As Crônicas Bizarras - Seduzindo e Transformando Minha Mãe

Um conto erótico de zezãomutema
Categoria: Heterossexual
Data: 05/05/2013 06:16:25
Última revisão: 07/01/2014 22:05:40
Nota 9.91

Esta é uma homenagem a minha maravilhosa mãe, Dolores, uma mulher que ao despertar de sua vida para o sexo, ficou linda e tesuda e a todas as demais mamães que nos enchem de desejos e fantasias!!

Minha casa naquela época estava aquele espetáculo, uma delicia e eu continuava só na punheta a observar minha tesuda Mãe e Tia Avó. Não aguentava mais a ver toda aquela ginástica e elas ficando cada vez mais bonitas e tesudas. Ainda não tinha posto meu plano de sedução em prática, mas a gota d’água da provocação ocorreu semanas depois, quando a soberba Tia Rosália teve de viajar para a casa de um de seus filhos no interior, deixando eu, meu pai que também mal parava em casa, e minha apetitosa Mãe totalmente a sós.

A propósito, meu honrado pai, também havia ficado estupefato com a saúde e volúpia de sua nova esposa,não sabia que ela poderia ficar tão boazuda. Ele é claro, tentou dar em cima dela, mas Dona Dolores sempre o evitava. Cheguei a presenciar uma cena bizarra onde meu pai tentou agarrar a força sua esposa na cozinha. Vi o coroa puxar o pau duro para fora e tentar transar na marra.

Foi uma cena bárbara ver meu pai de picão duro para fora apontando para sua gostosa esposa e ela ao ver não teve dúvida. E foi neste instante que minha mãe o rechaçou com um belo tabefe em cheio na cara, que o jogou no chão, foi daqueles bofetões de estalar, e não foi só, ainda falou para ele deixando as coisas bem claras a partir daquele instante:

- Estas vendo este corpaço que eu tenho agora!... Essa bunda linda!! Não a terás nunca...Não preferiste as rameiras das tuas secretárias...pois agora vá procurá-las E guarda esta bela porcaria dura ridícula. Não quero saber dessa piroquinha de araque! Era o que ela em brados falava a ele o humilhando.

Disse ela a indicar sua bela forma. E assim foi, meu pai também com tesão tentando tirar uma casca de sua esposa, mas não conseguia nunca, ficava chupando dedo. Inclusive nesta época eles, mudaram de quarto, cada um tinha o seu e mamãe não tinha a menor intenção de ficar com ele. Só não se separava para não dar o gosto de ter que pagar pensão e dividir sua fortuna com seu marido. Minha mãe que era também professora deu uma de esperta, foi escondendo e aplicando aos poucos no exterior sua grana que só crescia com os investimentos que ela fazia.

Com a casa sem ninguem e com sua tia viajando, minha cobiçada mãe dispensou o serviço das empregadas. Resolveu que ela mesma naquela semana iria se exercitar arrumando a casa, e esta tarefa a manteria muito ocupada. Também naquela semana a sós uma nova transformação iria iniciar, pois minha mãe começou a sentir carências, principalmente sexuais. Isto aconteceu justamente após a investida de seu marido. Apesar de repulsá-lo, ela ainda tinha tesão e afinal de contas ele era seu esposo, Dona Dolores ficou com seu subconsciente com aquela visão de seu próprio marido de pau duro para fora tentar agarra-la, mas prometeu a si que jamais daria este gosto a ele.

Foi então, que em uma bela manha, após sua habitual ginástica, vi minha mãe se dirigir aos aposentos das empregadas. Fiquei curioso em pensar o que ela estaria fazendo lá. Ela não tinha o habito de ir ao quarto das criadas, ao contrário elas sempre vinham ao encontro de minha mãe. Mas quando saiu de lá levei mais um belo susto e imediatamente meu pau se alargou. Aquilo era o limite do insulto, minha gostosa mãe saíra de lá vestida com os trajes de roupa das domésticas.

