Uma Família Amorosa - Capítulo VIII

Um conto erótico de Biel Negro
Categoria: Heterossexual
Data: 25/05/2015 12:18:44
Nota 10.00

Gabriel acordou no dia seguinte e Kelly não estava mais no quarto, ela já tinha descido, estava morta de remorsos, apesar de ter tido a melhor noite de sua vida, de ter adorado ter virado a puta do seu próprio filho, de ter se libertado como mulher, ela não se sentia bem sabendo que tinha pecado.

Gabriel depois de tomar banho desceu para a cozinha onde estava sua mãe, Kelly não sabia como lhe falar e por isso, antes mesmo de lhe dar bom dia despejou.

-Seu pai me ligou hoje de manhã, disse que mudou, que não vai mais me trair e vai voltar pra casa hoje.- O silêncio se instaurou ali - Acho melhor esquecermos o que aconteceu ontem a noite, somos somente mãe e filho. - Gabriel ainda estava mudo, atônito com aquilo. - Tudo bem pra você?

-Sim, claro, perfeito.

Gabriel apenas se virou e voltou para seu quarto, passou lá quase o dia inteiro, triste, tinha perdido mais um pessoa que amava. Os únicos momentos de Biel na sala tinham sido para dar oi ao seu pai, tentar parecer contente com a sua volta e depois para almoçar, nem pra jantar ele apareceu.

Kelly por sua vez estava esperançosa, tinha decidido, ia vestir uma lingerie bem sexy depois do banho e ser a puta que o filho tinha tornado-a, mas desta vez com o marido, ia lhe mostrar que não precisava ter amantes, ela iria lhe satisfazer. Até passou pela sua mente que ela poderia não se satisfazer, pois o filho era muito melhor de cama e mais atraente que o marido, mas decidiu que fecharia os olhos e imaginaria ter Gabriel entre suas pernas e não Vicente.

Chegou a noite, Jorge foi deitar enquanto Kelly tomava banho, vestiu um sutiã vermelho, transparente, uma calcinha fio dental com babados nas laterais, o fio de trás se perdia em sua enorme bunda negra, passou creme em seu corpo inteiro e saiu do banheiro. O marido assistia um programa esportivo na tv quando ela parou em frente a tela e a desligou.

-Que isso Kelly, eu to assistindo. - Reclamou Vicente.

-Agora a única coisa que tu vai assistir é a tua putinha engolindo toda a tua pica. - Ela falava tentando puxar vontade para ir deitar-se com aquele homem pelo qual a única coisa que ela sentia agora era nojo.

-Que isso mulher? Bebeu? Isso é jeito de uma mãe de família falar? Vem dormir de uma vez e liga a tv de novo, to morto de cansado.

Kelly murchou na mesma hora, se quer ligou a tv, deitou ao lado do marido e teve certeza de que tinha feito a maior burrada na sua vida naquela manhã, trazendo o marido de volta pra casa só pelo medo de se entregar de vez ao seu próprio filho.

Os dias se passaram e as coisas continuaram tristes para Gabriel, até que ele viu que não era o único que passava por maus momentos, Isabela estava sentada nas escadas do ginásio do colégio chorando, ele sentou-se ao lado dela, a abraçou sem dizer nada, ela deitou a cabeça em seu peito repousando sobre seu amado. Biel alisava seus cabelos e os dois tinham o coração acelerado.

-Quer me falar o que aconteceu? - Perguntou ele enquanto limpava as lágrimas que caiam do rosto dela.

-Não precisa se preocupar. - Disse Isabela querendo parecer forte.

-Fala vai, deixa eu te ajudar.

-Meus tios vão embora do país, vão morar 3 anos longe da gente, eles já moraram fora e foi uma fase difícil pra nós, agora com todo mundo crescido então... - Isa se referia aos tios mais próximos Antonio e Angela, irmãos de seu pai e sua mãe respectivamente.

-Vai sentir saudade de dar pro Anderson. - Gabriel tinha ficado com ciúmes e pra piorar tudo acabara de falar essa besteira.

-CALA A BOCA GAROTO ESCROTO, ACHA QUE EU,...

Gabriel interrompeu a briga com um beijo na boca da amada, pegou sua nuca com firmeza e a beijou com muito amor, Isa se entregou, mais do que querer a família toda unida, ela queria ter Gabriel de volta, o beijava apaixonada, sentiu seu corpo tremer e a sua bucetinha voltar a babar.

-Fica calma, eu vou ficar do teu lado, pra sempre, vamos vencer isso juntos.- Disse Biel sorrindo para a amada.

-E você o que tem? - Perguntou Isa, vendo que Gabriel não estava em seus melhores dias.

-Meu pai voltou pra casa...

-Isso não é bom?

-Não, porque ele vai magoar minha mãe de novo, vai deixar ela mal mais uma vez, já tenho notado ela mais cabisbaixa.

-Deixa eu te ajudar? - Isa acariciava o rosto do ex-namorado. - Volta pra mim? Me perdoa por aquele dia, me dá...

Gabriel mais uma vez interrompia ela com um beijo, mordia seu lábio e acariciava seu corpo, alisava-a inteira, Isa adorava, sentia seu corpo arrepiar e queria ir para o colo dele, mas se controlou.

-Que tal a gente ir lá pro banheiro dos fundos? To com saudade.- Sussurrou Gabriel no ouvido de Isa.

-Não! Hoje de tarde lá em casa, depois da aula.- Falou Isa pondo a mão na rola de Biel por cima da sua calça de moletom. - Nossa preto, ela continua enorme.

Isa olhava ele com cara de puta, sorria novamente, se levantou rebolando e foi para a sala de aula de mãos dadas, como namorados novamente.

Gabriel teve a idéia de levar Isabela para sua casa, queria mostrar a sua mãe que ele também tinha seguido sua vida, não imaginava que Kelly sofria por não ter mais os filhos em seus braços, queria fingir para sua mãe que aquela noite não tinha tido importância para ele do mesmo jeito que achava que não tinha tido importância para ela.

Os dois chegaram em casa e Kelly levou um susto, mal conseguiu disfarçar a sua decepção ao ver seu bebê com a filha da piranha, que colocava chifre nele, quase não tocou na comida, enquanto o casal devorava a lasanha que Kelly havia feito para tentar se reaproximar do filho.

Gabriel levou Isa para o quarto e os dois deitaram abraçados, ficaram conversando sobre o tempo separados, o que cada um tinha feito e quais eram as novidades.

-Você dormiu com alguém? - Perguntou Gabriel com medo da resposta que seria dada.

-Você sabe que sim né... - Disse Isa alisando o peito do namorado.

-Com quem?

-Meu pai, ele sabia que eu tava mal e deitava algumas noites comigo pra me consolar.

-E ele te comia direitinho? - Gabriel começava a ficar excitado, já tinha descido sua mão pra bunda da namorada.

-Ele é meu pai, sabe como meter na minha bucetinha. - Isa agora provocava ele, mordia seu queixo e arranhava seu peito nu.

-Foi só com ele? - Perguntou Gabriel apertando a bunda dela com força.

-Sim, não tava com muita vontade, fazia mais pra ver se esquecia você. E você, comeu quantas?

-Uma.

Isabela se afastou, levantou da cama e colocou sua sandália, ia embora.

-Eiiii para com isso. - Gabriel tentou segura-la pela cintura enquanto ela destrancava a porta.

-Olha eu não vou ficar pegando baba de outra entendeu? Não achei legal você ter tido outra, não sei se vou aguentar isso.

-Mas você também teve outro! - Gabriel tentava argumentar.

-Mas ele é meu pai, e você sabia de tudo!

-E ela é minha mãe! - Gabriel preferiu revelar tudo.

-ELA É QUEM? - Isabela não acreditou no que tinha ouvido.

-Comi minha mãe... Uma noite antes de ela voltar pro meu pai, ela odiou tanto nossa noite que preferiu voltar com ele.

-Então é por isso que você tá assim amor, foi trocado por aquele velho gordo. - Isa agora se compadecia, alisava o rosto do namorado e dava selinhos nele.

Biel contou tudo como aconteceu à Isa, desde o vídeo até a manhã seguinte à transa, quando soube que seu pai voltaria para casa. Isabela se encharcou inteira enquanto Gabriel lhe contava como tinha tratado a própria mãe, não se importou em saber que a sogra agora sabia do que acontecia em sua família.

-Meu pai sempre foi doido pra fuder a Dona Kelly sabia? - Isa ria enquanto alisava a pica de Biel por dentro da cueca.

-Só eu posso comer ela, ela não faria essas coisas, agora ela é do meu pai, infelizmente. - Gabriel parecia realmente triste.

-Se ela já sabe que eu sou putinha, filha da loira piranha, como ela mesmo falou, que tal a gente mostrar pra ela o que ela perdeu trocando o nego roludo pelo marido frouxo?

Isabela vestia uma saia bem curta, preta com bolinhas brancas pequenas e uma blusa regata, colada no corpo com um enorme decote, seus seios por não serem muito grandes não deixavam a roupa indecente, mas aquilo pirava Gabriel só de olha-la. Ela se ajoelhou sobre o namorado e com as duas mãos tirou a sua cueca, a rola imensa bateu em seu rosto, Isa a agarrou com força, queria matar a saudade de pegar naquele mastro.

-Meu deus que saudade. - Disse enquanto batia com a pica no próprio rosto antes de lambe-la da base até a cabeça.

