Da senzala para minha cama, de escrava a baronesa XVIII

Um conto erótico de jornalista77
Categoria: Heterossexual
Data: 04/03/2015 20:11:07
Nota 10.00

Raquel estava grávida. A notícia me pegou de surpresa, mas, ao mesmo tempo, me encheu de alegria. Minha negrinha me daria um filho, um lindo moreninho ou moreninha e meu amor por ela aumentou significativamente. Dormi esta noite abraçado a ela com Juliana por trás de mim. Na manhã seguinte, reuni os empregados da casa e fiz o anúncio. As reações foram de grande felicidade, afinal Raquel havia rompido as resistências iniciais de Virgínia e, agora, elas eram boas amigas. Juliana voltaria pra casa naquela tarde e prometeu fazer umas comprinhas para o bebê. Ela estava tão excitada com a ideia quanto eu. Após o café da manhã, saiu para passear pela fazenda com um destino: encontrar Bernardo. A garota queria uma despedida. Caminhou pela fazenda, foi até a senzala, a cabaninha onde ele fodia as negrinhas para colocar-lhes menino, o galpão onde se ensacava o café, o riacho e nada. Continuou andando e, de repente, sentiu um barulho em uma moita e foi até lá. Para sua alegria, encontrou Bernardo urinando, segurando aquele pau maravilhoso que tanto lhe dava prazer. Juliana se achegou por trás, de mansinho, e o abraçou, enlaçando seu corpo forte e suado, beijando seu ombro e segurando sua rola. - Posso te ajudar a secá-lo? Estava te procurando pela fazenda toda.

Sem esperar resposta, Juliana se ajoelhou na relva e beijou a rola, carinhosamente. Quando Bernardo terminar de urinar, ela abriu a boca e colocou a cabeçorra arroxeada dentro, saboreando a mistura do pau com a urina. Ele logo endureceu e passou a exalar um cheiro novo, mas igualmente delicioso para as narinas de Juliana. - Eu vou embora hoje, mas não podia ir sem levar teu gosto e teu cheiro comigo, meu macho delicioso. Meu cu está ansioso para sentir tua rola preta toda dentro dele - gemeu Juliana sem tirar o pau da boca. Chupou com gosto, sua boca salivava e muita dessa baba escorria pelo seu queixo. Suas mãozinhas punhetavam o restante do pau que ficava de fora e Bernardo revirava os olhos de prazer. Aquela sinhazinha chupava como a mais vadia das negras que ela já havia tido em seus braços. Juliana queria receber seu gozo na boca e ele a atendeu, gozando forte e mandando uma enorme carga de esperma para a garganta da menina, que deixou cair em seu pescoço e seus seios. Ela adorava ser banhada pelo esperma grosso, quente e viscoso do escravo. Em seguida, tirou o vestido e se deitou na grama, chamando-o para ela. Bernardo se deitou por cima e os dois se beijaram com paixão.

O corpo de Juliana ardia e ela precisava ser penetrada. Ela abaixou a mão até a rola e, verificando que já estava bem dura novamente, se virou por cima dele, sentando-se em sua virilha e posicionando o pau na entradinha do cu. Em seguida, foi descendo. O cu estava seco e doeu, mas ela gostava dessa dorzinha e sabia que logo passaria. A cabeça do pau entrou em seu reto e ela deu um suspiro profundo de prazer. Continuou descendo até sentir os pelos pubianos dele encostarem em sua bunda, ela estava toda preenchida, entupida. Apoiou-se no peito forte de Bernardo e começou a cavalgar. Ele a segurava com suas mãozonas e forçava a penetração, chupava seus peitos, beijava sua boca e ambos gemiam cada vez mais alto. Juliana iniciou uma série de orgasmos poderosos, que tiravam seu fôlego e a faziam ter convulsões. Bernardo também gozou, despejando outra carga forte de esperma dentro dela. Caíram na grama abraçados e ensopados de suor. Juliana o encheu de beijos, agradecendo por tanto prazer que ele lhe dera mais uma vez. Após cerca de duas horas juntos, a garota se vestiu e voltou para a casa, com o rabo ardendo e o corpo todo exalando o cheiro inebriante de sexo bem feito. Ao entrar em casa, foi direto ao banheiro com a intenção de tomar um banho. Porém, eu estava lá e, quando a vi, a abracei e a beijei, caindo ambos na cama.