A Surpresa foi ainda maior, pois a roupa mal entrava nela, os grandes dotes de Dona Dolores impediam que ficassem direitas. A roupa estava extremamente apertada e curta, era um vestido preto de saia plissada que ficava acima das suas enormes coxas e quando Mamãe se virou observava-se amostra boa parte de sua carnuda, redonda e imensa bunda, onde podia ver até as calcinhas rendadas enfiadas no seu rego. Na frente havia um avental branco de renda que ela colocara para não deixar amostra sua volumosa e cabeluda buceta, que eu até então ainda não conhecia. A parte de cima era pior, a camisa de renda não fechava toda, s’’o iam até a altura do umbigo, pois suas tetas eram descomunais e tão grandes que não deixavam fechar o vestido. Assim todo o decote ficava aberto e aqueles peitões estrondosos praticamente de fora.

Para completar o quadro, meias brancas trespassavam as pernas taludas até os joelhos e terminava naquele soberbo par de tênis brancos com bicões. Na cabeça estava recheada por uma bela toca em formato de fita cheia de rendas, encarnando a típica doméstica francesa.

Assim, vestida ou fantasiada de empregada, em uma roupa talvez duas vezes menor que seu atual manequim, minha adorável genitora pegou seu material de trabalho, balde, sabão, esfregão e dirigiu-se para limpar a cozinha. Não acreditei no que via, minha mãe trajada de criada, numa roupa esbagaçada de apertada e pequena, que deixava todo seu corpaço amostra. Foi o ápice da provocação, já estava de pau duro de novo, pronto para bater mais uma punheta para minha venerável senhora.

A segui até a cozinha onde vi Mamãe ajoelhando-se ao chão com o esfregão ensaboado nas mãos começando a limpa-lo. Nada poderia ser mais sublime ou mais devasso, era uma loucura ver aquelas gigantescas polpas de sua dura e monumental bunda de fora, um bundão de fora, dava para ver a calcinha e sua bucetona estufada. Imaginei por um instante o cheiro daquela buceta até então pouco usada e aquelas esplendorosas coxas em um vai-e-vem frenético a esfregar os ladrilhos.

Chegando na cozinha já de pau duro e ao me ver ela disse:

- O que estás fazendo ai de pé a me olhar e o que significa essa ereção nas calças? Vá dar um jeito nisso!!!

Disse gritando minha adorável mãe ao perceber meu pau duro, mas sem notar que estava ereto para ela. Prontamente atendi a sua ordem Mamãe. Antes como disse deveria tê-lo ali posto para fora!

Dirigi-me a uma janela lateral continuei a olhá-la, peguei meu pau, pus para fora e comecei a bater mais uma bela punheta ao ver minha tesuda mãe a chacoalhar suas tetas que oscilavam feito os ubres de um legitima vaca holandesa e ainda quando ela sentava apoiando o bundão nos calcanhares era indescritível. Aquela sentada com aquele bundão era uma cena libidinosa. Os tênis se amoldavam como se quisessem entrar naquele enorme rabão de Mamãe. Imaginava meu, pau que a esta altura estava duru e bem avolumado entrando naquele cuzão. Batia uma punheta olhando para aquela coroa tesuda com aquela imensa bunda praticamente amostra. Aquela roupinha ridícula estava possuído e no maior tesão. Ela mexia aquele rabo e aqueles tênis quase se enterrando naquela linda bunda. Ao imaginar aqueles tênis entrando naquele cú não resisti. E ao ver aquilo mais uma vez não me contive e gozei alucinadamente vendo com devassidão e desejo a bunda gostosa, suada e ensaboada de minha Mãe.

Resolvi que era hora de provocá-la, mostraria a ela que o mundo não seria apenas casa e religião. Colocaria naquele mesmo dia em prática meu plano de fazer com que Dona Dolores tivesse contato com todo material erótico e pornográfico possível, desde livros, leituras, revistas, anúncios de tudo. Se desse certo mais tarde seriam os vídeos, com conteúdo leve, até finalmente faze-la assistir as mais terríveis perversões. Iria começar naquele dia mesmo, estava decidido e tudo seria bem devagar, homeopático para que quebrasse aos poucos seu moralismo hipócrita e os conceitos religiosos que ela ainda preservava. Assim eu mudaria os rumos de nossa casa e minha mãe aos 50 anos seria transformada mais uma vez.