Gabriel a pegou pelos cabelos e fez com que engolisse tudo que conseguia, Isabela, sentiu a pica invadir sua garganta e quase vomitou, mas conseguiu se controlar, ficou sugando a rola, fazia ânsia por a pica estar na sua goela e girava a língua pelo pau de Biel. Quando voltou a tona, tirando a pica inteira da boca, estava ofegante, ficou apenas batendo enquanto recuperava seu fôlego.

-Meu deus, tinha me esquecido de como é grande esse negócio. - Dizia sorrindo para ele.

-E eu tinha esquecido como teu boquete é gostoso.

-Tinha esquecido é? O da mamãe é melhor? A neguinha mama melhor que a loirinha putinha? - Isa falava e batia ainda mais rápido pra ele, apertava sua pica com força.

Colocou a boca e começou a sugar forte novamente, mamava rápido agora, sem engolir muito mas mamando com pressão e velocidade, queria tomar leite. Gabriel se contorcia de tanto tesão, puxava com força os cabelos da namorada para que ele mamasse ainda mais rápido. Isa tirou a boca do pau do namorado e voltou a bater com o mesmo em seu rosto.

-A mamãe apanhou de rola preta assim? - Com a língua pra fora a loirinha se auto flagelava com a pica do amado.

-Apanhou, não tive pena dela, até tapa na cara ela tomou por ter babado.

-Aaaaaiiiiii, e ela não gostou do tapa? - Isa falava gemendo enquanto lambia as bolas de Gabriel - Eu to morrendo de saudade de apanhar, sabia?! To louquinha pra babar. Será que eu babo ou engulo tudo pra matar saudade do meu leitinho e ficar bem alimentada?

Isabela começou a sugar forte a pica de Gabriel, sentiu a rola pulsar em sua garganta, ela pressentia o goso, forçou ainda mais a rola do namorado em sua boca e com a cabeça invadindo sua garganta começou a receber os primeiros jatos. Engoliu tudo, sentiu a porra vasta e quente passar pela sua garganta, tirando em seguida o pau da boca para recuperar seu fôlego. Gabriel sorria, via sua amada com saliva escorrendo pelos lábios e completamente descabelada. Isabela, sem olhar para ele, sugou a cabeça do seu pau engolindo as últimas gotas que saiam dele.

-Viu, aprendi a beber tudinho, nem preciso apanhar. - Falou olhando nos olhos de Gabriel.

Biel a puxou pela cintura beijando sua boca com todo o tesão do mundo, os lábios se encontravam enquanto as línguas se entrelaçavam freneticamente.

-Tah com gosto de porra na boca, putinha. - Falou Biel enquanto mordia o pescoço de Isa.

-E tá gostosa? - Isa roçava na pica dele, somente com a calcinha impedindo-a de engolir todo o mostro.

-Muito gostosa... - Gabriel a alisava, erguia a saia e apertava com força sua bunda.

-Imagina você me beijar depois de eu ter engolido porra de outro... - Falou sussurrando no ouvido do namorado e roçando ainda mais forte a buceta no seu pau.

-Não vou beijar você com a boca cheia de porra de outro! - Respondeu brabo.

-Cheia não, mas com o gostinho impregnado nos meus lábios depois de eu ter mamado bem gostoso em outra rola. Ou vai deixar que outro sinta meu gosto? Imagina amor, eu dou pro papai, ai depois vou no quarto do tio Antonio lá na fazenda e dou pra ele também, beijando ele bem gostoso, fazendo ele sentir o gosto da porra do papai na minha boca. - Isabela sussurrava, gemia, miava, no ouvido dele enquanto roçava forte sobre sua pica, quase rasgando sua calcinha.

Gabriel estava em ecstase, tinha se arrepiado inteiro, deu um tapa forte na bunda da loirinha, fazendo sua pele ficar toda marcada.

-Ahhh o corninho fica brabinho quando a lorinha diz que vai dar pra outro é? - Isa mordia o queixo do amado enquanto gabriel tentava arrebentar sua calcinha.

Isabela usava uma calcinha normal, branca de algodão, quando foi para o colégio não imaginava que voltaria com o namorado, não tinha se preparado. Gabriel não conseguiu rasgar sua lingerie, então ela levantou e tirou a calcinha na sua frente, sem tirar a saia. Sorria para ele com cara de puta, subiu sobre sua cintura e sem precisar colocar a mão engoliu o caralho do namorado com a bucetinha.

-AAAAAAAAAHHHHHHHHHHH QUE SAUDADE DESSA ROLA GIGANTE.... - Berrou enquanto agasalhava o pau.

-Então mata a saudade vai cadelinha.

Gabriel a pegou pela cintura e começou a socar sua pica dentro dela, Isabela começou a quicar, a cada estocada que recebia dava um pulo no colo dele, rebolava com vontade, fazia a buceta girar na rola de Biel que por sua vez socava ainda mais forte, sentiu seu pau tocar o útero de Isa novamente.

-Tua mãe aguentou a pica inteira na xoxota sabia? Ela conseguiu sentar em toda a rola. - Gabriel provocava.

-Sentou é? Mas a xoxota dela não é apertadinha como a minha, a minha só arregaça quando dou pra você. - Respondeu Isa, de olhos fechados, sentando forte nele.

Gabriel apertava os seios da namorada por cima da sua blusa, até que ela tirou um deles pelo decote mostrando o bico rosado e a pele branquinha pela falta de sol. Gabriel pôs a boca e começou a mamar nela, passando a língua em volta da auréola de seu seio, ela sentia a boca dele esquentar ainda mais seu biquinho já durinho, arranhava sua careca com as unhas forçando seu rosto ainda mais contra seu corpo.

-ISSO BIEL, MAMA NA MAMÃE MAMA, MAMA NA LOIRINHA, AHHHHH QUE PRETO GOSTOSO, FODE MAIS AMOR, SOCA MAIS, MATA A SAUDADE DA LOIRINHA. A LOIRINHA TAVA LOUCA PRA TOMAR A PICA PRETA. AAAAAAHHHHH MEU DEUS, FILHO DA PUTA, TÁ ME ABRINDO TODINHA, AHHHHHHHH FODE A MAMÃE BIEL, FODE.

Isa queria provocar, berrava alto querendo que a sogra escutasse, querendo fazer Biel lembrar da noite maravilhosa com a própria mãe, e ela conseguiu. Kelly passava pelo corredor do segundo andar a caminho do seu quarto quando ouviu os primeiros gemidos da nora, parou ao lado da porta para ouvir se era realmente aquilo que ela imaginara e ouvir a nora vagabunda se passando por mãe de Gabriel a deixou furiosa, queria invadir o quarto e mostrar que ela era a mãe, que era nela que Gabriel tinha que mamar, chegou a por a mão na maçaneta, mas desistiu, tentou ir para o seu quarto mas suas pernas estavam bambas.

Kelly vestia uma blusa roxa, de seda, que ia até suas coxas, presa por um cinto com a fivela dourada, estava de short jeans claro e calçava um chinelo havaíanas, escorada na parede externa do quarto do filho, tirou o cinto que prendia a blusa ao seu corpo. ergueu a parte da frente dela até a altura do seu umbigo e abriu seu short, colocou a mão dentro da calcinha e viu que estava completamente encharcada, sua buceta babava, quando sentiu seus dedos indicador e médio entrarem na sua vagina quase desmaiou, Isabela gritava mais dentro do quarto.

-AI NEGÃO, FODE RÁPIDO ISSO, METE NEGÃO GOSTOSO. AAAAAAHHHHHH QUE CARALHO ENORME AHHHHHHHHHHH ME RASGA VAI, ANDA NEGÃO, ME FODE FORTE, ISSO, AHHHHHHH NEGÃO EU VOU GOSAR, AIIIIIIIIIIIIII ISSSSSSSSSSSSSOOOOOOOOOOO EEEENNNNNFFFFIIIIAAAAAA AAHHHHHH EU TO GOSANDO NEGÃO AIIII, AIII, AIIII, AIIIII.

Gabriel a pegava com firmeza pela cintura, metia com força, enterrava a rola inteira na namorada, sentia seu pau ser engolido pela bucetinha apertada dela. Isabela já estava sem a blusa e o lib que protegia seus seios, a única peça de roupa que sobrara era sua saia, que tapava a visão de Gabriel da sua xoxotinha.

Kelly tremia os dedos dentro de si, imaginando ser ela dando para o filho, ficou pensando se ela estaria apanhando, se o filho estaria comendo seu cuzinho nessa hora, sentiu seu ânus piscar, ela queria dar o cu, queria que o seu rabo sangrasse novamente no pau do filho, que ele a fizesse lamber aquela tora depois de fude-la, queria apanhar de novo, queria ser sua puta. Kelly teve que por a outra mão em sua boca para conter o grito que dava enquanto gosava em seus dedos, até sem toca-la o filho a fazia gosar, coisa que o marido se recusava a tentar. Naquele momento ela decidiu que seria do seu filho novamente, que o amor que tinha por ele merecia continuar, ela não podia se prender, pelo seu próprio bem, ela precisava ter o seu filho pra si.

No quarto, Isabela acabará de gosar também, sentia sua buceta melar o pau de Gabriel e se fechar ainda mais em seguida, Biel continuava metendo, tinha esquecido da mãe enquanto fazia sexo com o amor da sua vida. Ver a loirinha quase nua, somente com a saia tapando seus sexos, o deixava maravilhado. Isa sorria pra ele, fechava os olhos e abria a boca a cada socada mais forte que recebia.

-Será que a mamãe tá ouvindo a loirinha ninfeta gritando aqui? - Isa mordia o lábio inferior e pulava cada vez mais forte.

-Acho que você precisa gritar mais alto. - Gabriel começou a meter com toda a velocidade que conseguia.

