Meu Macho II

Um conto erótico de AnjoSado
Categoria: Homossexual
Data: 06/03/2017 14:23:47
Nota 7.80
Assuntos: Gay, Homossexual

Obrigado a todos que comentaram o conto anterior, espero que gostem da continuação, tenho grandes planos para essa história. Abraços.

Rafael prepara o café da manhã mais feliz do que em qualquer outro dia, hoje Fernando viria para mais uma visita de agradecimento, o rapaz preparou sanduíches, suco, café e também foi bem cedo abastecer a geladeira de cerveja, a bebida que seu macho mais gosta. Ele usa um short de moletom fino e ostenta seu troco nu, a pele totalmente sem pelos e bronzeada de sol está bem cheirosa e macia graças aos hidratantes que sempre usa; por volta das 9h a campainha toca, ele limpa as mãos e corre para abrir a porta de madeira; Fernando veio da academia, usa um short preto com uma camisa regata branca, os braços grandes e inchados chamam atenção e a tira colo uma bolsa do exército, o homem entra beija o pescoço de Rafael e joga a bolsa no sofá da sala.

– Olha, minha puta preparou um café reforçado pra mim! – Ao perceber a mesa posta ele se prontifica em sentar-se. – Hoje eu estou com muito apetite.

– Só em comida ou talvez algo mais? – O rapaz serve café para Fernando.

– Em você também safada. – Enquanto passa geleia no pão ele olha para a bunda do jovem. – Vou te arrebentar todinho.

Rafael sorri feliz e senta de frente para o outro, enquanto comem os dois conversam de assuntos variados, principalmente sobre a vida do segurança; ele é separado a dois anos, sem filhos, trabalha na faculdade tem apenas meses, o homem mora bem perto do campus mas usa seu carro para se locomover para onde quiser, os dois combinaram uma saída para um motel desses de quinta categoria, é uma das poucas taras que o rapaz não havia feito. Depois de bem alimentados Rafael leva o homem para conhecer o ap, a sala em conjunto com a cozinha, separados apenas por um balcão de mármore, o banheiro, a lavandeira com uma máquina de lavar e um varal improvisado e por fim o quarto; Fernando se joga na cama de casal box já tirando os tênis com os pés, ele se espreguiça e coloca os dois braços atrás da cabeça, o rapaz o admira, as coxas ficam em evidência com o short preto curto, os mamilos quase furando a malha da camisa e a barba enfeitando todo aquele rosto másculo de homem dele.

– Então? – Fernando tira o outro de seus devaneios. – Não vai ficar do lado do teu homem? – Foi o necessário para que Rafael deite ao lado dele e acaricie sua barriga.

– Gostou do meu ap? – O rapaz aproveita para sentir o cheiro forte que exala da axila peluda do outro. O homem ri e se volta para o outro.

– É um bom abatedouro. – Rafael monta no colo do segurança e fixa o olhar nos olhos negros que o devoram, Fernando senta na cama e o puxa para um beijo, as línguas se encontram e entrelaçam, o rapaz sente a barba roçar na sua pele fina a deixando irritada e dolorida, enquanto isso as mãos grandes do outro apertam a bunda do estudante até chegar no seu anus. – Eita que teu cu tá piscando muito, isso tudo é felicidade em me ver?

– Ele tá assim desde ontem, quando tu me deixou na mão, por não me comer. – Rafael faz biquinho, como se estivesse triste.

– A minha putinha tem que entender que o macho dela trabalha, mas hoje eu vou me redimir. – Enquanto o rapaz sente o cheiro forte de suor no pescoço do outro ele retira a camisa de Fernando e o deita novamente, o estudante lambe os mamilos durinhos e vai descendo pela barriga até chegar no pau em meia bomba. – Tira o meu cacete e mama ele, do mesmo jeito que tu me mamou ontem.

