Continue Agarrando-se aos 16 - 21

Um conto erótico de José Otávio
Categoria: Homossexual
Data: 21/12/2012 08:52:16
Nota 10.00
Assuntos: Homossexual, Gay

• 21 – Fazer o certo

Ficaria difícil de desapegar daquela cena linda que se repetia quase todos os dias, em meu quarto ou no quarto dele. Era lindo o jeito que aquele Baixinho mimado dormia. Era lindo ver o quanto ele, realmente, estava mudado; Não só fisicamente. Estávamos dormindo de conchinha até a hora em que Eu me acordei. Pela primeira vez em minha vida, depois de meu relacionamento com o Walmir, Eu acordei primeiro que ele. Estava tentadora a vontade que Eu tinha de beijar aquela boca. Aqueles lábios me chamavam, porém Eu mesmo me negligenciava, pois achava que ele pudesse pensar algo errado. Mas aquela manhã Eu não consegui resistir ao seu charme. Aquilo era demais para mim.

Walmir dormia, como sempre, apoiado no braço esquerdo ficando de lado para mim. Virei-o de modo que ele ficasse de barriga para cima e me pus por cima dele, entrelacei meus dois braços em sua nuca e pressionei com calma aquela região. Grande parte do meu peso estava em cima dele e, aos poucos, ele foi se mexendo. Principiei a dar alguns beijos em suas bochechas e intensifiquei ao chegar a sua boca. O corpo de Walmir começava a responder com pequenos impulsos. Vendo que aquilo não fazia muito efeito, comecei a lamber todo o rosto dele. Sim, Eu inicie a passar a minha língua por toda a superfície de seu rosto e, rapidamente, ele começou a acordar.

– Para, Grandão! Para! – Ele pedia sorrindo da situação.

– Olhe que se for isso o que você quiser, Eu paro. – Walmir por sua vez não respondeu nada e Eu prossegui a lamber seu rosto.

– Se você quiser, pode me beijar. – Sussurrou em tom de súplica.

Eu, como num instinto, comecei a devorar/ massacrar os lábios de meu parceiro; Walmir gemia e se contorcia enquanto Eu fazia tudo àquilo com ele; ora beijava, ora mordia seus lábios. Em uma certa hora ele começou a se contorcer, gritar e arranhar meus ombros. Parei por um instante e observei sua reação.

– Você gozou? – Perguntei impressionado, me achando o cara mais ‘foda’ do mundo, porém com um pouco de culpa.

– Uhum... – Ele acenou, também, com a cabeça.

– Desculpe-me, Eu não devia fazer isso com você. – Minha consciência pesou e tudo o que Senhor Geraldo falou veio à tona – Seu pai deveria estar certo sobre querer te afastar de mim. – Walmir fez uma cara de incredulidade e reprovação. – Eu só te guio para o mau caminho, só te faço seguir o errado, te uso, abuso e você não faz nada comigo. Submete-se a tais situações...

– Se Eu me submeto a esse jeito de nos amarmos, é porque Eu gosto. Será que você não entende isso?

– Eu entendo, mas isso é ruim. Eu não te faço bem, Walmir. Seu pai sempre esteve certo sobre nós. Isso nunca irá para frente sem que...

– Por que você quebrou um clima tão legal como esse, José? A gente quase rompeu, ontem, e quando hoje estamos numa boa, você tenta desmanchar o clima. Isso foi um pouco chato.

– É que...

– Sabe o que Eu acho? – Balancei, em negativa, a cabeça. – Acho que você deveria parar de se importar com a opinião dos outros. Onde está aquele José-trator-inconsequente que Eu conheci há quase dez meses atrás?

– Nossa! – Exclamei incrédulo. – A gente já vai fazer dez meses, Walmir. Eu nem havia me tocado com a questão cronológica. Tantas coisas aconteceram. – Pus a mão em minha cabeça e comecei a bolar vários planos. – Vamos comemorar esses dez meses hoje?

– Como? – Perguntou-me na inocência. – Sem sexo, nojento. – Ele bateu sua mão em meu ombro.