-ISSSSO NEGÃO FOOOOOOOOOOOOODEEEEEEEEEE,- A voz de Isa tremia pela quantidade de socadas que levava - ARREGAÇA NEGÃO, MEEEEEEE FOOOOOOODEEEEEEE TOOOOOODAAAAAAAA.

-Isso lorinha, grita bem alto, grita pra minha mãe vir aqui dar pra mim junto contigo, grita. - Ele pedia enquanto se controlava para não gosar.

-Ah é isso que o negão quer é? Não se contenta só com a loirinha? Precisa da mamãe pra gosar?

Agora Isa deitara sobre ele, Gabriel a abraçou e sentia seu corpo suado deslisar sobre o seu. Os cabelos de Isa estavam completamente molhados, e Gabriel os puxava enquanto fodia ainda mais sua bucetinha.

-GOSA PRA MIM NEGÃO, GOSA NA BUCETINHA DA SUA NINFETA, GOSA PRA SUA PUTINHA GOSA, ME ENCHE DE PORRA QUENTINHA AMOR, ME DÁ TODO LEITINHO. EU ENGOLI TUDINHO AGORA A POUCO, MEREÇO MAIS PORRA.

-VOCÊ QUER MAIS PORRA É LOIRINHA? A PUTINHA QUE FICAR COM A BUCETINHA CHEIA DE PORRA? - Gabriel estava quase gosando.

-NÃO. - Bradou Isa saindo do colo dele e se virando de costas. - EU QUERO PORRA NO CUZINHO! - Isa agora falava como um bebê, miando, como criança, quase falando errado. - COME MEU CUZINHO!

Isabela pincelou o pau do namorado na sua buceta repetidas vezes em seguida o posicionou na entrada do seu cuzinho e sentou de uma só vez. Ele não estava muito seco, o mel da sua buceta e seu goso tinham escorrido lubrificando-o um pouco, mas mesmo assim a dor foi descomunal, era o que ela queria, queria que doesse para que berrasse com toda sua força e a sogra preconceituosa e puta enrustida ouvisse o que o filho amado fazia com ela nesse exato momento.

-AAAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIII, TÁ RASGANDO MEU CUUUUUUUUUUUUUUU, SEU FILHO DA PUTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Gabriel estava ainda mais pirado, o cu apertado da namorada parecia estar mais fechado ainda do que da última vez, sentiu ele sangrar no seu pau enquanto o esganava, sabia que Isabela estava chorando então não se moveu.

-ANDA ME FODE, METE FORTE, METE ESSA ROLA INTEIRINHA! - Ela pedia enquanto chorava.

Gabriel obedeceu, a segurou pela cintura e começou a socar, enterrava a rola no cu fechado de Isa, sentiu a pica inteira entrar no seu cuzinho. Isa quase desmaiava, a dor era insuportável, mas seu tesão em provocar a sogra misturado com a saudade que sentia de tomar aquela pica gigantesca no seu rabo faziam seu corpo aguentar, transformando tudo aquilo em prazer, isa precisou rebolar apenas uma vez para sentir o goso quente do namorado dentro do seu cuzinho, foi a vez de Gabriel berrar.

-AAAAAAAAHHHHHHH CARALHO QUE CU GOSTOSO.

Isabela saiu rapidamente do colo dele, caiu ao seu lado na cama e com a mão na bunda chorava de dor. Sentia a porra escorrer entres seus glúteos, atingindo seus dedos. Biel olhou para sua pica e viu muito sangue, tinha arregaçado o cu da loirinha.

Os dois ficaram abraçados até a dor diminuir. Isa levantou para pegar a calcinha mas Biel não deixou.

-Essa é minha, você vai voltar essa noite pra casa sem e mostrar pro papai... - Mandou Gabriel.

-Beeeeeemmmm capaz, ele vai querer me comer e eu to toda arrombada, nuuuunnnncaaaaa.- Ela olhava pra ele com cara de dor.

Isa colocou a blusa e se levantou.

-Vai aonde? - Perguntou Biel com a calcinha da amada sobre seu nariz.

-No banheiro ver o estrago. - Isa ria com a cena, esquecendo a dor. - Mas vou no lá de baixo, pra dar um beijo na minha sogrinha, fazer ela sentir meu hálito de porra e ver a gosma branca escorrendo nas minhas coxas.

Os dois riam, o pau de Gabriel já era uma tora novamente.

-EIIIII baixa isso ai, não vou dar de novo!

Isa saiu do quarto e Kelly, que havia se recomposto a instantes, estava ainda no corredor.

-Oiiii sogrinha, que saudade. - Falou Isa a abraçando apertado.

Kelly, que fora surpreendida pela porta se abrindo, ficou com o coração acelerado e sem resposta, apenas abraçando a nora. Sentiu o cheiro de homem que vinha da menina, e ficou ainda mais enciumada, não chegou a notar o líquido branco que descia pelas coxas dela, mas sabia que aquele era cheiro de sexo e ficou ainda mais melada.

Isa foi para o banheiro, viu seu cu sangrando e sua buceta ainda mais babada, estava feliz, era novamente a alegria voltando a sua vida.

A noite, já em casa, jantando com a família, Isa contou a eles a novidade.

-Passei a tarde com o Biel hoje, voltamos. - Ela sorria de orelha a orelha.

Todos gostaram da novidade, mas o sorriso gigante no rosto de Tamires a surpreendeu.

Jorge procurou a filha antes de dormir.

-Oi pai. - Disse Isa ao vê-lo entrar no quarto.

-Oi meu amorzinho.

Isa vestia seu short rosa de pijama e uma blusa branca, que deixava seus seios aparecendo, seu pai estava só de cueca, e Isa viu que o pau dele a estufava.

-Nem vem que hoje to toda dolorida. - Ela ria enquanto o pai deitava ao seu lado.

-Matou a saudade do Gabriel é? - Falou Jorge antes de beijar a sua boca e repousar sua mão sobre a bundinha dela.

-Aham, comeu meu cu a seco pai, imagina, olha o tempão que fazia que eu não dava o rabinho... - Isa provocava, alisava o pau dele por cima da cueca, estava dolorida, mas nunca ficava enjoada de provocar seus homens.

-E doeu amorzinho? - Jorge apertava com força a bunda da filha.

-Muito pai, sangrou horrores, não posso nem sentar... - Isa agora fazia beicinho.

-E a bucetinha? Ele fudeu também?

Jorge agora tentava por a mão dentro do short da filha pela parte da frente.

-Eeeeiiiii, pode tirando a mão, hoje não posso mais nada, aquele filho da puta tem a pica gigante pai. Lembra quantos dias a mamãe ficou sem dar pro senhor depois daquele dia na fazenda? Eu e a Tami que tivemos que matar a sua vontade de corninho. - Isa arranhava os cabelos do pai e o beijava mais.

O beijo era quente e a pica do pai não baixava, Isa colocou a perna sobre a dele e esfregou a xoxota na sua rola.

-Aiiiiii só de esfregar assim já dói. Ele me comeu a tarde inteira. - Ela ria. - Acho que o senhor vai ter que ir no outro quarto comer a outra filha.

-A minha caçulinha tá me rejeitando?

-Ah pai o senhor é corno, sabe como é ser rejeitado né... - Isa ria demais, fazendo seu pai rir também.

Os dois se beijavam, Isa tentou roçar no pau do pai mais uma vez durante o beijo mas sentiu sua buceta latejar de dor.

-Um boquetinho eu pago, adianta? - Ela continuava rindo e agarrava o pau do pai por cima da cueca.

Jorge nem respondeu, apenas baixou a cueca e Isa se abaixou engolindo todo o pau do papai.

O pau de Jorge era muito menor que o de Gabriel, Isa conseguia coloca-lo inteiro dentro da boca, sugava a rola com rapidez, mamava com vontade.

-Isso filhinha, mama no papai, engole o pau do teu macho vai. - Jorge fechava os olhos e sentia a língua quente da filha mais nova passear por sua rola.

-Meu macho é o negão papai, o senhor é o só o papai...- Isa lambia as bolas do pai enquanto falava.

-Mas a filhinha precisa cuidar do papai, dar atenção. - Jorge assistia a tudo, deixava Isa brincar com ele.

-A filhinha dá... Vou ser sua no fim de semana, o que acha? Me comer na frente do negão. - Isa provocava, mamava mais rápido e tirava a boca pra falar.

-Enquanto ele come sua mãe? - Jorge já estava quase gosando, só de pensar na idéia. Ele adorava assistir a mulher dando e até hoje batia punheta vendo o vídeo feito por Aimé junto com Gabriel.

-Será que ela vai querer? Ele bate nela, lembra? Vai deixar a mamãe apanhar sem que o senhor possa fazer nada?- Isa agora massageava as bolas dele enquanto passava a língua na cabeça do seu pau.

-Ué eu bato em você dai. - Ele falou sabendo que não seria capaz de fazer isso, preferia muito mais o papel do corno manso.

-Não, só o negão pode me bater... Ele vai comer o cuzinho dela papai e o senhor não vai poder comer o meu... Vai querer mesmo assim?

Isa agora punhetava o pai freneticamente, sentia seu pau crescer em seus dedos, sabia que ele gosaria dentro de instantes. Jorge apenas balançou a cabeça afirmativamente, estava se segurando pra não gosar. Sem parar de bater pro pai Isa se esticou até a cabeceira da cama, deixando seus seios separados da boca do pai apenas pela blusa de algodão, Jorge tentou chupa-los, mas ela não deixou.