Rafael tira os shorts com a cueca boxe do seu macho e começa a chupeta, ele aproveita o momento para limpar da cabeça até a base o suor que ficou da academia, enquanto isso Fernando geme de olhos fechados, o rapaz mama com vontade aquele pau que lateja sem parar, ele segue com a língua as veias que circundam todo o pênis do segurança, e quando chega no saco Rafael consegue colocar as duas bolas na boca, as babando enquanto masturba o pau melado. Fernando puxa o corpo do outro para perto dele, arranca o moletom e atocha dois dedos babados no anelzinho do estudante, o rapaz geme alto com as bolas na boca, para mostrar que gostou ele abre bem as pernas e rebola; o macho aproveita e coloca um terceiro dedo e morde a nádega do rapaz.

– Há caraleo, chupa meu pau vai. – Fernando puxa os cabelos do rapaz e atocha o seu pau na boca do outro. – Isso, assim, meleca ele todo que eu vou colocar sem pena nesse rabo.

O rapaz tenta ao máximo engolir aquele monstro delicioso, mas sua garganta fica irritada, Fernando possui uma jeba grande e grossa, a cabeça vermelha mal passa pela goela do outro, Rafael lacrimeja muito e por fim levanta a cabeça tossindo, sua baba desce até o seu pescoço; ele ganha um tapa na cara e depois um beijo forte e demorado; o segurança fica de pé na frente do outro que admira o corpo nu do seu homem, ele é todo proporcional, os ombros largos juntamento com o seu tronco grande, terminando nas pernas poderosas, ele realmente parecia um deus grego que exala testosterona, Rafael se via como um instrumento que aquele homem poderia usar quando e como quisesse.

– Agora fica de quatro pra mim, vou chupar teu cú. – O rapaz assim o faz, fica de quatro sob a cama e arrebita a bunda como uma cadela no cio.

– Vem, me prepara para receber teu pau gostoso. – Fernando bate nas nádegas com força arrancando gemidos da sua presa, então ele beija o anus como beija a boca de Rafael; com força, arranhando sua pele com a barba e enfiando a língua o mais fundo possível. O rapaz está no céu, de tanto tesão ele revira os olhos, os gemidos são entrecortados pois o seu corpo treme de prazer e tesão. – Não para, por favor!

– Olha isso, a tua rodela é bem rosadinha, assim que eu gosto uma vadia bem cuidada. – Fernando geme de prazer, enquanto chupa e cospe no cu do outro ele punheta o pau.

– Porra! A tua puta tem que ficar limpa para um macho do teu calibre. – Mais um tapa forte na bunda. – Fernando me come, enfia teu pau nesse cú que é teu, por favor.

– Tu vai querer mesmo esse pau? – O homem fica por cima de Rafael, a rola dura entre as nádegas do rapaz, ele sente toda a grossura ser esfregada no seu anel. – Me pede direito! – Fernando falou em sussurros no ouvido do outro.

– Por favor, eu te imploro, sacia a vontade de pau da tua vadia, me mostra o que é homem de verdade! – O segurança morde o pescoço do rapaz e em fim coloca a cabeça dentro do cú piscante do rapaz; Rafael geme de tesão, enquanto o outro coloca ele rebola devagar, o quadril do estudante se move para cima e para baixo.

– Isso vagabunda, abre esse cú pro teu macho. – Ele então soca com vontade, Rafael vê estrelas, ele sente cada veia grossa daquela rola, suas terminações nervosas chegam ao ápice do prazer.

– Me fode porra, mais forte. – Com o sinal verde do outro, Fernando puxa os cabelos dele para trás e soca com força, o saco dele batendo forte na bunda do rapaz era música para seus ouvidos. – Assim!

Fernando já havia comido muita gente, tanto homens quanto mulheres, mas nunca havia sentido tudo aquilo, o rapaz tinha um corpo delicado mas era forte o bastante para aguentar todo o seu apetite sexual, ele transa como um profissional, a bunda dura e arrebitada o deixava doido, o estudante aguenta toda a rola dele sem se fazer de rogado. Rafael o empurra para a cama e monta sobre o homem, um de frente para o outro, Fernando deitado e o rapaz sentado sobre ele com todo o pau atolado no cu, ele rebola sofregamente arrancando gemidos guturais do homem, que sente um prazer que nunca havia sentido antes, em todos os seus 39 anos. O segurança avança sobre o outro, ainda dentro dele os dois se beijam, agora com Rafael deitado com as pernas abertas sendo pressionadas pelo homem afim de abrir ainda mais; o estudante sente dor, mas o prazer é ainda maior, agora então que o segurança beija sua boca enquanto o barulho das carnes batendo ecoam pelo cômodo, só aumenta o tesão que eles sentem.