Como estávamos sem empregada e ela arrumando a casa montei meu ardil. No dia seguinte deixei em meu quarto revistas com conteúdo adulto. Contos de sexo, revista de casais transando, quadrinhos eróticos com muita fantasia sexual. Coloquei-os sob minha cama bem visível e fiquei vigiando. Naquela mesma manha ao vir arrumar meu quarto mamãe viu as tais revistas e se indagou, - O que é isto? Curiosa e ao ver as capas sugestivas sentou-se à beira da cama e cruzando as taludas pernas se pôs a folhear as revistas. Ao ver e ler o conteúdo vi Dona Dolores fazer a maior cara de espanto, sua reação foi típica ao colocar a mão no rosto. Estava ela a folhear uma revistinha onde uma senhora, chupava e depois levava uma enorme vara na buceta. Olhou tudo com cuidado e surpresa. Após viu que havia as outras estórias e textos e a curiosidade havia comichado e num ato súbito pegou-as e levou para seu quarto.

Então eu fiquei curioso. O que ela faria, jogaria fora, as leria o que aconteceria? Quando acabou sua função na casa, Dona Dolores foi para seu quarto dar vazão a sua indiscrição. Mamãe fora folear e para minha surpresa a ler todas as revistas cheias de pornografia. Fiquei de boca aberta e Ela chocada com o que via, mas naquele momento senti que ela se interessou e que poderia sero inicio de tudo. Após ela ler sorrateiramente foi ao meu quarto e as levou de volta.

Ao mesmo tempo em que teve contato com pornografia, os remédios que ela tomava para manter aquela magnífica forma começaram a fazer seu devasto efeito colateral. Só então com tesão minha adorável e boazuda mãe começou a sentir algo indescritível dentro dela. Os remédios que havia trazido da Ásia e que a tornaram gostosa daquele jeito desencadearam aos poucos uma mudança em seu modo de pensar e o tesão começou a incomoda-la.

No dia seguinte, para ter certeza de que eu estava correto, preparei uma nova surpresa para minha bela mãe. Deixei de propósito uma revista grossa com casos verídicos de confissões e estórias de leitores sobre suas aventuras sexuais. Tinha de tudo, desde casos de infidelidade cuckolding, sodomia, casais swingers, menàges a trois, lesbianismo. Mais uma vez ela leu tudo.

Assim foi, após um mês de muita ginástica surtindo efeito e com minha tia avó ainda viajando, vi o interesse de Dona Dolores despertar ao sexo. Na sua hora de folga ao invés de ir rezar, ou ir à igreja, minha mãe francamente havia mudado de hábito. Dirigia-se ao quarto para ler revistas adultas, revistas de sexo. Leu de tudo e cada vez coisas mais e mais pervertidas, revistas de sexo entre casais, sexo anal, dupla penetração, orgias... de tudo que fez definitivamente mexe-se dentro de sua cabeça e libido, mas nada ainda extremamente devasso.

Certo dia achei que era o momento correto, esperei que ela retorna-se da ginástica toda suada e entrei em meu quarto de súbito e a flagrei lendo folders de sex shoppings.

Minha mãe boazuda mais do que nunca, mas ainda com pudor, levou um susto tão grande que instintivamente jogou as revistas para o alto e balbuciando disse que não tinha mexido em nada. Naquele instante eu a fitei nos olhos e disse.

- Mamãe eu sei que toda manhã você vem ao meu quarto para ler estas revistas nada discretas!

Abaixei-me recolhi as revistas do chão e coloquei em suas mãos de volta e disse ainda:

Leve-as para seu quarto, podes ler todas, és adulta e bonita. Sexo não morde e nem é pecado, brinque e leia tudo! Tenho muita destas revistas podes ler o que quiser, fique a vontade!!

Surpresa com minha atitude e eu mais ainda com a dela, mamãe me agradeceu e levou as revistas para seu cômodo. Então naquele dia sabia que os freios tinham sido rompidos. Minha tesuda mãe entrara em contato de fato com o sexo. Perguntava-me de como uma mulher tão gostosa e naquela idade poderia não imaginar nada sobre sexo. Pensei até que talvez ela jamais tivesse tido um orgasmo. Meu pai bem que tentou, mas ela não quis. Agora Dona Dolores estava vendo e desperta que aquilo não era nenhum bicho de sete cabeças, muito embora ainda achasse que era pecado. Ainda teria muito trabalho pela frente até romper seus laços morais totalmente.