– Que tal se a gente for à lanchonete? Fiquei sabendo que a irmã fez um curso de gastronomia e agora está fazendo algumas especiarias mexicanas. O que você pensa sobre isso?

– Quiero tacos! – Começamos a rir daquela piada e sotaque bem pronunciado que o Walmir proferiu.

– Se você quiser, Eu te dou um taco agora. – Falei apertando meu pau.

– Esse taco Eu só como depois do jantar. – Ele sorriu, apertou meu pênis e correu para o banheiro.

– Você está ficando muito ‘soltinho’, sabia? – Falei observando o quanto Walmir estava mudando. – De qualquer maneira, Eu vou começar a ajeitar os preparativos para esse jantar. Quero uma mesa bem longe dos olhares do povo dessa cidade.

– Eu também prefiro assim. – Depois de ter falado isso, Walmir me beijou e foi tomar banho em minha suíte.

Diferente dele, Eu não gosto da ideia de tomarmos banhos em banheiros separados. Logo, despi-me e corri para o Box. Walmir não notou minha presença e continuou tomando seu banho, já Eu cheguei por trás o encoxando; Agarrei-o pelo quadril e puxei para perto de meu corpo, nessa hora meu pau ficou ereto e começou a sarrar na entrada de seu ânus. Walmir apenas jogou suas mãos em minha nuca e sua cabeça para trás, encostando, assim, no meu peito. Ficamos nos movendo de um lado para o outro sem que houvesse a penetração. Aquilo estava bom demais, porém me levava à loucura. Ele ainda não estava preparado para mim. Eu sabia que precisa reconquistá-lo aos poucos. Por tal motivo, não prossegui com o ato, apenas continuei daquele jeito até ele parar e começar a me ensaboar. Ele pegou o sabão e a esponja e principiou a percorrer o meu corpo; começou no meu pescoço, peito, – dando ênfase aos mamilos. – abdômen e quando ele foi para a virilha, abocanhou de vez o meu píton. Enquanto lambia toda a cabeça, ele passava o sabonete entre minhas pernas. Aquele ritmo que ele mantinha em minha jeba, era alucinante. Ele fazia de tudo para não abocanhar e morder meu mastro. Eu achava perfeito o cuidado que ele tinha para comigo. Segurei em sua cabeça e comecei a ritmar as bombadas em sua boca para que meu parceiro não saísse machucado.

– Olha pra mim, enquanto você me mama. – Ordenei quase suplicando e puxando seu cabelo para trás.

Assim ele o fez, tal como o solicitado, olhou para mim enquanto tentava engolir todo o meu mastro. Ele já havia me banhado todo e Eu nem tinha percebido. Pedi para que ele parasse e então Eu fiz o mesmo processo que ele fez ao me ensaboar. Quando cheguei ao seu rego, virei-o de costas, dei uma bela tapa, de modo à região acertada ter ficado vermelha, e logo depois comecei a por minha língua em seu ânus. Aquela sensação era indescritível. Ter ele de quatro para mim era tudo o que Eu queria. Comecei a penetrar-lhe com os dedos enquanto ele gemia. O primeiro entrou sem muito esforço, o segundo fora algo mais trabalhoso. Eu tive que salivar e lamber muito aquela região. Quando o segundo dedo entrou, ele ficou gemendo demais, Eu sabia a falta que ele sentia de meu pênis ali, pois Eu sentia a reciproca por ele. Enquanto ouvia seus gemidos, quase chorosos, comecei a me masturbar e rapidamente gozei na perna dele. Continuei com as estocadas em seu cu, até que percebi que ele estava começando a gozar; suas pernas bambearam e quase que ele caia. Segurei-o em meus braços e liguei a água do chuveiro para terminarmos de nos lavar.

– Você é incrível no que faz, sabia? – Interrogou-me.

– Eu digo o mesmo de você. Sabe? Sou tão agradecido por você ter aprendido essas coisas comigo. É tão bom saber que Eu fui o seu primeiro.

– E Eu o seu. – Ele sorriu.

– Você sabe que não é bem assim, Eu já... – Fiz alguns gestos estranhos com a mão.