– Te prepara amorzinho que eu vou encher tua gargante de porra. – Fala o segurança mordendo a orelha de Rafael.

– Goza gostoso, quero leite do meu touro. – Fernando o pressiona pela última vez e retira o pênis do cú do estudante; imediatamente o rapaz sente a falta que o membro do outro provoca dentro dele, mas não há tempo para pensar, ele é puxado pelos cabelos até o pau do seu homem, o segurança bate com ele no rosto de Rafael.

– Olha como meu pau fica bem na tua cara. – Fernando fala esfregando a cabeça do outro em seu pênis. – Engole ele que eu vou gozar.

Prontamente Rafael engole o máximo que pode o pau do seu macho, o rapaz sente o cheiro maravilhoso dos pentelhos grossos de Fernando enquanto ele geme de tesão; até os gemidos do segurança são de uma forma máscula e grossa, digna de uma macho de verdade; a gala vem grossa e pastosa, os jatos são tão fortes que saem pela boca do estudante, que fica ofegante mas consegue engolir tudo; Rafael sorri satisfeito e recebe um beijo do outro, que se joga para trás deitando na cama, enquanto isso o rapaz limpa o pau terminando de engolir todo o esperma.

– Agora vai pegar meu celular e uma cerveja pra mim amorzinho. – Fernando coloca dois travesseiros atrás da cabeça e descansa. Rafael limpa o rosto na pia e trás as duas coisas, voltando a ficar ao lado do homem. – Muito bem. – Ele puxa o rapaz para si o fazendo deitar-se sobre o seu peito duro e musculoso.

– Hoje você vai entrar que horas no trabalho? – Rafael pergunta observando como o homem é gostoso, haviam pelos nascendo pelo tronco dele, o rapaz o acariciava lentamente.

– Só duas e meia, tu sabe fazer comida né? – Fernando nem olhou na cara do outro.

– Sei sim, é só me pedir que eu faço o que você quiser!

– Bom, coloca aqui teu numero. – Fernando entrega seu celular ao outro, que percebe não haver seu nome no contato mais sim "Puta 8".

– O que é puta 8? – Perguntou ele depois de entregar o celular com seu número.

– É que eu tenho mais oito pessoa que como por aí sabe. – Mais uma vez ele fica vidrado no celular; Rafael fica sentado na cama o observando.

– Hmm, então eu sou a oitava na tua escala? – Como ele tem coragem de falar de outras na minha frente? pensou Rafael.

– Que foi? – Fernando sorri sarcástico. – Tá com ciúmes?

– Nenhum pouco, é só que eu quero respeito, não me fale de outras no meu apartamento. – Repentinamente o segurança o puxa abraçando o corpo do outro.

– Eu tenho oito sim, mas eu tenho que falar, hoje foi a melhor transa da minha vida. – Rafael está sobre ele, ainda sente o pau poderoso do outro em repouso; como pode ser tão lindo e safado? ele se pergunta.

– Acho bom. – O rapaz se vira e vai até banheiro. – Vou banhar e depois faço o almoço.