Mas o que também e muito colaboraram foram a forma física e os estimulantes que tomava que ao mesmo tempo em que fortaleciam seu corpanzil a deixando extremamente boazuda, elas alteraram o comportamento de minha mãe. Aos poucos aquela mulher cederia e se transformaria em uma magnífica PUTA.

Mais alguns dias e os hábitos de Dona Dolores estavam realmente mudados. Ela sem notar havia aos poucos se transformado mental e fisicamente. Quando as revistas acabavam e minha Mãe tinha vergonha de ir compra-las, ela me pedia para ir a banca obter novas e eu aproveitando da situação comprava conteúdos cada vez mais picantes. Mamãe passou a ter acesso a sexo interrracial, ela jamais havia visto uma pica preta e quase morreu de tesão ao ver, zoofilia, sadomasoquismo, sadismo e tudo mais. Ela estava adorando e ficando louca de tesão. Ela não conseguia tirar da cabeça aqueles lindos picões pretos, ficava com um tesão incontrolável e ate inveja ao var aquelas mulheres nas revistas chupando e se entregando a um soberbo cacetão negro. Aquilo para ela foi demais e sua vontade foi só aumentando. Mal sabia que sua tara em breve seria atendida e minha mãe se entregaria totalmente as varas de negros bem dotados.

Via as revistas dia e noite e se matava na academia em exercícios, estava forte e inteiraça, cada vez mais. Certa manha ao esfregar como de costume seu óleo antes da ginástica minha mãe percebeu que ficou toda arrepiada, aquele ato de passar creme percebeu que o que sentia era tesão. Ao sentir isso se matava fazendo ginástica e levantando peso para não pensar naquilo.

A tarde, naquele mesmo dia deu para minha mãe ler o livro Taboo, um livro erótico pornográfico recheado de situações incestuosas entre os mais diversos membros de uma família. Dona Dolores quase morreu de tesão sem saber o que fazer, estava subindo as paredes. Resolveu então voltar para academia e malhar feita louca. Dançou, fez fitness, esteira, bicicleta, levantou peso e nada. Com aquela história picante na cabeça, sentia o meio de suas pernas como se tivesse um vulcão prestes a explodir. Estava excitado além do normal, clitóris duro e buceta inchada.

Voltando para seus aposentos tomou uma ducha fria e foi se deitar com as portas e janelas semi-fechadas. Ao ver aquilo, achei estranho, pois ela não tinha o habito de deitar-se aquela hora do dia e fui ver se estava tudo bem. Entrei em seu quarto, e minha mãe com uma camisola semitransparente e deitada em sua cama me atendeu. Ao notar meu vulto na porta, lembrou-se do livro onde são descritas cenas de incesto entre mãe e filho ficando toda arrepiada. Sem saber perguntei-lhe se estava tudo bem e se precisava de algo e ela respondeu:

- Estou com muito calor, um calor insuportável, sinto uma sensação de sufoco e ardência interna. Não sei o que faço para acabar com isto é como se estivesse com febre um calor me sobe nas pernas e desce.

Percebendo claramente do que se tratava fui direto ao assunto e disse a ela:

- Mamãe tu não sabes, mas eu sei o que estas sentindo, tu estás linda e bela, melhor que muita menina que eu conheço, teu corpo bonito deste jeito está te implorando para ter um pouco de prazer... É igual às revistas que estas lendo precisa te divertir, teu corpo precisa de um pouco de deleite próprio!

Ao dizer isto ela me retrucou curiosa e perguntando ingenuamente - Mas como posso resolver isto? Não vou voltar para teu pai de jeito nenhum! Exclamou a coroa boazuda.

Disse então: - Mamãe, a senhora não precisa só de ginástica. O que a senhora no mínimo precisa é se masturbar ou arranjar um homem como as mulheres das revistas e dos contos!