- Que cheiro é esse no seu corpo e na sua boca, Juliana? Parece cheiro de esperma - disse. Ela ficou visivelmente envergonhada e começou a chorar. - E é, meu senhor, me perdoe. Eu estava com Bernardo e o esperma é dele. Não queria lhe trair, a Raquel me proibiu de vê-lo, mas é mais forte que eu - respondeu a menina aos prantos. - Você o ama, Juliana? Me responda com sinceridade - falei. - Não, meu senhor, eu amo meu barão. É meu corpo apenas que não resiste. Sinto um fogo subir dentro de mim, é algo incontrolável, selvagem, bestial. Quando sinto o cheiro dele, o beijo dele, quando vejo sua pele negra, brilhando de suor e do sol, meu corpo me obriga a me entregar. É mais forte que eu. Mas, ele só mete em meu cu, nunca na minha boceta. Por favor, me perdoe, não me mande embora - implorou Juliana. Em resposta, segurei seu rostinho e a beijei. - Jamais faria isso, meu anjinho. Eu prometi que lhe faria feliz e realizaria todos os seus desejos, lembra? Pois o farei. Peço-lhe apenas que tenha discrição, especialmente após nosso casamento, e não permita que ele meta na bocetinha para você não engravidar. Mas, se Bernardo lhe faz feliz, se você gosta da rola dele no seu cuzinho, ele continuará fazendo - Juliana me abraçou e me beijou com um sorriso lindo no rosto. Tiramos nossas roupas e começamos a nos beijar. A virei de bruços e vi muita porra saindo do seu buraquinho. Abri bem a bundinha, mandando que ela fizesse força para sair mais, e caí de boca, lambendo e engolindo aquele leite grosso. Depois, lambi seu corpinho inteiro, que ficava com um gostinho maravilhoso quando misturado ao gozo do negro e meti muito nela. Eu estava com muito tesão e a comi com gosto, gozando horrores dentro dela.

No final do dia, nos despedimos de Juliana com a promessa de ir à cidade em alguns dias fazer o pedido oficial por sua mão. Raquel a acompanhou até o carro, conversaram, se beijaram e a garota partiu. À noite, fomos para o quarto comemorar a gravidez. Me deitei na cama, esperando por Raquel que estava no banheiro. Ela voltou, usando uma camisola branca enorme até os pés. Estranhei aquela roupa, pois ela sempre vinha nua pra cama. - É uma surpresa pro meu sinhozinho. Mas, antes, meu sinhozinho me diz se é verdade que você bebeu todo o leite do nego Bernardo que saía do rabinho da Juliana - disse ela em pé em frente à cama. - É verdade sim, como você sabe? Ela te falou? - perguntei. - Falou sim. E disse que não foi a primeira vez. Meu sinhozinho gostou de lamber a porra do Bernardo? Quer que eu chame ele aqui pro sinhozinho lamber de novo? - perguntou de forma irônica. - Que conversa é essa, Raquel? Claro que não quero. Mas, gostei sim, é um gosto diferente, meio ácido meio doce. O cuzinho dela fica mais saboroso - respondi. - É gostosa mesmo. Mas, num vô chamá ele não. Meu sinhozinho é meu único homem - e tirou a camisola. Tomei um susto ao ver Raquel nua usando o cinto de castidade masculina que havia comprado. - O que é isso? Por que você está usando isso? - perguntei. - Meu sinhozinho pensa que eu esqueci da sua amiga piranha da capital? O sinhozinho tem eu e a Juliana, não precisa mais de piranha nenhuma. Hoje, vai ser seu castigo - pulou na cama para me beijar e começamos a transar. Raquel me virou de bruços e começou a lamber e chupar meu cu. Comecei a gemer de olhos fechados. Ela batia na minha bunda, me mandava rebolar e enfiava dois dedos. Subiu nas minhas costas e sussurrou baixinho nos meus ouvidos: - se meu sinhozinho gosta de lamber o leite do nego Bernardo, pensa que é ele que tá aqui - e enfiou o consolo improvisado na minha bunda. Dei um berro de dor e Raquel começou a meter. Alguns minutos depois, fiquei de quatro na cama e ela continuou as metidas. A dor foi diminuindo até que cessou totalmente e passei a sentir um prazer absurdo. Meu pau estava muito duro e uma onda crescente de tesão tomava conta do meu corpo até Raquel agarrar minha rola, punhetar um pouco e eu explodi em orgasmo. Formou-se uma poça enorme de esperma no lençol e caí por cima dela com Raquel em cima de mim. O pau dela permanecia dentro e ficamos juntinhos por vários minutos. Meu cu doía, mas meu pau, incrivelmente, não amoleceu e me vinguei: comi Raquel como nos tempos iniciais. Foi uma das melhores transas que tivemos.


Este conto recebeu 0 estrelas
Estamos testando um novo formato de votação. O ranqueamento será feito não mais pela média, mas apenas pela soma das notas oferecidas. As notas também serão apenas de uma, duas ou três estrelas. Isso deve evitar que haja quedas repentinas do ranking por conta de ataques por alguém que queira manipular os resultados. Se tiverem dúvidas, .

