse é claro que eu não negaria. Estava no maior tesão a semana inteira sem fazer nada. Além disso, Wender era muito atraente. Ele fazia o estilo musculoso quase gordo. Todo grandão, os braços pareciam que iam explodir na manga curta da camisa do uniforme de manutenção que usava e, aparentemente e segundo informações do Antônio, era bem roludo.

Tomei banho dando atenção especial para o cuzinho, troquei de roupa e voltei pra casa dele caminhando. A cada passo, sentia o tesão crescendo dentro de mim.

Quando toquei campainha Wender apareceu usando apenas uma regata e um short muito curto desses de corrida. Se de uniforme ele já parecia gostoso, mostrando aqueles braços enormes na regata e as coxas grossas com aquele short curto eu tive que me controlar pra não ter uma ereção.

Ele me apresentou a casa e ofereceu se queria tomar alguma coisa. Então perguntou o que queria fazer. Se topava um filme ou jogar play mesmo.

- Vamos de play – falei me sentando no sofá e ele foi ligar enquanto eu aproveitava a visão dele agachado. Só conseguia pensar: que macho gostoso, por que demorei a dar essa brecha?

Jogamos um bocado e não consegui ganhar nenhuma dele.

- Cansei – falei rindo e pondo o controle de lado depois de perder mais uma. Wender estava sentado ao meu lado.

Escorei pra trás no sofá e ele também e ficamos conversando um pouco. De repente senti a perna dele roçando na minha. Não tirei a minha da posição e ele manteve.

Nos olhamos nos sondando uns segundos e quando dei por mim ele chegou o corpo mais próximo do meu e me puxou pra um beijo, enquanto seus braços me envolviam. Eu correspondi e matei minha vontade de passar a mão pela coxa grossa dele.

Wender me puxou pro seu colo sem desgrudar a boca da minha e ficamos nos esfregando até perdermos o ar. Afastei e puxei sua regata ajudando-o a tirar e tirei a minha. Sentia um volume considerável sob minha bunda e sorri pra ele dando uma forçada contra sua rola.

Abaixei lambendo seu peitoral e fui descendo do seu colo enquanto lambia a barriga. Parei no cós do short e fui pras pernas. Lambi e dei mordidinhas na panturrilha e fui subindo pela coxa até me deparar com seu short todo estufado.

Enfiei meu rosto entre suas pernas sentindo o cheiro, me inebriando enquanto Wender já respirava ofegante.

Curioso pra ver aquele volume todo que o short escondia, alcancei o cós e puxei o short junto com a cueca.

- Que isso, você é todo grande hein. O pau é proporcional ao resto do corpo – falei rindo – Acho que um pouco desproporcional na verdade – falei segurando a rola grossa. Admirando a cabeça grande semi-coberta pela pele.

- Curte grande assim? - Ele perguntou ansioso parecendo com medo de eu não encarar.

- Eu nunca vi grande assim, acho que não existe outro - falei rindo e comecei uma punheta admirando aquele caralho.

Levei a outra mão e fiquei pegando as bolas fartas, enchendo minha mão. Subi lambendo aquela rola gigante até a cabeça e enfiei na boca arrancando um gemido do Wender. Fui engolindo bem devagar saboreando a pica sem largar o saco e depois tirei de novo deixando só a cabeça dentro. Lambi a cabeça e engoli de novo e fiquei repetindo esse processo um bom tempo curtindo a pica.

O sabor daquela rola morena era delicioso e minha vontade era só mamar cada vez mais. Acelerei a mamada e me engasguei algumas vezes no pau tentando engolir tudo enquanto Wender só respirava ofegante me olhando.

- Que boca gostosa – ele falou vencido pelo tesão – mama safadinho, puta que pariu. Sabia que você era gostosinho.

- Demorei a perceber que você queria.

- Doido por você há muito tempo. Acha que agüenta no cuzinho?

- Quero tentar – falei esfregando a rola dele pelo meu rosto e enfiando em seguida na boca.

- Tesão, mama que logo vou te fuder gostoso então.

- Já socou muita punheta pensando nisso? – falei tirando a rola de novo da boca e voltando a mamar em seguida.

- Ahh – wender gemeu – muitas safado, já derramei muito leite pensando.

- Delícia. E como fantasiava me comendo? – falei batendo punheta pra ele.