Aquela Senhora apesar de tesudíssima, ainda era recatada, jamais havia feito aquilo. Mal ela saberia que faria coisas ainda muito... muito piores. Naquele instante ela até se ofendeu ou pareceu estar injuriada. Disse que não era mulher dada àquelas coisas e que o que sentia sobre o assunto era só curiosidade.

Retirei-me do quarto e ainda disse a ela, que então ficasse com seu calor. Fiquei após partir sondando. Passou-se um tempo e vi que ela adormeceu em um sono bem agitado. Pensei que nada iria acontecer, mas em um determinado instante quando acordou tudo iniciou e pelas frestas da porta assisti.

Ao acordar e estar ainda naquela aflição, aquele calor minha mãe estava ainda com aquele calor no meio das pernas e lembrava do que eu havia lhe dito, masturbar...masturbar...masturbar...aquilo ficou ecoando em sua mente. Então já em devaneios, voltou a lembrar de uma das cenas do livro, onde dois primos-irmãos em presença da mãe de um deles fodem. A coroa se masturba a olhar seu filho e sua sobrinha a transar. Este episódio na mente e o calor sentido aos poucos minavam sua consciência.

Naquele instante minha linda mãe abriu seu hobby, pondo amostra aquele seu corpaço, pegou em sua cabeceira um creme hidratante e passou a massagear-se, alisou suas gigantescas tetas, descendo até seu ventre e finalmente tocou em seu clitóris saltado, duro e enrijecido Quando o tocou foi como tivesse levado um choque... um arrepio intenso e profundo atacou seu corpo...ela continuou a dedilhar abrindo suas pernas...então pela fresta da porta vi pela primeira vez uma rica buceta, negra de cabelos que ritmicamente minha mãe passou a esfregar. Seu clitóris intumesceu feito um dedo de 2cm, como um pequeno pênis.

Que loucura era ver aquela coroa tesuda mexendo em sua enorme buceta, os lábios da vulva eram inchados e carnudas, eu não agüentei e pus meu pau para fora e comecei também a bater uma solene punheta olhando para minha a boazuda de minha mãe.

Mamãe contorcia-se de prazer e virando de bruços, colocou aquela magistral bunda para cima e enfiou de vez as duas mãos em sua buceta suplicante. Subia e descia sua bunda imaginando a cena devassa dos primos a fuder... Estava de pau duro assistindo aquilo e continuei a bater punheta cada vez mais forte.

Via que minha mãe iniciou a masturbação e que o tratamento realizado começara a fazer mais efeito na coroa. No mínimo ela imaginava as cenas devassas dos livros e nas fotografias daquelas mulheres sendo varadas por enormes falos rosados, e negros. Isto foi demais para Mamãe que passou a gemer descontroladamente naquele infame momento

Eu na punheta assistia elar naquela posição imaginando-a com um imenso varão ao lhe enfiar um picao grosso e taludo no meio de suas pernas. A coroa não agüentou muito. Eu na porta sem saber o que ela estava queria ir ali e enfiar meu pau gordo na boca daquela coroa safada. Não suportei e gozei feito um louco enchendo o corredor na frente da porta do quarto de minha mãe de porra.

Em pouco tempo minha mãe também gozou, e gozou muito, nunca tinha tido um orgasmo tão intenso, nem reparou que gemia alto de prazer em ter sua buceta escorrendo e pingando gozo...estava toda molhada e eu via deslizar pingos de gozo das pernas da minha mãe. Fiquei louco de vontade de ir lá, cheirar a intumescida buceta e lamber seus restos. Não aguentei e quase desmaiei de prazer profundamente também...

Após se masturbar mamãe notou que o excessivo calor havia se dissipado um pouco e viu que só ginástica não resolveria agora seu problema. Dona Dolores concluiu onde poderia estar o pecado naquilo, não passava de um ato de satisfação pessoal, então porque se martirizar. Se o prazer era um dom então que se usufruísse, e assim completou, se o calor apertasse e a ginástica não resolvesse ela iria mesmo se masturbar...masturbar...masturbar...