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
26/10/2017 13:26:38
Nossa... Que delícia!
26/10/2017 13:25:50
Nossa... Que delícia!
05/03/2015 08:29:18
Humm sera q o Bernardo vai comer o barao? Q delicia seu conto acompanho todos. continuacao bjus tesudos
04/03/2015 20:23:18
Cada vez melhor. Não fique sem publicar nenhum dia. É excelente.

Online porn video at mobile phone


Wwwx vidio .contirano cabaso preta giuolha meu pa ux videos gay caseiros atoladoconto erodico fodir com o namorado da minha amiga e ela chega na oratem muito casal que que quer gozados obedeçam e depois eles acabam se entendendoxvídeos minha sogra me tranca no banheiro e agarra no meu pau bem gostosobucerudas branca vs negacasadoscontos/filhinhachantagiei minha comadre contoscontos eiroticos leilaporncontos sissyporno de professora na forretaconto de incesto quidado do pinto do meu filhocontoseroticos/mulherdopastormulequinhos punetandofiume porno garoto senti tezao pela crentinhacafusa cavala mostra bucetabatendo uma ciririca pra amiga fandoa esporrasexoconto erotico da minha filha de14travestis dominadora fez homem casado virar mulherzinhabonezinho da bucetinha bem pequenininhacontos pornô, o velho tarado da ruavídeo pornô de gay malhadão Kuduroxnxx porno gey contos eroticos novinho pegando priminho no riachoMuitasex .com gaby pornolcache:rO62MIJ2GwQJ:zdorovsreda.ru/texto/200906664 foto pai fudendo com filha filho fudendo com mae e irma todas meladinhas com bastante punhetada e gozada na caravovoda bucetablevei minha esposa num glory hole conto realxvideos ciririca de calça flexXvideo nao sabia que aquendaria aquele mostro no meu cusinho vou contar como foicabecudo guspinno porramorena vai tocar campainha na casa do negao careca e fode com elexvideos mulher bunda grande gostosa da mulestraconto erotico mendiga novinhamenor semdo fodida dormimdo x videoteem calça jeans justo magrinha pornocasaraoxvideoscrossdresser saindo montadacalcinha rendada minha mãe que me iniciouxividio. vai maxuca meu cuContos erotico gays moto boyvelho insiste até rapaz com mussarela no pornôdotado dando leite pra esposa gostosa do corno que tomatudoporno sublinho sentadono nocolo da titiaContos eróticos procurando aventura no clube de campoenfiando cassetete de policia no cu ate o talo no xvideocasa dos contos gay brincando de se escondecontos/perdi o cabaco muito tardeforsei minha madrasta a fuder panteraschoramuitoxvideoscontos eroticos primeira vez depois de velhocasadoSou coroa casada os mulekes rasgaram minha calcinhavideos de sexo mulhe sai pra ir pra kademia e vada o cu e chupa rapidibhocontos - traí meu maridowww casa do contos filha e netinha commulher passa margarina ela pelada e no cu bem gostosoconto erotico gay cunhadosSEXO CONTOS EROTICOS CUNHADINHA E CUNHADINHA.a cadela aguenta meu pau todinho zoofiliaadorei picao do papai na minha bucetinhavideos emprestei minha esposa gostosa para um amigo dotado 2017sangue suor lagrimas tortura pornoContos erotico gays moto boyxvideos shantageou a irmã,gostosaxisvido filha bricano co paimentendo o pepino na buceta e no meu rabao contosxvideos cazero.chuponas. coroa. sebosacontos eroticos primeira vez depois de velhocasadoeu confesso minha esposa voltou toda arrombada e gozadaXVídeo mucama transando com feitorpicudão fudendo uma xoxota apertadinhacontos pai sangue do cabacocontos eroticos estuprada pelo meu cunhadover videos de travestis dotadas acariciando o penis dentro da roupapornô sogro troca carinho com amora no celeiroporno escola inspetor e alunoXvideo.meninas.nemor.violada.dormido.figidoalguma coisa mais humilhante do que pegar você pelos cabelos enfiar no seu ânus e soltar um belo de uma bufabrasileropornozooMostrei a rola pra minha cunhada ela endoido falou que nunca tinha visto uma rla grandecontos eroticos tia bucetuda no onibus e menino casetudohomem fudendo a egua poneicontos erotico da irma batendo punheta no irmao machucadoxvidioae cpm filho pronoxvideos mostrando pinto pra sobrinha inocentemagrinha quartuda pordo doidoMadrasta maliciosa cornoConto minha mulher chegou com buceta toda esfoladaxvidio com ruiva de cabelo cacheada sutiao azulhomem metendo a pica no c* da Ravena