– Com outro homem? – Negativei. – Então, Eu sou o seu primeiro.

– E Eu quero mais que tudo que seja o único, pois Eu não me vejo ao lado de outra pessoa depois de que te conheci. Depois que começamos a namorar.

– Você é um Gentleman quando quer, sabia? – Ele sorriu, ainda em meus braços.

– Eu sou um fodedor. – Sorri e ele reprovou. – Você quer mais carinho? Não precisa fazer em mim.

– Não. Eu só quero descansar... Com você. E antes que Eu esqueça, preciso de mais roupa. Quero por minhas roupas em seu armário.

– Vou buscar o resto na casa de seus pais. Espero não topar com seu pai. – Pus Walmir no chão e suspirei. – Você não deseja voltar pra lá?

– Não acho uma boa ideia. Papai foi trabalhar e aposto que ninguém irá me dar o carinho que Eu preciso agora. – Ele sorriu, agarrou em minha nuca e beijou-me sem pressa.

Minha língua invadiu sua boca e a dele recebia minha língua em uma perfeita sincronia.

– Já volto! – Falei enquanto saia correndo em direção a sua casa.

Peguei as chaves de meu carro e zarpei até a residência dos Almeida Paiva. Toquei a campainha e, por incrível que pareça, fui atendido pelo meu sogro.

– Bom dia! – Saudou-me sem graça.

– Vim pegar algumas roupas do Walmir. – Sequer o saudei.

– Pode entrar. – Ele apontou-me o caminho do quarto de Walmir.

Sem que Eu o deixasse proferir mais alguma palavra, direcionei-me ao quarto do Baixinho e comecei a pegar algumas roupas dele. Pus as que ele mais gostava de vestir, para garantir, assim, que ele passasse mais tempo na minha casa que na casa dele. Ao descer, meu sogro, que estava sentado no sofá, fez um gesto para que Eu me sentasse do lado oposto e de frente para ele.

– Acho que precisamos conversar sobre o que aconteceu ontem...

– Nós não precisamos de nada disso. Graças ao senhor, quase que meu relacionamento ia pelo ralo. E esse não é o maior dos problemas. O senhor não sabe o quanto me doeu ver você machucando o meu Baixinho.

– Entenda-me que...

– Que, o que? Que o senhor nunca me quis como seu genro? Que o senhor acha que sou uma má influencia para seu filho?

– Não é isso, José. Eu só queria proteger o meu bebê. Só isso.

– O senhor só faltou bater no Walmir. E isso Eu não admito. Ou Eu te mataria, ou mataria a mim. – Falei abaixando a cabeça.

– Obrigado por ter afastado o Walmir de mim, ontem. Acho que você já tinha previsto o pior. O que me doí mais é saber que Eu o bateria mesmo. Os jovens da minha época eram criados assim, e Eu acho que...

– O senhor achou errado. Não se educa na base da pancada. Olha só no que meu pai me transformou, senhor Geraldo! Não queira isso para o seu filho! Não para ele.

– Mais uma vez, obrigado por tudo, José! – Ele levantou-se e tocou-me o ombro com duas tapas. – Acho que meu filho escolheu a pessoa certa para viver a vida dele. Uma pessoa que o protege. Pois o amor é isso: É carinho, respeito e proteção. E você está demostrando que o ama a cada dia que passa. – Levantei-me do sofá e apertei sua mão. – Poderia levar um recado para ele? – Acenei em afirmativa. – Diga ao meu filho que o amo muito, e que peço desculpas por tê-lo machucado. Não foi intencional, fora algo irracional.

– Se me der licença, preciso ir. E sim, mandarei esse recado a ele.

Peguei a mala de Walmir e dirigi-me ao meu carro. Em questão de poucos minutos estava em casa. Entreguei um conjunto ao Walmir e lhe informei sobre seu pai.

– Você foi paciente com uma pessoa ao menos uma vez na sua vida. – Ele sorriu, porém o reprovei.

– Vai querer fazer o que, hoje? – Mudei de assunto para que o clima não ficasse chato.

– Quero assistir filmes... De comédia, de preferência.