O tratamento feito para melhorar sua forma e beleza acordaram a libido de Dona Dolores e também surtiram inconscientemente outro efeito em minha Mãe. Ela passou a ser mais tolerante e liberal. Foi naquele dia que resolveu mudar de vida, mas nem eu e nem ela saberíamos na verdade o tanto que esta mutação iria acabar e de uma recatada e tesuda senhora, nasceria uma gigantesca e tesuda PUTA, minha própria mãe.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
16/09/2019 21:13:59
Adorei isso é bom demais continua assim
10/01/2014 16:48:21
Adorando ver o desenvolvimente dessa história, da luta interna da dona Dolores, mas é óbvio que ela vai se render aos desejos do seu corpo. Ansiosa por ver « os grossos picões» invadindo essa boceta cabeluda . Beijinhos, meu lindo.
05/01/2014 10:17:01
Pô, cara, que saco de convenções inventaram na nossa sociedade. Esses tabus todos, obrigando a gente a se masturbar, qdo a galera seria muito mais feliz fazendo sexo sem culpa. Tbem me masturbei à beça com esses lances de proibido. O conto está maneiro. Só não achei legal chamar a mãe de puta. Agora vou ter que ler o resto, brother! Deizão!
08/11/2013 16:59:02
Mamãe tesuda, virando Puta, filho de pau duro e com tesão uma combinação explosiva!!! Vai acabar em incesto. Bem redigido!! O que é raro por aqui. Ótimo, vale 10
27/10/2013 20:52:11
Repito tudo o que disse no comentário anterior e acrescento uma observação: não se abata com notas baixas, aquelas que não têm justificativas, que você sabe, não merece. Há muitas pessoas no site peritas em tentar desqualificar textos maravilhosos. O ser humano, infelizmente é assim. Considere os comentários substanciosos. Parabéns. Mais uma nota dez.
10/08/2013 09:30:36
Zezão, foi confessar, lendo este e o primeiro tive que pegar meus brinquedinhos para ter um ótimo orgasmo. Sou coroa mesmo, tenho 55, mas ainda tenho meu corpo em forma e bem rechonchudo. Tem muito marmanjo que torce o pescoço pela minha bunda. Obrigada pelo conto. Escreva mais para esta coroa aqui. Senti-me como a Dona Dolores.
10/08/2013 04:41:56
Véio, mas que tara nessas tias? Gostosas paca! Eu ja tinha enfiado o grosso nelas. Espero que isso aconteça. É uma ficção ou conto diferente. Não tem nada de merda como disse um mané ai! Pode continuar, véio! Quero vervessa tesuda todas na vara.
20/07/2013 11:07:26
Querido se não te conhecesse tão bem... vou ser sua mamãezinha. Que tara em seduzir a coroa! Adorei!
15/06/2013 19:06:56
GOSTEI MUITO, QUEREMOS VER ONDE ESSA ESTÓRIA VAI PARAR. PARABENS
28/05/2013 14:25:25
delicia...
18/05/2013 04:52:41
Estou providenciando a continuação - Os Consolos de Dona Dolores ...Depois o inicio de sua vida desreegrada com a Vinda de seu primo e cunhado...Calma, vou postar em breve...
17/05/2013 13:53:36
manda o terceuro logo pra nao perder o embalo muito bom
15/05/2013 00:57:31
GOSTEI MUITO DO SEU CONTO , NOTA 10 ,ENTRA NO BATE PAPO DE SAO PAULO http://batepapogay.xpg.com.br/
12/05/2013 13:56:23
boa contiunua que ta otimo
12/05/2013 02:27:57
po ta bom demais continua cara gostei
12/05/2013 02:27:16
continua cara muito bom li os dois gostei muito
09/05/2013 21:08:12
É isso ai colega! bola pra frente! Pode continuar que vi que tens talento. E nós os outros tantos que lemos queremos ver onde isso vai parar! Espero na buceta gostosa da mamãe! Com todo respeito. Esse caras que ficam ai só criticando é que são os verdadeiros merdas do site! Pode seguir colega!!!
08/05/2013 01:20:30
Obrigado pelos comentários, A coisa é democrática,. Lê quem, quer, comenta quem pode,. Vota quem quiser. E toda forma é um estimulo para escrever e melhorar. Valeu. Agradeço a quem reconhece.
07/05/2013 04:12:10
PQP, que merda!
06/05/2013 18:48:58
Querido concordo com a Letí, se chegasse lá e mostrasse seu pau durão pra ela acho que ela não is aguenta, nem sendo sua mãe. Se fosse pra mim caia de boca. Continue e coma ela logo, é claro que tua mãe tá louca por uma grossa pica na xana. beijo e nos conta viu??