- De todo jeito. Mas principalmente metendo nessa bunda branquinha de quatro pra mim. Alías já tá na hora de realizar essa fantasia – ele falou rindo.

Wender levantou e foi me puxando pela mão até o quarto. Demos mais um amasso e ele tirou minha bermuda e cueca.

Ele então me virou de costas e ficou apalpando minha bunda.

- Puta que pariu, é melhor do que pensava. Que rabo gostoso, lisinho – ele falou enchendo a mão na minha bunda – Vai dar pra mim, gostoso, vai? – ele falava no meu ouvido me sarrando por trás e eu delirando já com aquele macho grandão atrás de mim.

- Vou – respondi e com um esforço me afastei dele e fiquei de quatro na beira da cama – Assim que você queria?

- Porra, que rabo gostoso. – Wender falou batendo punheta com uma mão e enchendo a outra mão na minha bunda.

Ele, então, se aproximou e esfregou a cabeça melada bem no meu reguinho e ficou pressionando. A rola dele deslizou pra cima e ele sem perder tempo me segurou pela cintura e ficou fazendo movimentos devagar como se estivesse me comendo.

- aii gostoso – falei sentindo o corpo forte dele chocando com o meu.

Ele se afastou e abriu minha bunda com as duas mãos.

- Que cuzinho gostoso, rosadinho olha – ele falou passando o dedão pelo meu anel e então se abaixou e começou a me lamber.

Dei um gemido e Wender aproveitou meu tesão pra enfiar um dedo dentro de mim.

- Ahh que cu quentinho e macio – ele falou e retirou o dedo voltando a me linguar. Depois voltou a enfiar o dedo de novo e logo dois me alargando enquanto eu gemia baixinho.

- Gostoso ahhh – falei gemendo quando ele retirou os dois dedos e caiu de língua no meu cu de novo.

- Delícia. Quer esse cacete morenão? – ele falou batendo com aquela madeira pesada na minha bunda.

- Quero.

Wender foi até um armarinho e pegou camisinha e um gel. Espalhou gel no meu reguinho e enfiou o dedo espalhando gel por dentro. Em seguida colocou a camisinha e passou gel na rola.

- Prepara pra perder essas preguinhas.

- Vai devagar – falei um pouco assustado.

- Claro, relaxa – ele falou abrindo minha bunda e já apontando a rola na entrada.

Ele foi caçando posição com a pica até que senti encaixando e foi pressionando. Tentei relaxar, mas ainda assim senti me rasgando quando a cabeça entrou e pedi pra parar um pouco.

Wender passou mais gel no corpo do pau e voltou a pressionar. Sentia meu cu rasgando e respirava até com dificuldade.

Ele deu mais uma empurrada e gemi pedindo pra parar mais um pouco e passar mais gel. Levei a mão pra trás e constatei que ainda faltava metade da pica entrar.

- Mete – falei depois de um tempo acostumando e ele foi empurrando devagar e sem parar o resto da pica ate que senti sua barriga na minha bunda. Meu cu parecia que não cabia nem uma agulha mais, mas o gemido de tesão que ele deu ao sentir a rola toda dentro valeu todo esforço.

- Que delícia de cu, ahhhh – ele falou gemendo grosso e começou um vai e vém bem devagar.

Eu mal tinha força pra gemer, mas pouco a pouco fui acostumando com o caralho e um tesão enorme tomou conta. Quando ele metia até o talo parecia que o pau dele tocava em algo fundo dentro de mim que desencadeava um tesão incontrolável.

Virei pra trás vendo aquele moreno grandão grudado na minha cintura e fiquei mais louco ainda.

- Mete, soca vai, isso...ahh – falava descontrolado.

- Vou te arrombar todo – ele falou e socou com violência chocando as pernas grossas na minha bunda e ao mesmo tempo me segurando pela cintura na posição – arrebita essa bunda gostosa, vai. Assim arrebita pra levar pistolada ahhhh

Wender socava com tudo em mim e eu só queria sentir mais daquela rola, apesar de a cada bombada meu cu se rasgar mais.

Ele colocou um pé sobre a cama e nessa posição eu sentia a coxa grossa dele roçando minha bunda e a rola deslizando mais gostoso ainda.

- Delícia, monta em mim – falei virando pra trás.