-Vou tirar uma foto da minha boquinha cheia de porra pra mandar pro negão, falei pra ele hoje que o senhor ia vir dormir comigo, que eu ia contar tudo que ele fez em mim, que o senhor ia meter em mim a noite toda, me deixando toda abertinha. - Ela tinha acelerado os movimentos da mão.

Jorge não aguentou, Isa não conseguiu por a boca, o pai melou toda sua mão, a porra quase liquida ficou em seus dedos.

-Ahhhh mas é um corno frouxo mesmo, por isso que a mamãe dá pra todo mundo, o corninho não aguenta nada. - Isa ria da cara do pai e ele ficava ainda mais excitado.

Isabela tirou foto da mão melada e enviou para o namorado, a legenda na foto foi : Limpo com o lençol ou com a línguinha? Gabriel respondeu em segundos: Lençol, na línguinha te dou amanhã. Mas isa não obedeceu, mandou em seguida uma foto com a porra em seus lábios e com a legenda: Pena que você é corno e não manda em nada.

-Deu papai, agora vai dormir. - Ela ria enquanto se tapava com o lençol.

Jorge não estava satisfeito e puxou a filha com força beijando sua boca, Isa, novamente com gosto de porra na boca, beijava ele e arranhava seu peito, até que o empurrou.

-Vai pra cama pai, to cansada...

-Dorme bem minha princesa. - Falou Jorge depois de dar um selinho na filha e se levantar.

-Ahhh conta pra mamãe nossa programação pro fim de semana.

A semana passou, Kelly começou a usar roupas mais curtas enquanto estava somente com o filho em casa, Gabriel notava o corpo da mãe todos dias, seu pau quase explodia. Ele e Isabela não conseguiram se encontrar mais em casa durante aquela semana, ele estava precisando estudar para as provas finais e ela entedia, ficaram se guardando para o tão esperado final de semana na fazenda.

Sexta-Feira chegou com um imprevisto, Jorge adoeceu, tinha pego dengue, Aimé foi obrigada a ficar em casa para cuida-lo, João iria passar o fim de semana na casa da namorada e Tamires tinha uma festa para ir com as amigas, Isabela e Gabriel iam passar o fim de semana na casa dele, com os pais, na intenção de provocar ainda mais sua mãe. Mas os tios de Isa ligaram pra ela convidando para irem para fazenda os 4, Gabriel e ela aceitaram, mas nem imaginavam o que aconteceria naquele fim de semana.

Os 4 foram no carro de Antonio, uma caminhonete Range Rover Evoque, Vermelha com o teto branco, Antonio e Angela chegaram à casa de Isa pouco antes das 8 horas, o caminho da fazenda era longo. Gabriel vestia uma bermuda de tecido azul, da Calvin Klein e uma camiseta negra da Armani Exchange, com a estampa de uma águia branca. Isa colocou uma roupa bem confortável, uma miniblusa de algodão, branca, com as alcinhas bem fininhas, a blusa deixava sua barriga sequinha completamente exposta, mostrando o piercing do seu umbigo, e um short curtíssimo, cujo as pernas do mesmo terminavam na altura da sua bucetinha, o short era meio folgado, não ficava tão atolado na sua bunda, mas só de ver as coxas da namorada e a sua barriguinha, sabendo que ela estava sem sutiã e provavelmente com uma micro calcinha, Gabriel já ficou enlouquecido.

Quando o carro chegou, os dois colocaram suas coisas no porta malas e entraram no banco traseiro. Antonio ainda estava com a roupa do trabalho, uma calça jeans e uma camisa rosa com o botão do colarinho e o abaixo dele desabotoados. Angela vestia uma calça jeans branca, com listras grossas e coloridas postas em zigzag, uma regata branca, de seda, com as alças maiores que as da de Isa, curta como a dela, deixando sua barriga a mostra e calçava uma rasteirinha simples.

Gabriel estava com o pau duro quando saiu de casa, e ao ver o volume dos seios naturais da tia de Isa em sua blusa sentiu seu pau ficar ainda mais duro. Isa notou e logo o empurrou saindo do abraço.

-Sem chance, eles são meus tios, não vou fazer NADA. - Isa falou braba, impondo respeito.

Gabriel aguentou, os 4 passaram a viagem inteira conversando um papo legal e sem falar nada sobre sexo.

Ao chegar na fazenda, Biel e Antonio tiraram as coisas do carro enquanto Isa colocava na geladeira o que precisava de refrigeração e Angela ia para o banho. Quando terminou de descarregar o carro, Biel foi para o quarto em que achava que iriam ficar, a suite da casa principal, normalmente usada pelos pais de Isa. Mas ao chegar lá viu que o quarto já tinha sido ocupado pelos tios de Isa, mesmo assim entrou, queria pegar dois travesseiros que estavam no armário do quarto, ainda de costas ouviu a porta se abrir, a do banheiro da suite, se virou rapidamente, era Angela, saindo do banheiro, estava somente de calcinha, vermelha, com tiras pequenas nas laterais, cos baixo na frente, sua bexiga aparecia quase que por completo, foi impossível para Gabriel tirar os olhos da sua fenda. Sua bucetinha estava marcada pelo tecido de renda da calcinha, a parte da frente tinha desenhos vasados, deixando-a praticamente transparente.

-Não sabia que vocês iam dormir aqui. - Disse Angela ao "sobrinho".

-Ah, que isso, sem problemas, a gente tem nosso quarto, ia deitar aqui por que a cama é maior.- Falou Gabriel tentando parecer normal.

Gabriel sorriu para ela, ergueu a cabeça e viu seus pequenos e firmes seios, bem menores que os de Aimé, parecidos com os de Isabela. Gabriel já estava com a pica completamente dura pela roupa que Isa usara na viagem, vendo a tia agora seminua ele ficava ainda mais enlouquecido.

Angela foi para frente do armário, abriu a porta ao lado da de Gabriel e começou a escolher uma blusa. Gabriel não conseguia parar de olha-la, ela já tinha notado a protuberância no short do rapaz e molhado completamente sua calcinha.

Ela pegou um babydoll preto com flores rosas pintadas nela, as alças eram muito pequenas, a blusa mal tapa seus seios, o bico deles quase furava o tecido, ela se virou e ajeitou a roupa para que tapasse sua bunda, delicada porém grande, o babydoll mal tapou a mesma.

-Vamos jantar? - Falou para Biel enquanto ia até a porta.

Gabriel a seguiu, segurava os dois travesseiros embaixo dos braços, quando Angela pôs a mão na maçaneta Gabriel a encoxou, sem segura-la ele roçou seu pau duro na bunda dela, fazendo com que sua roupa subisse e a calcinha entrasse ainda mais no seu reguinho, Angela recuou, empurrou a bunda no pau dele e rebolou de leve, ele a agarrou com força e mordeu sua nuca, roçando ainda mais forte a pica contra ela.

-Agora não. - Sussurrou Angela.

Gabriel não a ouviu, a virou de frente para ele e beijou sua boca, os travesseiros cairam no chão e Gabriel a pegou com as duas mãos. e escorou suas costas na porta do quarto. Angela se sentia entregue, adorava que a pegassem daquele jeito, roçou forte a bucetinha no pau do sobrinho e mordeu seu lábio.

-Agora não, eles estão na sala nos esperando...

-Eles sabem esperar.

Gabriel agora tinha tirado sua roupa, ficando apenas de cueca, Angela ficou ainda mais doida ao ver a cabeça preta da rola de Biel sair da cueca.

Ela era muito mais fina, delicada e recatada que a irmã, mas era muito mais puta também, Antonio gostava muito de ser corno, inclusive oferecendo a mulher para seus clientes em algumas negociações. Gabriel não seria o primeiro negro dela, mas ela nunca tinha visto algo tão grande como o que saia da cueca dele. Ela não pensou duas vezes, ajoelhou na frente dele e começou a mamar, olhando nos olhos de Biel ela foi engolindo seu pau até engasgar, Gabriel a pegou pelos cabelos e começou a enfiar a rola na boca da tia, Angela sentia Gabriel foder sua boca e ia se derretendo toda, colocou a mão dentro da calcinha e começou a se masturbar.

Ela fechava os olhos e sugava a pica do namorado da sobrinha com gosto, babava na rola fazendo sua saliva escorrer pelo pau dele. Gabriel quase não acreditava, estava ganhando um maravilhoso boquete da tia da namorada, olhava o rosto dela ajoelhada a seus pés, viu a mão perdida entre suas pernas, masturbando-a enquanto mamava.

-Isso Tia Angela, engole tudo, mama no negão tia, mama no namorado da sua sobrinha.

Angela o olhava nos olhos, não tirava os olhos do negão, arranhava seu peitoral definido com as unhas grandes pintadas de esmalte vermelho. Ela girava a língua em volta do pau do sobrinho enquanto ele socava ainda mais a pica na sua boca, mexendo o quadril e fudendo seus lábios com rapidez e força. Angela não queria que aquilo acabasse nunca, estava até cogitando pedir ao marido para dormir com o garoto, queria matar a vontade, sentia sua buceta escorrer, quase gosava somente enfiando os dedos, mas uma batida na porta fez com que ela se assustasse.

-Ei a comida tá na mesa Angela, tá no banho ainda? - Era Antonio.

Gabriel não deixou que ela respondesse, empurrou o rosto da tia contra seu pau, fazendo-a engasgar completamente, Angela só conseguia fazer barulhos de ânsia.

-Ela já tá saindo Antonio, to esperando pra tomar o meu banho. - Respondeu Gabriel querendo ganhar tempo.

Gabriel soltou a cabeça dela, fazendo-a respirar novamente.

-Tá maluco garoto?! - Falou angela braba se levantando.