Online porn video at mobile phone


porno abordado da égua rapazvidiopono mulher bica teresolvi trair meu marido mas me arrependi o negro tinha o pau muito grande e não aguenteivizinha dentro.de um chacara de cafe xvideosCONTO CHEIRANDO CALCIvideo cazeiro novinha levando pica do painho em baixo da cobertaMeus amigos me foderam bebada contosconto erotico comedor ousado faturou esposa fielminha tia lig pra minha e pede pra mim dormi na sua casa eu comi sua bocetagostosa midino pausao do negao e metemdo x videos.comcartigou sua neta amarrou ela e deu tapas na bunda pornoconto erotico de nora e sogro acanpandogostosa vou catucar sua bobaver vidio defilho meteno .na mae gozano na buceta delafudeno a vizinha em porno doodocontos irmas em onibus de viagem transa com passageiro para outro veConto erotico sou madura e consolo lesbicanegão explode bucetinha pau monstro video zoofilianovinha.Dado.abuceta.K10goistosa nuonibucontos eroticos sou filha única em casa so andamos peladosconto eurotico casal pescano com amigo beldofunk pancada novinha loirinha fudendo muito e meninas também cheirando muitosobrinha pega o tio com.papagaio na mão porno doidocasa do contos eróticos publicadosfilme porno onde um perfume despertava desejoela me contou que tinha sentado na rola grossavideo de sexo de mulher fazendo sexo afussa com outra mulherDavizinho gritando de dor com negão bem dotadoSOU CRENTE Fui encoxada no ônibusFoda agressiva ponodoidobunda redonda da coroa crente contos eroticoscontos arronbaram meu cuzinho de menininha virgemcontos eiroticos leilapornHomem com pau grosso descabaça a filha dormindo contos eróticoscontos erotico surubaperdi minha virgindade para um caminhoneirotia se afoga com o pau do sobrinhocontos eróticos do irmao comeu a irma depois casamentopadrasto e intendenda gostosoTia de xana peluda e sobrinho metendo conto eroticovisitando sogro doente sexo quentewattpad contos incesto fui estrupada pelo padrastofiz uma foda bisexual com meu filho minha filha minha esposa meu caseiro sua esposa e sua filha contosnovinha chegou em casa e viu o padrasto comendo a vizinha ai ela comecou a provocalo dentro de cadameu padrasto me comeu e minha mãe participoucontos cornos fio terra pintinhocontoerotico eu namorada mae e tiobundas que mexem em cima do caralhoContos eroticos dei diazepam a minha enteadacadelas gozando no pau contoo meu padrato meteume o caralho na maoContos pornos-fudi a mendigahomen toma banho de coeca pica fica dura mundobichaCasa dos contos eroticos paguei pra deflorara filha do caseiro autor eduardoxvideo peguei a mãe e arranqueo cabaco da duas filhassubrinha olhando seu tiu nudançarino de funk transando de frango assadocontos eiroticos leilaporncontos eroticos garotinha com velhopatricia de faculdade gostosa gemendo muitoconto de genro que seduziu sogra casada e virou amantenovinia alizando sua bucetiniacontos socando ate o talo na cunhadinha novinha super gostosamenina do cabelo liso soltinhos peito com silicone no bumbum grande e as coxasxvideo.com.entrocadinhabucetinhaa. pequi nininhaFelipe e Guilherme- Amor em LondredRASGANDO O CU VIRGEM DE PATROAS VIDEOS BRASILEIRAS"virei mulherzinha" cadeiaarmei muito bem armado e conseguir comer minha esposa junto com outro macho pauzudoAssiriricas mais loucasnao sou gay dei o cu o caseiro minhs mulher conto