Ele subiu com os dois pés na cama e começou a me socar de cima pra baixo. Ambos gemíamos e o som dos nossos corpos se chocando e da rola dele abrindo meu cu só deixava tudo mais gostoso.

Senti ele aumentando a força grudado a minha cintura. Parecia que queria me quebrar ao meio. Não agüentei a pressão e caí na cama.

Subi um pouco mais, arrastando na cama e logo senti o corpão dele pesando sobre mim me imobilizando.

- Quer mais pica não, meu branquinho rabudo? – ele falou lambendo minha orelha enquanto sua pica já deslizava pelo meu rego caçando meu cuzinho.

- Quero, gostoso

- Quer pica do seu cavalão, quer? – ele falou já apontando a cabeça da rola no meu anel.

- Quero cavalão, mete.

- Ahhh, me chama de cavalão chama

- Mete cavalão – falei e ele logo enfiou a rola toda até o talo me arrancando um gemido. Antes que eu me recuperasse ele voltou a bombar com força, o corpo pesado me imobilizando e me levando ao delírio.

Naquela posição eu estava totalmente a mercê dele, não conseguia me mover e nem queria.

Sentia a respiração ofegante dele no meu pescoço e o peito suado nas minhas costas enquanto sua rola me arrombava sem dó. Senti o gozo se aproximando e gemi muito sentindo meu pau pressionado contra a cama enquanto Wender me comia.

- Ahh delícia...gostoso...ahhh vou gozar... ahhhhhh

- ahhh tesão, goza tomando pistolada.

Wender bombou mais um pouco e depois tirou a rola devagar de dentro de mim. Parecia que meu cu estava todo aberto.

Virei de lado e vi aquele morenão de joelhos sobre a cama tirando a camisinha e batendo punheta freneticamente.

- Vem cá – chamei e ele que veio de joelhos até próximo do meu rosto.

Agarrei a rola dele com a mão e coloquei na boca mamando forte.

- Delícia, to quase gozando. Onde vocÊ quer?

- Aqui – falei tirando a rola e colocando a língua pra fora.

- Porra, safado. Vai tomar meu leite mesmo?. Delícia, assim você me mata. Prepara que vem muito. – ele falou pegando o pau e batendo punheta enquanto eu esperava de boca aberta – ahhh, vou gozar ahhhh – ele urrava de tesão e logo puxou minha cabeça pra engolir.

Senti dois jatos fortes na minha boca e no reflexo ao tirar pra fora senti mais três jatos fartos no meu rosto me lambuzando todo.

- Que porra gostosa, parece doce – falei segurando o cacete dele e voltando a mamar pra arrancar mais leite.

- Gostoso demais – ele falou respirando ofegante.

- Sujei sua cama

- Pode sujar quantas quiser assim – ele falou dando uma apertada na minha bunda.

Tomamos banho juntos e ficamos batendo papo mais um pouco. Antes de ir embora ele já estava querendo marcar de novo.

Quando fui pra alcançar a porta pra sair ele me puxou e foi empurrando contra a porta até me pressionar contra ela com seu corpo. Eu olhava pra cima vendo aquele machão moreno com os olhos brilhando de desejo e me sentia pequeno perto dele.

Ele, então, me beijou lascivo me alisando todo. Senti as mãos dele me pegando pelas coxas e suspendendo no ar pressionando minhas costas contra a porta.

- Olha como ela já te quer de novo – ele falou lambendo meu pescoço e forçando sua rola na minha bunda..

- Macho gostoso

- Quero ser seu macho. Vai dar pro seu cavalão de novo?

- Vou – falei já revirando os olhos enquanto ele sussurrava no meu ouvido.

Wender me pôs no chão e com custo me despedi dele sentindo a cada passo em direção a minha casa o quanto meu cuzinho estava alargado.


Este conto recebeu 3 estrelas.
Incentive Dan_emin a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
08/10/2018 09:20:15
Se sai bem hein!
01/06/2018 09:33:30
Narrativa precisa a tua. Gostoso ler uma história bem contada. Continue...
22/05/2018 02:36:48
Excelente.
20/05/2018 23:44:24
Uaaaaaau maravilhosooooooo!!!! Que deliciaaaaa
20/05/2018 21:14:29
Nossa! Excepcional! Muito bom de verdade, estou encantado com a leveza da sua escrita. Não demore a nos presentear com mais.
20/05/2018 18:32:11
MUITO BOM. MAS CUIDADO PRA NÃO SER MAIS UM NAS MÃOS OU NA CAMA DE WENDER. RSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
20/05/2018 17:40:34
Nossa! Excepcional! Muito bom de verdade, estou encantado com a leveza da sua escrita. Não demore a nos presentear com mais.