O rapaz adentra seu box e liga o chuveiro, a água percorreu seu corpo enquanto ele se esfrega, estava perdendo o cheiro do homem que havia impregnado sua pele, o rosto ainda está vermelho da barba dele, agora ele queria se sentir sempre assim, parecia até mais bonito, ele passa o sabonete nas pernas quando um mão o acaricia no anus, Fernando estava ali pelado, sorrindo de forma safada para ele, sem falarem nada um para o outro os dois se beijam, Rafael passa seus braços sobre o pescoço do homem enquanto ele segura sua cintura o puxando para si, o contato dos corpos parece emanar uma onde de calor, mesmo sob a água, o pau de Fernando dá sinal de vida entre a pernas do rapaz que o acaricia bem devagar; o segurança o pressiona contra a parede, os dois braços apoiados nos azulejos em que Rafael está encostado, o rapaz se ajoelha e começa a lamber o pau, bem devagar, lambe a cabeça enquanto massageia o saco de Fernando, que balbucia coisas ininteligíveis, Rafael olha para cima e o vê de olhos fechados com tesão, ele continua o serviço até receber mais leite fresco e grosso na boca.

O resto do dia foi perfeito, Fernando no sofá assistindo televisão, o canal de esportes, e Rafael fez arroz, salada verde, carne assada e eles comeram assistindo a um jogo de futebol; o segurança tentava explicar como eram as regras, o estudante se fez de burro, já sabia da maioria delas, Caio já havia explicado anteriormente. Depois Fernando tomou outro banho enquanto Rafael lava as louças na pia, apenas de cueca e avental, o outro chega até a sala já fardado, encostado no balcão o rapaz o observa, a camisa branca com a logomarca da faculdade apertada exaltando seus músculos está para dentro da calça de tecido grosso preta e a arma no coldre; Fernando senta no sofá de perna aberta, ele sabe que isso atiça Rafael e o olha bem dentro dos olhos.

– Vai ficar só olhando ou vai calçar minhas botas? – O rapaz joga o pano de prato na mesa e coloca as meias e os coturnos, como prêmio ele ganha um selinho estalado. – Vai pra faculdade hoje?

– Vou, hoje tem aula normal. – Os dois vão até a porta. – Dorme aqui hoje?

– Vou pensar no teu caso. – Mais um beijo de língua enquanto ele coloca dois dedos dentro do cuzinho de Rafael, que geme de tesão. – Tu não geme assim pra mim, porque se não eu te jogo nesse sofá e te faço puta.

– É isso que eu quero. – Fernando cheira os dedos que enfiou no rapaz. – Adorei teu cheiro.

– Eu te adorei por inteiro. – O segurança sorri. – Dorme aqui hoje, por favor.

– Não posso, tenho que sair e resolver uns problemas na minha casa.

– Sei, ou vai atrás das outras vagabundas?

– Ei. – Fernando dá um tapinha de leve no rosto do outro. – Não quero puta minha com essas frescuras, eu posso comer quem eu quiser, entendeu?

– Tá certo! – Rafael abre a porta sério, Fernando o encara por alguns segundos e vai embora, o rapaz fecha a porta e vai até a sua cama, ele cheira os lençóis que ainda guarda aquele odor forte de macho, próximo da cama a bolsa que ele havia trago, as roupas que Fernando havia usado; o celular do rapaz vibra e nele uma mensagem do segurança.

Presta atenção, deixei minhas roupas na tua casa, lava a camisa e o short na mão, não quero saber de máquina, se não mancha, as meias também quero lavadas; agora a cueca fica cheirando ela pra lembrar de mim. Teu Macho.

CONTINUA...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
07/03/2017 01:20:59
NOSSA, QUE MANEIRA RIDÍCULA DE TRATAR O PARCEIRO: PUTINHA. LAMENTÁVEL. SÃO DOIS HOMENS CARAMBA. DETESTO ISSO.
06/03/2017 21:34:38
Perdi o interesse!
06/03/2017 20:36:46
eu não suportaria saber que meu macho tem outros , mas estou amando ler 😍💞
06/03/2017 20:34:45
Show cara...
06/03/2017 16:20:44
Show cara... Tesão de conto!