-Maluco por você. - Respondeu agarrando-a novamente.

Gabriel beijou a boca dela enquanto Angela tentava se desvencilhar, um fedelho como aquele não podia trata-la daquela maneira. Angela gostava de mandar, era rica e fazia com que seus parceiros a obedecessem por dinheiro ou pelo medo do seu poder. Não ia aceitar que um negro, com idade para ser seu filho, a deixasse sem ar daquela maneira, jamais! Ela conseguiu se soltar, mas Gabriel era muito bom no que fazia. Antes que ela pudesse abrir a porta ela a pegou pela cintura, viu que seu cabelo curto não tapava sua nuca e começou a morde-la, roçando o pau no rego dela, fazendo Angela perder a compostura e a marra.

-Não vai tia, fica aqui com o negão. - Ele sussurrava no seu ouvido com carinho, mordendo sua orelha em seguida.

-Para GabrielEla mal conseguia ser ouvida.

Gabriel afastou a calcinha de Angela para o lado e enfiou seu pau devagarinho nela, com carinho, com calma, centímetro por centímetro.

-Aaaahhhhhhhhhh, meu deuuuuussssss, não faz isso comigo não, por favor. - Angela sussurrava, sentindo o pau gigante e grosso atravessar sua bucetinha.

-Por que tia? Ela tá toda melada, ela tá gostando, ta adorando tomar pica. - Tremendo a mão no seu clitóris Gabriel a enlouquecia ainda mais.

Biel começou a socar forte, o rosto de Angela estava quase grudado na porta do quarto, as palmas de suas mais escorregavam na mesma, tamanho era o suador do seu corpo. Ela mordia os próprios lábios para não gemer, o marido ia ficar brabo se soubesse que ela estava dando sem pedir a ele, ele talvez nem a perdoasse por estar dando para alguém que mal tinha voltado para a família. Mas valia a pena o risco, Angela sentia sua buceta arregaçar inteira, se abrir naquele pau maravilhoso. O jeito que o sobrinho a pegava por trás a deixava ainda mais louca.

Ela não se conteve, tremeu no pau dele, gosou, colocou a mão dele que estava entre suas pernas, a masturbando, na sua boca e começou a chupar-lhe os dedos, engolindo um a um, com 4 dedos na sua boca ela gemeu, os dedos ajudaram a abafar o som e aquilo pra ela foi maravilhoso, gritou alto em meio a mão do seu novo macho.

-AAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH . - O grito foi constante, enquanto ela gosava.

-Isso tia, gosa pro namoradinho da sobrinha, gosa. - Gabriel continuava mordendo sua nuca e sussurrando no seu ouvido.

Angela não parava de se arrepiar, e quando sentiu o pau de Biel entrando com mais força dentro da sua xoxota, ficou enlouquecida novamente. Agora era ela quem provocava, queria que aquele fedelho gosasse dentro dela. Ela o olhava nos olhos, mordia a boca, com a mão esquerda apertou o ombro direito do garoto, deixando a marca com suas unhas.

-Isso Biel, come a titia, come. Mete essa rola gostosa na tia da Isa mete. - Angela sussurrava, de olhos fechados, sentindo a rola quase lhe atravessar, ela rebolava com força na pica dele.

Gabriel sentiu que iria gosar, queria gosar dentro dela, começou a meter mais forte, a enterrar mais fundo a pica nela, mordeu com força sua nuca e gosou, encheu a xana de Angela de porra, quando tirou a pica de dentro dela a calcinha entrou na sua bucetinha e ficou completamente babada.

-Olha isso seu imbecil, sujou toda minha calcinha de porra. - Angela parecia braba.

-Dá pro corno cheirar depois, pra ele ver que você tava dando. Conta pra ele que você tava mamando na hora que ele bateu na porta. - Gabriel tentava provocar, passava a mão nela, mas Angela se esquivou.

-Não! Ele não vai saber que dei pra você. Imbecil. - Falou voltando pro banho.

Gabriel foi pra cozinha, Isa e Antonio já tinham jantado.

-Ué, não tomou banho amor? - Perguntou Isa sem notar que Gabriel estava comendo sua tia.

-A Angela ainda tá no banho, resolvi vir comer.- Falou sorrindo sentando na cadeira e se servindo.

Antonio foi para o quarto atrás da mulher, entrou no banheiro e a viu se lavando com o chuveirinho direcionado para sua buceta. Estava com as costas escoradas na parede, parecia acabada, no chão do banheiro estava a calcinha, completamente branca de porra.

-Tava dando pra ele né. Você não perde tempo, SUA PUTA. - Esbravejou Antonio entrando no chuveiro ainda vestido.

-Não perco tempo mesmo. Te por chifre é meu maior prazer. - Falou Angela enquanto aproximava ainda mas os jatos do chuveirinho na sua buceta.

Angela estava nua, molhada por completo, agarrou o centro da camisa do marido com as duas mãos e puxou com força, arrebentando todos seus botões.

-Quem disse que era pra você dar pra ele? - Antonio puxava os cabelos da mulher, enquanto ela abria sua calça jeans e começava a acariciar seu pau por dentro da cueca.

-Ele não se importou muito com você, me agarrou, me fez mamar na rola gigante dele. AMOR, nunca vi uma rola tão grande como a daquele garoto. - Angela provocava, tinha medo que ele ficasse brabo, mas sabia que ele adorava ser corno. - Quando você bateu na porta eu tava mamando nele e ele não deixou eu sair, fez eu engasgar ainda mais na pica dele, eu queria te responder, não ia deixar você sem resposta, mas ele não deixou, fez eu ficar sem ar, fez eu quase vomitar na pica dele.

Angela punhetava mais o marido, sussurrava no seu ouvido, viu que ele estava gostando, virou de costas pra ele, curvou seu corpo para a frente e sentiu ele a pegar pela cintura, com força e raiva, enfiou a pica na buceta da esposa de uma só vez.

-AAAAHHHHHH ISSSO, ME COME, ANDA ANTONIO, ME FODE.- Angela empinava bem o rabo pro marido meter.

Antonio socava com força com a calça arriada e a camisa completamente rasgadas ele tentava se vingar da esposa vagabunda, a comia com força, a fodia com ódio.

-AAAAAAAAAAA como é bom poder gemer, enquanto ele me fudia tive que ficar quetinha pra você não ouvir. Nossa, imagina Toninho, eu tomando uma rola gigante e grossa, sem poder gemer. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAA COMO É BOM GRITAR TOMANDO PICA AMOR.

Antonio estava completamente pirado, parecia ver a mulher mais excitada do que de costume, a foda com Gabriel parecia ter feito muito bem a ela. Angela apoiou as mãos em seus joelhos e começou a rebolar, como se dançasse funk no pau do marido.

-Deixa eu dar pra ele de novo, deixa Toninho?- Angela sentia o marido meter mais forte, berrava para deixa-lo ainda mais enlouquecido.

-É o que você quer vadia? - Perguntou enchendo o rabo da esposa de tapas.

-É, CORNO, quero tomar leite naquela pica enorme. ISSO ANTONIO, FODE, METE ESSA ROLA PEQUENA DE CORNO MANSO EM MIM, ANDA, TO MANDANDO VOCÊ METER, SEU BROXA.

Angela tinha a impressão do pau do marido não ter um terço do tamanho do pau de Gabriel, depois de ser esfolada pelo sobrinho, mal sentia prazer em dar para o marido, o que a deixava feliz era poder humilha-lo e isso também o deixava maravilhado.

-Gabriel me pegou assim também, enfiou minha cara na porta e foi metendo forte na minha xana. METE FORTE BROXA, ou vou ter que chamar ele pra me fuder de novo?

Antonio não aguentou, aumentou as bombadas e no instante em que a esposa começou a rebolar, ele gosou.

Os dois se abraçaram, beijando-se com muito amor.

No quarto das crianças, Gabriel deitava de cueca ao lado de Isa, que estava de pijama, uma calça fina e uma blusa de manga comprida, ambas com a mesma estampa, cinza e com várias carinhas da Minnie e do Mickey se beijando e alguns coraçõeszinhos.

-Que demora foi aquela na suite? - Perguntou Isa sabendo a resposta.

-Tive que dar um trato na sua tia. - Respondeu Gabriel rindo.

-Ah é? Não quis esperar pra comer a loirinha novinha e foi comer a irmã da minha mãe? - Isa ria.

Isa estava cansada e Gabriel satisfeito da foda com Angela, os dois se abraçaram e dormiram agarrados embaixo das cobertas.

No dia seguinte Angela passou a manhã inteira provocando Gabriel, vestia um micro short jeans desbotado com uma blusa de trico bege com vários vazados, que deixava aparente seu sutiã branco e sua barriga por completo. Isa e ela arrumavam a casa enquanto Biel e Antonio faziam o almoço.

Angela fez questão de limpar o chão da cozinha empinando bem o rabo para Gabriel, ele já notara que a tia estava se oferecendo e estava com o pau estufado em seu short de futebol. Antonio também já notava, assim como Isa, que quase ria sozinha assistindo tudo pelo espelho enquanto limpava a sala.

Biel viu ela se aproximar do fogão, pegar um pouco do molho com a colher de pau e colocar na boca, olhando em seus olhos, com cara de puta.

-Nossa, como isso tá gostoso... - Falou passando a língua em volta dos lábios.

Gabriel e Antonio quase explodiam de tesão.

O almoço correu normalmente, com mais provocações de Angela, com direito a ela por o pé sobre o pau de Gabriel por baixo da mesa.