Online porn video at mobile phone


pornô de Salvador Fernanda raspando a b***** pela primeira vezminha namorada deu o cuzinho no jogo da verdade ou desafiocontos eróticos gay o tratador de cavalocintilografia de mulher pelada com os negão metendo e g****** em vídeomulher pelada revista da revisão mas bem bucetuda com quero ver a mãe bem peladona grandonacalça legui caladinha na casada xvideopornocaseirogosandodentrovideo de sex com pauzaoassistir agorabensiçãoxvideo gay menino batendo chutinho de cuecacomendo minha cunhada gostosa xvidios10sexo de encoxando na mae de vagarinhacaminhãozinho pelada transando com o meu Vivoa xaninha da verinhacontos contos eróticos de gay dando para o pastormulher do Espanto dopando a mais gostosamenina trirano cabaso do guri de 17leke pirocudo brasileiro fudeno amigo e falando palavraolouca por rola padrasto socorreconto erótico sem grana para pagar aluguelcontos eróticos minha esposa queria saber do apelido do meu amigo negaodois viadinhos e uma mulher contos eroticoswww xvidios gay avatajadodei para um pauzudo e quase morriconto mostrei a buceta pro genrocasei com um velho brocha mas levo machos pra casa contos eroticosporno casada adorando ao senti um estranho te alizando e esfre o pau nela no onibos na frente de seu maridocontoerotico eu namorada mae e tiogatinha. trepanfo. pau. 50. citimetruvídeos caseiro de mulheres safada matutar. xisvido filha bricano co paicontos eroticos meu enteado me comeuFilha dormindo debruço pai sobe encima come o cugozandu naboca da inimigaconto erotico funk peladaporque quando fico peto da minha amiga eu fico coms calsinha toda molhadinhaContos eróticos Trasei com amigas da minha namoradaporno brasil a emtiada amadrasta i o travestispastor roludo conto sexomeu padrasto me estrupo ranco meu cabaco eu gosteiTia de xana peluda e sobrinho metendo conto eroticoporno madastra fodendo enteados ninfetostarado convenceu so passar o pau no grelinho virgen da filhinha e enpurrou tudocontoseroticocasadasbonekinha do titiosexo mulheres 80klsesposa safada marido corno que gosta dwle ser voier e ser chingado xxxconto erotic incest depravad filhinhairma urologista contosxvidoe.cm baianas crentis traindo o maridocontos incestos mãe mais lidos 2017contos ninguem sabe sou amante de minha sogracantor erótico fui abusodo ate eu da gostosorabudas brasileiras pedio arego no cu pitudosnovinha com sabonete batendo uma no chuveiropra um homemtiozinho acariciando clitores de novihaDo caralho-basquete-contonovinho filho contoerotico cnnvideo porno de morena com blusa laranhadamulheresbucetudasdechortinhoporno cara punhtado nervosocontos eróticos sobre o primeiro boqueteeu quero assistirum filme pornografico lesbicas amor lesbico inesperado no pornodoidocontos incesto filho adora ver mae mijarsignifica sonhar que estou de sutiã e tanguinha dentro de casa e depois me sinto vergonhapapai e filhinha parte3ele a enrabala e ela a cagar.se pornoWESLLEYWEST-CASA DOS CONTOS EROTICOS |zdorovsreda.ruContos Eróticos SkatistaFilme potnou com muljetescontos de incestos minha mae e seus lindos pezinhosbrincando com a amiga acabei transando com elasexovideos pornô de incesto madrasta de fio dental no quartoquero ver video de mulhe casada de saia e o corno levanta a saia perto do marido e come elaxxxvideos mulher dorme homem pintudo metendo nela de conchinhao coroa nos comeu contoxvideosdificil pra vc lukaContos na pescaria com tios e amigos me fazen d bixinha delesquero baixar pornô novinha chamando o pai de mensagem massagemCONTOS SEXO NO COLO