Online porn video at mobile phone


bucetinhas teste pra insistoporno foi tomar banho no garape e encontrou a prima e fode elacontos/Arrombada no matagal por negoesxnxvideo mulhe nao quedar ucu no pornoContos eroticos Gosto de pauzudo que mim esfole todavidio porno das dimenores fasendo sexo da buceta apertadinhaporbo doido escrava cega afoga na bundahomens passando o dedo na buceta das mulheres e elas alteradasbonitinha de 18anos quadril grande e largo bunda durinha comeu.xxxnovinhas com seios rachando de leite transandocasa de contos eroticos, cadela no ciohttp://zdorovsreda.ru/texto/200704573as novas novia cenus estrupada pediu virgindadecontos eroticos dp com meu motorista contoseroticos/comadre rabudafilme porno brasileiro pai mostra para filha seu pau monstro e ela se assustacasos amad chama irm pra bate ponheta e gosa favela cariocacontos cornos fio terra pintinhoprima sexo com primo potaria brasileiraxvideomulheres de chotinhos curtos de perna abertacontos eróticos de estrupo entrepadrinhos e afilhadaconto erotico pomba gira na esposaConto gay - "pede rola"descreva como se sente ao esfregaren seu clitoresbrotheragem capitulo 5contos eroticos "tinha um pau"contos eroticos "escrava" "trapos"conto erotico gay vovo deu leite pro netinhocomendo a coroa gostosa loira e barriguda e ela xingando palavrãobrechando a gostosaxvídeocache:SYwHO_7iEWYJ:zdorovsreda.ru/texto/201607485 XVídeo pornô irmão não dispensa a b******** da irmãfui arrombadoiniciando tonho conto de incesto eroticocontos eiroticos leilapornNei+sei+como+cabeu+aquele+pinto+na+mia+buceta+conto+eroticoporno gratis moça sendo agarrada apód sair do banhoponoxvideo pingelo mermelhosaiu sangue da buceta da minha namorada quando nos estavamos trazandofoto de muie com bucetas largasclitóris gigantes arrombando cu gigante rola brancamotorista madura gostosa de van escolar adora dar a buceta e o cuzinho para alunos contos eroticosx novinsa mulhares 2019conto gay meu genro e bichaconto etotico patroa e empregada bixesual e seu esposocontos eróticos salvando as aparênciastorao cabeçudo entrando xnntarado nuonibuporno sublinho sentadono nocolo da titiaņovinhas metendo com play boycornomansso sobmissasvideo minha geba arrombando o cu do padrecoMulhedoida.pra.goza.cpm.pau.nocucara enrabado pelo cachorrocontorcionista dilataçao anal pornocontoerotico eu namorada mae e tioContos.shortinho.curto.enlouquece.filhoponoxvideo pingelo mermelho.conto eroticos de perigosmulher dano cuzinho de fildental a toladocomto ertico minha buceta sujanegao dotado tirando sangue dem doo cu do amigo sebusetinha branquinha so cabesinha sarechporno na favela dos hortifrutiMoto táxi pega passageira gostosa de shortinho curtoduvida o cavalo tem que gosa bem no fundo da buceeta da egua pra enprenha elaxvideo cm gostosa calca coladadândo morena cabelo lizovįdeos porno com prętas atraves da paredezoofilia homem pocando cabaco da cadelinha novinhaContos me encheram de porra na frente do meu maridocontos eróticos gays cracudopitiu comendo o priquito da mulherCasa dos contos eroticos aula particularindiazinha fudendo com homem branco com dez anos contos eroticosContos eroticos curtos esperiencia , sexesul com cachorrovaga em Tambaba mulher chupando rolacontos eroticos foi dar o troco no maridao mas se deu mal grupalxvideo muher baridoesposa buceta escorrendo camisinha estoura cabine erotica corno narrapornografia.manzorraspassa manteiga no corpo e na busetaquero ver aqueliqui nuaComtoseroticos cegredocontos eroticos tive q mostrar meu rabao p bandidosconto erotico gay fui obrigado a virar travestiwww.contos de scat namorada chupando o pau de bosta dereto do cu.comAguentei a rola enorme do papai contos eróticosincesto filho comeu mae condo pai fico broxa contos eroticocontos heroticos amigos do meu marido estou um pouquinho acima do peso mais sou sexegostosas da vunda durinha esfregando na linguaMathz - CASA DOS CONTOS EROTICOS