A tarde, Antonio foi junto com Biel andar a cavalo, Isa ficou com a tia em casa, conversando na varanda sobre diversos assuntos.

-Tia do céu, o que você fez com o Gabi não se faz... - Falou Isa em meio ao papo que levavam.

-O que aquele fedelho fez comigo ontem de noite é que não se faz. - As duas riam - Isa como tu aguenta aquilo tudo menina? Jesusssssss que pau gigante. - Angela se abanava enquanto falava.

-É bom né?

-OOOOOO, seu tio surtou quando soube, viu minha calcinha cheia de porra, achei que ia brigar, mas ai dei uma chave de buceta nele e ele se acalmou, virou o corno manso de sempre.

-A gente podia fazer uma surpresinha pra eles né. - Propôs Isa.

-Que surpresinha? - Perguntou Angela já animada.

-Vem! - Falou Isa puxando a tia pela mão para a sala.

Isabela atirou a tia de costas no sofa, tirou a blusa, revelando seus seios branquinhos e sentou no colo dela, jogou os cabelos loiros e grandes pra trás beijando sua boca em seguida, Angela pegou a bunda da sobrinha e começou a roçar seu quadril contra o dela, Isa parou o beijo e passou um de seus seios na boca da tia, que o lambeu e em seguida o apertou com a mão.

-AAAAAAHHH, isso tia, mama pro tio Antonio ver e ficar doido com as duas putinhas dele.

Angela obedecia sugava forte o seio da sobrinha que agora desatava o nó que a blusa da tia tinha na altura da nuca, tirando seu sutiã em seguida e apertando os mamilos dela com tesão.

A tia deitou Isabela no sofá e tirou seu short junto com a calcinha, ficando completamente nua.

-Hahahahaha, quero ver eles chegarem aqui e pegar as duas fodendo. - Disse a garotinha gargalhando.

-O negão é meu primeiro. - Falou Angela enquanto baixava a calça e a calcinha da sobrinha.

-Ah é? Gamou no meu preto? - Isa agora alisava a buceta branquinha e babada, abrindo-a com o dedo médio e o indicador na altura do seu grelinho.

-E como Isa, que inveja.

Isabela estava deitada no meio do sofá gigante, pra mais de 7 pessoas, Angela estava de 4 com a cabeça entre as pernas da sobrinha aproximando o rosto de onde Isa estava com os dedos.

Angela passou a língua por toda a buceta da sobrinha, fazia tempo que as duas não tinham uma relação lésbica, Angela estava com saudade de lamber uma bucetinha e Isa tinha certeza que Gabriel ia enlouquecer com a cena, ele na verdade não devia nem sonhar que ela gostava de meninas também.

-AAAAAHHHHH TIAAAAAAA, QUE BOCA BOA.- Gemia Isabela.

-Melhor que a do negão? - Agora Angela alisava o grelo da sobrinha com a mão enquanto lambia devagarinho o mel da sua bucetinha.

-AAAAAHHHHHH O NEGÃO É TODO BOM TIA. AAAAAHHHHH ISSSO, CHUPA MAISSSSSSSSSS.

A porta da cozinha se abriu, as duas sabiam que era no mínimo Antonio ou Gabriel e na melhor das hipóteses os dois juntos. Angela começou a lamber mais forte e rápido, arranhando a parte de dentro da coxa direita de Isa, que gemeu fazendo quem chegava na casa notar onde elas estavam.

-AAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHH, ISSSOOOOOO CHUPA MEU GRELINHOOOOOOOO.

Antonio foi o primeiro a entrar na sala, estava sem camisa e de calça de montaria, ver a sobrinha de pernas abertas sendo lambida pela mulher o deixou de pau duro instantaneamente. Gabriel seguiu Antonio e chegou quase ao mesmo tempo, na hora em que Isa chamava o tio.

-Tio Tonho vem me dar pica pra chupar, vem. - Ela sussurrava, quase não se ouvia o que saia dos seus lábios.

Isa segurava com força os cabelos da tia, esfregava seu rosto na sua buceta e fechava os olhos.

Biel deu de cara com a bunda grande de Angela virada para ele e não acreditou no que via, o rosto de Isa exalava prazer e ao ver Antonio tirando a roupa ele começou a fazer o mesmo.

Isa viu o tio parar ao seu lado, com o pau perto do seu rosto, agarrou ele com a mão e começou a masturba-lo, em meio a punheta olhava para a tia que a chupava e para Gabriel, nu incrédulo com a situação, a loirinha delirava, quase revirava os olhos.

-Vai deixar o Biel meter na tia Angela de novo tio? Vai deixar ele esfolar a bucetinha dela? - Fala Isa enquanto Antonio se aproximava mais dela, quase colocando o pau em sua boca.

-Claro que vou, o que que eu não faço pela minha sobrinha amada.- Antonio sentia Isa engolir seu pau aos poucos.

Gabriel ficou de joelhos no sofá e abriu a bunda de Angela com as duas mãos, vendo seu cu e bucetinha, completamente babada, encharcada de tanto tesão. Ela não tirava o rosto do meio das pernas da sobrinha, apesar de já ter dado pra vários homens, inclusive na frente do marido, se sentia com vergonha de mostrar o prazer que sentia de saber que seria fudida pelo negro que ela havia amado, talvez pelo medo do marido notar que ela tinha encontrado, finalmente, alguém que a desse mais prazer que ele ou seu filho mais velho Anderon, talvez por medo da reação da sobrinha ao vê-la dando enlouquecidamente para o namorado dela. E a vontade de Angela era essa, dar enlouquecidamente para Gabriel.

Era a primeira vez que Gabriel via Isabela chupando outro homem ao vivo, ela engolia quase todo o pau do tio, que nem tocava nela, Isa fazia o trabalho todo sozinha, chupando rápido enquanto Angela lambia sua buceta sem olhar para ninguém.

Biel encaixou em Angela pincelando seu pau no rego dela, mordeu sua nuca como na noite anterior e a tia de sua namorada acelerou os movimentos na buceta de Isa, fazendo a loirinha ter que tirar a boca do pau do tio para gemer.

-AAAAAAAAAAAAAHHHHHHH TIIIIIIIAAAAAAAAAAA, ASSSSIIIMMMMMM EUUUU GOOOOOSSSSSOOOOOOO. - Isabela tremia o corpo na boca da tia, que também estava completamente em ecstase.

Gabriel desceu a boca pela espinha de Angela, com a ponta da língua percorrendo suas costas, Angela não se aguentava de tesão, precisou parar de lamber a sobrinha e morder os próprios lábios para conter o seu gemido. Mas quando o garoto chegou com a língua no seu rego e desceu ela lambendo demoradamente o seu cu, foi demais para Angela, ela não aguentou, gritou com todas as suas forças, fazendo até os cachorros da fazenda começarem a latir assustados com o berro.

-FILHO DA PUTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. ME FODE LOGO PRETO IMUUUUNNNNNDDOOOOOOOOOO. - O jeito que ela o xingou fez Gabriel lembrar da mãe de Isa.

Antonio pirou ao ver a esposa refém de um homem como ele jamais havia visto. Isa também adorou o grito da tia e como ela havia parado de chupa-la teve forças para retomar o boquete a Antonio, chupando-o com rapidez proporcional ao tesão que havia na sala. Gabriel desceu mais a língua e começou a lamber o mel que escorria da xota de Angela, enfiando a língua lá dentro e fudendo-a com a boca. Angela não tinha mais forças, tinha esquecido completamente da sobrinha e estava entregue ao namorado dela, que lambia sua buceta como nenhum homem jamais tinha lambido.

Isa olhava diretamente para Gabriel, imaginava o tesão que o namorado devia estar sentindo participando pela primeira vez de uma suruba, ainda mais essa sendo em família, ela acelerou os movimentos com a boca no pau do tio e sentiu que o mesmo estava prestes a gosar.

Não demorou muito para Antonio começar a gosar na boca da sobrinha, Angela viu e começou a sorrir.

-Isso amor, gosa na boca da Isa, alimenta a sobrinha, meu gostoso.- Disse com a voz tremula enquanto recebia linguadas do namorado da menina.

Gabriel, ouvindo Angela e parou de lambe-la, olhando para Isabela viu a namorada beber toda a porra do tio dela e o pau do mesmo diminuir na mesma hora.

Isabela engoliu tudo com facilidade, assim como o goso de seu pai, o esperma do tio era pouco perto do que ela estava acostumada a beber do namorado.

-Olha só Biel, a Isa bebeu tudinho. - Disse Angela provocando.

-Ela sabe que se babar apanha. - Respondeu Gabriel antes de voltar para o meio das pernas de Angela.

Isa não esperou nem recuperar o fôlego, deitou-se de cabeça para baixo entre as pernas da tia e encontrou a língua de Gabriel na bucetinha dela. Os dois de beijavam enquanto lambiam Angela juntos, Gabriel sentia o gosto da porra de Antonio na boca da namorada, conforme ela havia prometido que faria ele sentir em uma de suas últimas tranzas, o pau dele quase explodia de tanto tesão e Angela começava a tremer, gosando na boca dos dois, como nunca tinha gosado na sua vida.

Antonio estava atônito assistindo a tudo isso, esperando recuperar seu fôlego e torcendo para que seu pau conseguisse ficar em pé novamente. Angela estava muda, não tinha forças nem para falar, os namorados não paravam de lambe-la conforme iam se beijando, e seu corpo não parava de tremer em orgamos múltiplos incessantes.

As línguas de Gabriel e Isabela não paravam, o primeiro lambia o fim da buceta de Angela, quase no espaço que há entre a vagina e o ânus, a menina lambia o clitóris, matando a saudade que tinha dos seus encontros lésbicos com a mãe e a irmã.

Gabriel parou de chupa-la e começou a enfiar sua rola imensa na tia de Isa.

-AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHH, NÃO FAZ ISSO COMIGO PRETO SUJO, NÃO METE ESSA PICA GIGANTE NA MINHA BUCETA, MEU MARIDO NÃO DEIXA... MEU MARIDO VAI ME BATER POR QUE TÁ ME VENDO DAR PRO NEGÃO. - Berrou Angela ao sentir a vara de Gabriel entrando vagarosamente em sua vagina.

Isabela ouviu os gemidos da tia e começou a lambe-la mais rápido ainda, era a vez da loirinha ficar enlouquecida, ela chupa o grelo de Angela com força, cheia de tesão, querendo que a tia gosasse no seu rosto novamente.

-Ele vai te bater tia? Não bate nela não Tonho, deixa que eu bato. - Falou Biel dando um tapa fortíssimo na bunda branca de Angela.

-Ele não vai bater, não vai bater por que É CORNO MANSO, POR QUE ELE É UM FROUXO. UM BROXA! Olha ali preto, ele tá vendo a mulher levar ferro e tá com o pau mole, aquilo ali não sobe mais hoje. - Angela olhava para o marido o provocando

Gabriel começou a socar forte, a meter sem dó, sentia seu pau ir até o útero de Angela e ainda ficar um pouco fora, a namorada agora lambia seu saco e acariciava a própria buceta, enfiava o dedo médio e o anelar dentro dela, se fudia sozinha com uma das bolas do namorado em sua boca, chupando enquanto ele bombava em sua tia.

-Xinga ele preto, xinga que ele gosta de ser xingado, talvez assim essa pica mole suba. AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHH CORNO, DEIXA EU DAR PRA ESSE PRETO TODOS DIAS, DEIXA?

Biel ouvia todos apelos de Angela, via seu rabo imenso empinado, com direito a cu piscando, sentia a namorada chupar suas bolas e enlouquecia cada vez mais.

-O corno gosta de ti ver dando puta? É boa essa loira vadia, heim CORNO! A buceta da tua mulher é maravilhosa. - Falou Gabriel sem tirar os olhos de Angela e dando mais tapa na sua bunda.

Antonio estava amando aquilo, nunca tinha sentido tanto tesão em uma tranza, nem na vez em que ela o amarrou enquanto dava para dois capatazes da fazendo ao mesmo tempo, mamando na pica do próprio filho.

-Vem aqui corninho, dá pica na boca da tua putinha, dá, deixa eu mamar nessa pica mole... - Pediu Angela compadecida.

Seu marido, como sempre, obedeceu, Angela pôs na boca seu pau inteiro, engolindo todo sem cerimonia e ainda ficando quase de boca vazia. Antonio sentiu uma mão em suas bolas e uma segunda língua, era Isa que agora lambia as bolas do tio e beijava a tia em meio a isso.

Gabriel pirou ainda mais, começou a socar fundo, o pau de Antonio começou a crescer na boca da esposa e ela acelerou a chupada. Isa notou e colocou a mão na base do pau do tio começando a punheta-lo enquanto sua esposa o chupava.

-Isso corno, fica de pau duro de novo, fica com a rola bem dura enquanto sua mulher dá pro preto da rola gigante. - Falou Angela sentindo a buceta arder a cada metida do sobrinho.

Gabriel vendo a cena não se conteve, encheu a buceta de Angela de porra, deixando-a completamente babada.

-ISSSSSSSSSOOOOOOO PRETO SUJO! GOSA NA TITIA, ME MELA INTEIRA. Sabia que eu não to tomando pílula mais corno? Quero ter um filho preto pra você criar, SEU BROXA!

Isa puxou Antonio para o sofá e com a mão começou a pincelar sua bucetinha rosada completamente molhada, queria que o pau aumentasse para entrar, olhou para o namorado que já tinha voltado a bombar a buceta da tia, sem sequer tirar a rola depois de gosar.

-Deixa o tio Tonho me fuder amor? Deixa eu fazer o pau dele crescer dentro de mim e mostrar pra tia Angela que ele não é broxa. Deixa? - Isabela pedia enquanto ia sentando o pau de Antonio.

Gabriel não precisou nem responder, puxou com força o pouco cabelo que Angela tinha e começou a enterrar nela com mais força.

-ISSSSSSSOOOOOOO PRETO, ME FODE, ME ARREGAÇA INTEIRA PRO CORNO VER.- Suplicava Angela, já impressionada com a virilidade do sobrinho.

-Tá gostando de ver tua tia tomando a rola preta, loirinha? Gosta de ver teu macho comendo outra cadela? - Gabriel provocava enquanto via Isa quicando no tio.

Antonio mamava nos pequenos seios da sobrinha e sentia ela fazer o trabalho inteiro sozinha, quicando rápido no seu colo, olhando nos olhos do namorado.

-É tão corno que não fala nada, olha lá preto, o corno é mudo, vê a mulher tomando rola e não faz nada. AI FODE MAIS FORTE, ANDA, EU GOSTO DE PICA, ME DÁ PICA NEGÃO, DÁ NA MINHA XOXOTA, ME ENCHE DE PORRA DE NOVO, FEDELHO DE MERDA. - Angela agora rebolava na pica de Gabriel, olhando para o marido, que nem coragem de olha-la de volta tinha.

Gabriel viu o cu de Angela piscando e começou a enfiar seu dedo dentro enquanto metia com força na sua buceta.

-AAAAAAAAHHHHHHHHH, ANTONIOOOOOOOOOOO ELE BOTOU O DEDO NO MEU CUUUUUUUU. PRETO FILHA DA PUTA, NO MEU CUZINHO NÃO, NÃO FAZ ASSIM QUE EU VOU GOSAR DE NOVO.

Antonio olhou Angela assustado, Isa ria, acariciava os cabelos do tio e quicava ainda mais rápido. Angela estava de olhos fechados, sabia que em instantes tremeria de novo na rola do sobrinho.

-Não adianta reclamar tia, vou meter no teu cu a rola inteira, o corno vai ficar olhando eu atravessar o teu rabo com minha pica gigante e não vai poder fazer nada, o corno vai ficar quetinho enquanto tu toma no cu, do jeito que merece, do jeito que uma vadia tem que levar no cu. - Gabriel falava e dedava mais rápido ainda o cu de Angela.

Ela não aguentou, começou a tremer de novo na pica do sobrinho, gosava ainda mais do que na primeira vez, sua buceta pingava no sofá e ela não se conteve, começou a mijar no pau de Gabriel do mesmo que a irmã tinha mijado há quase um mês.

-Olha corno, tua mulher tá se mijando toda. Já fez ela se mijar alguma vez? MIJONA, LOIRA PUTA, VADIA, MIJONA DO CARALHO. - Fala Gabriel com a pica enterrada na buceta de Angela e o dedo entrando e saindo cada vez mais rápido do seu rabo.

Isa começou a rir de Angela, beijava o tio na boca agora. Antonio estava abismado, nunca tinha visto Angela se entregar tanto, ser tão humilhada, era sempre ela quem maltratava os homens.

Quando Angela parou de gosar, voltando a si, olhou o marido e quase chorando disse:

-Eu me mijei toda amor, me mijei de tanto gosar. Ele tá me arregaçando todinha Toninho, ele tá fudendo toda minha xoxotaAngela fingia bem não estar gostando.

-Diz pra eles que você não é broxa tio, fala pra ela, diz que tá me fudendo bem gostoso com essa pica enorme. - Metia Isa mordendo a orelha do tio.

Antonio assistiu Gabriel tirar a pica da buceta de Angela e enfia de uma só vez no seu cu, enquanto via tudo Antonio alisava a bunda da loirinha que mesmo suada não cansava de quicar no seu pau.

-FIIIIIILLLLLLHHHHHOOOOOOOOOO DAAAAAAAAAAAAAA PUUUUUUUUTAAAAAAAAAAAAAAAAAA. - Berrou Angela fazendo os bichos da fazenda se atiçarem novamente.

Gabriel sentiu o cu dela rasgar no seu pau, agora Angela chorava de verdade, seu cu estava sendo rasgado de uma só vez por uma tora de mais de 26cm, ela estava adorando, assim como Antonio que amava ver a mulher dando, mas nunca a tinha visto naquele estado. Ele desceu a mão pelo rego da sobrinha, colocando o dedo na entrada do seu cuzinho.

-Eeeeeeiiiii tiiiioooo ai não pode, pra entrar ai, só se tiver mais de 20 cm. - Brincou Isa tirando a mão dele da sua bunda.

-Mas ele tá atravessando sua tia Isa. - Falou Antonio com a fisionomia do verdadeiro corno.

-To fudendo por que tu é corno, porque não tem pica pra abrir o cu dessa puta do jeito que eu abro. - Falou Gabriel enquanto montava ainda com mais força no cu de Angela.

-BROXA, FROUXO. - Falava Angela enquanto sentia seu cu ser arrombado. - Ele mete do jeito que tu não mete. SEU MERDA, VAI SER CORNO PRO RESTO DA VIDA.

-E tu vai ser PUTA pro resto da vida. - Disse Gabriel, batendo mais uma vez em Angela.

-Vou, mas vou ser tua puta, deixa Isa? Deixa esse preto sujo meter em mim pra sempre? Deixa? - Angela começava a se controlar, sentia ser fudida e o prazer aumentava mais a cada instante.

Ela começou a rebolar, olhava nos olhos de Biel e mordia a boca.

-ANDA METE FORTE PRETO, METE, FEDELHO DE MERDA, ME FODE COM FORÇA. - Mandava.

Gabriel estava adorando, mas deu um tapa na sua cara para que parasse de mandar, a fudia ainda mais forte, socava sem parar.

-CALA A BOCA E GEME PUTA. GEME PRO BROXA VER QUE TU GOSTA DE ROLA PRETA, GEME. - Mandou Gabriel

Com a cara ardendo Angela virou para o marido e começou a gemer ainda mais alto.

-ISSSSSSSOOOOOO ME RASGA TODA, POR FAVOR, ME DÁ LEITINHO, VAI, ME DÁ PORRA NA BOQUINHA.

-Vai beber tudo tia? Por que se babar ele bate na gente sabia? Cansei de apanhar por que ele gosa muito e me babo toda. - Isa falava, vendo o namorado comer o cu da tia enquanto ela rebolava no pau do tio.

Angela tirou o cu do pau do sobrinho e o abocanhou direto, começou a sugar forte, mamava com pressão virando o rabo para o marido. Isa abriu a bunda da tia e viu sangue escorrendo do seu cu, parou de beijar o tio e mostrou.

-Olha tio, o cu dela tá sangrando, olha só.... - Isa estava maravilhada, cavalgava ser parar.

Antonio passou a mão no rabo da esposa e tomou um tapa, Angela parou de mamar e olhou para o marido, ficando só batendo punheta para Gabriel.

-Tira a mão! Não ouviu a Isa dizer que o cu é só do negão? - Angela acabou de falar e olhou para Gabriel, esperando ver se o garoto tinha gostado da novidade.

-Ela disse do dela, Angela. - Falou Antonio sem acreditar no que ouvia.

-Agora o meu também, só dou pro meu preto sujo, nem o Anderson vai meter mais na minha bundinha, só o BIEL. - Falava olhando nos olhos de Gabriel, antes de voltar a mama-lo ainda o olhando.

-EU QUERO COMER TEU CU HOJE ANGELA.

-Olha só parece até macho tia. - Falou Isa, rindo enquanto pulava ainda mais rápido no colo do tio.

-NÃO OUVIU O QUE ELA FALOU SEU BROXA? O CU DELA É SÓ MEU! - Gabriel agora o provocava mais.

Angela adorou o novo amante xingando seu marido corno e engasgou no pau de Biel como na noite anterior, Gabriel não aguentou, vendo a tia da namorada sem ar, tentando engolir toda sua pica, mas sem sucesso, acabou gosando na sua boca, Angela se assustou, tirou a boca rápido e levou os últimos jatos no rosto, na testa e no queixo, ficando toda melada. Antes que pudesse abrir os olhos sentiu a mão pesada de Gabriel se chocar contra sua buchecha, seu rosto tremeu, ardeu muito em seguida, mas ela adorou, a irmã já havia lhe falado desse tapa e ela tinha sonhado diversas noites em leva-lo.

Isa ria no colo do tio, tinha parado de quicar.

-Viu só tio, ele não aliviou pra ela. Eu tinha avisado, quem baba apanha...

Angela estava exausta, quando viu que o pau do sobrinho não baixara ainda se apavorou.

-Garoto, isso não baixa nunca? - Perguntou abraçando ele e o beijando.

Os dois ficaram abraçados no sofá namorando, dando beijos um no outro, sem tentar nenhuma safadeza, apesar do pau de Gabriel ainda pulsar. Antonio viu que a mulher tinha se apaixonado, ficou com mais ciúmes ainda e começou a meter forte na sobrinha.

-Isso tio, mete forte, AAAAAHHHHHH, soca na loirinha soca tio, AAAAAAAAIIIIII, mete em mim, AAAAAAHHHHHHH - Isa gritava, arranhava seu peito, deixando marcada a pele de Antonio.

Não demorou muito para Antonio gosar de novo, Isa saiu rapidamente de cima dele.

-SEU FILHO DA PUTA, BROXA, CORNO! ME GOSOU TODA! - Reclamou.

-Não era pra gosar não Isinha? - Perguntou Antonio alisando o corpo da sobinha e lambendo seu seio.

-Claro que não! Fiquei toda melada agora...

Isa saiu rápido do colo de Antonio e deitou atrás de Gabriel, via a tia, e o namorado abraçados e sentia orgulho do garoto que ela amava e que amava tanto ela ser a sensação da família, sabia que todas que provassem iriam se apaixonar por ele. Cada dia que passava ficava mais ansiosa para ver o namorado fazendo tudo o que fizera naquela tarde, com Tamires.

Críticas, sugestões, dúvidas ou pra quem quiser contar experiências e me conhecer melhor é só mandar um e-mail para [email protected]

Adoro receber os e-mails de vocês e respondo a todos sempre!

Qualquer coisa podem me achar no twitter também @mesquitabiiel


Este conto recebeu 3 estrelas.
Incentive Mesquitabiiel a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
16/10/2017 08:08:56
Excelente Conto! Acompanho toda a saga do Biel. Muito bem redigido e atiça a libido na essência.
16/11/2015 19:42:17
Além de ser fã dessas historias, agora estou mais animada com a chegada da tia Ângela e sua pegação com a sobrinha Isabela. Vou continuar lendo essa saga apaixonante. Parabéns Biel Negro. Nota mil....
28/10/2015 18:43:54
Que delícia de conto
27/06/2015 16:40:21
NotaSimplesmente perfeito. Aguardando os próximos.
27/06/2015 16:39:53
Perfeito. Continue escrevendo.
14/06/2015 01:44:36
PQP, D+, EXTASIANTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!
27/05/2015 12:00:28
Essa história está cada vez melhor, já gozei muito lendo seus contos.
25/05/2015 16:58:25
Oiiie muiiito bom tem tempo q leio seus contos leia os meus comenta.
25/05/2015 15:28:38
Quase gozei, hoje o conto foi brabo, muita putaria. Nota 10, com louvor.

Online porn video at mobile phone


presa no cativeiro sem banho pornoxxxxmenina mostra sua boceta pelo shortinhonovinha virgem tora a roupasmostrando s calcinhacontos na bundinhanovinhacontos uma delicia de vizinha 8aninhosContos eroticos seios mordedo forteo meu padrato meteume o caralho na maoZoofilia franco e belinhaconto erotico luciene crenteContos Eróticos. Dona VeraConto gay - "pede rola"renatadominadoraContos picantes eroticos peguei minha mãe fazendo safadesa cm meu vizinho pisudo minha tia safada dando em cimademim pornocotoerotico meu filho enchei minha buceta de porabucetinhas e cuzinhos lisosContos eroticos tia tirou afinidade do sobrinho xvideo gay transa estrupocu peludovidios porno pai bi e filho brincaoCenta na pica sem camisinha,e perigosporno socorro meu genro fode malxxvideos mulatas sugadora de espermaainnn amor sexovideios mae filho gosou dentro dela e derramou muita gaconto mamae dormia de calcinha atolada no cuporno brasilero ela queria fujir de tanta fodanao cnseguiomelhorescontosdeincestodois viadinhos e uma mulher contos eroticosxivideo com mulhe senta na cosolo e gosa no cupuchou a calcinha da prima e colocou cabeça pintoporno doido duas mulhres com uma rolona de borracha estrasalha a outravídeo de pornô daquelas negras de shortinho branco e short beija-florpriminha inocente pegando no pinto do primo na frente de toda família sem eles veremconto erotico gay vovo deu leite pro netinhohomen tirando cabaço da novinhs fazendo escandalomulher bundona camsola curtinha trepand pornodoidoxortinhodedormirmulher.gosta.de.chiupar.ingoli.aporaxxxvido corno aguda oho nucumtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1meucusinhocontoscontos eroticos mamaram minha namoradaXVídeos mulher chupa na chapoleta de idosocontos eroticos feminizaçao do garotinho maeconto erotico enquadradinho 2015novinhas esfregando buceta na sela do cavalo videos de porno doidoconto bissexual marido de aluguelbucetaesperienteboquetes e bucetasconto.erotico com fotosjcontoerotico eu namorada mae e tiowattpad contos incesto fui estrupada pelo padrastoum homem nalua de meu tranzado e uzando camizinha e a rola de2metrosxvidos sexo nonviha gozanodoce nanda parte cinco contos eroticosnovinha baiana macumbeiro dando só o cu filme pornômenor semdo fodida dormimdo x videomenina bunduda senta no colo do papai noel para tirar foto e percebe ele com o pau duro na sua bunda xvidioporno negao crava tudo de bruso ela gritacontos eroticos pomba giraminha mulher domestica comida pelo cacetudopai passa pelo quanto da filha e ver ela dormido so de pijama no porno doidocontos eroticos cheirando a calcinha da minha maefilme pornô bigode fêmea exame transvaginalexvidio comi á mińha pastora da igrejaevangélico emcoxado em ônibus contosEróticospornô.comporno com egua pordrinhaGosei na byceta selahistoria erotica conquistei a minha filha pra dar cu pelo amigo roludoxnxx porno gey contos eroticos novinho pegando priminho no riachoalivat xxxvídeomorna jemendo goistozo no pal xv pornofomos fazer um 69 e enchi a boca de minha esposa de porraflagrei minha tia peituda com consolo no cú eu dei uma mãoxvideo da sogra seduzindo o jenrro na noite de natalfoto de cafuçu com pau enorme de grosso e cabeçudoflagrei minha filha anal contoxiv padrasto peganfo aentiada sexso analnegao a maior rola do mumdo fodendo eledesmaiouflexionando caio no xvidedestraçada por dois paus pornodoido