Em instantes, Walmir e Eu descemos para a cozinha e fomos arrumar nosso lanche: Uma bacia de pipoca e uma panela de brigadeiro. Pegamos alguns salgados (quitutes) e salgadinhos e voltamos para o meu quarto. Fomos assistir Todo o Mundo em Pânico – Até hoje Eu assisto e não me canso de rir. Pus o filme para rodar e Walmir começou a fazer uma massagem em meu pé. Não deveria ficar, mas, instantaneamente, me excitei. E Eu trajava apenas uma cueca samba-canção cinza com uma camisa de manga curta preta. O Baixinho entrou no meio das minhas pernas e continuou massageando meu pé e meus dedos. Quando já havia passado mais de quarenta minutos o filme, a mão dele começou a passear por minha perna e, como num impulso, induzi-o a tocar em minha virilha e logo depois em meu pênis.

– Como você consegue?

– O que? – Perguntei pondo a pipoca salgada, com manteiga derretida, na boca.

– Ficar excitado sempre que estamos juntos. Como consegue?

– É normal, Walmir. É isso o que acontece quando duas pessoas se amam.

– Então você me ama demais. – Ele falou me abraçando e se jogando em cima de mim.

Ficamos agarrados até que o filme acabou e fomos nos arrumar para ir à lanchonete que havia marcado mais cedo. Reservas feitas, casal pronto... Fomos direto ao nosso ponto de encontro. Assim que chegamos, fomos servidos com nachos e bastante molho de pimenta. Sim, Eu havia pago o rodizio de especiarias.

– Como você consegue comer tanta coisa com pimenta? – Walmir me perguntou levanto um nacho para a sua boca.

– Ah! Sei lá. Sempre fui acostumado a comer de tudo, então... – Nessa hora ele começou a sorrir. – O que foi?

– Nada. – Ele tentava se recompor. – Dizem que pimenta aumenta o apetite sexual. E você é um monstro na cama. Será que você vai aguentar dormir ao meu lado?

– Relaxa! Não vou tentar te estuprar a noite, Walmir. Não vamos fazer nada.

Fizemos mais um pedido e continuamos a comer, porém uma coisa ainda me incomodava.

– Quando pretende ir embora? – Walmir se engasgou, recompôs-se e tentou falar:

– Como você descobriu que Eu ia viajar, José?

– Eu te conheço, Walmir. Você não sabe fingir as coisas. Eu sei que, não importa o que Eu faça, você irá embora mais cedo ou mais tarde.

– Não precipite as coisas, está bem? Eu nem sei ao certo se vou, ou não. Eu amo você, José. Eu quero, mais que tudo, ficar ao seu lado. – Ele pôs a mão direita em meu rosto. – Por favor, me faça ficar!

– Eu estou tentando, mas você não me dá espaço. Eu, realmente, estou tentando. – Falei me permitindo chorar.

Continuamos comemorando nossos 10 meses (Porém ainda faltava uma semana para tal) e às 23h00min voltamos para casa. Walmir foi ao meu banheiro e pediu para que Eu tomasse no social. Fiz o que ele pediu e o esperei na cama, porém ele estava demorando demais. Então preferi dormir, de barriga pra cima mesmo. O sono foi tão pesado que até roncar, Eu percebi que roncava. Porém, na madrugada, fui acordado com Walmir me fazendo um oral que só ele sabia. Meu sono, antes pesado, fora sumindo aos poucos. Apenas me permiti jogar a cabeça para trás e curtir aquilo o que ele estava fazendo. Aquela boca aveludada e quente cobrindo toda a extensão de meu mastro, sim, pois dessa vez ele, com muito esforço conseguiu colocar tudo na boca. Seus movimentos intensificavam-se na cabeça do pênis e logo depois descia até a base. Às vezes ele retirava meu pau da boca e me punhetava, ora ele chegava a lamber até os testículos. Em questão de vinte e cinco minutos, gozei na mão dele e ele sorriu e, deitando em meu peito, disse:

– Como você segura uma ejaculação por tanto tempo?

– Prática e genética. – Sorri para ele e ele me fitava sério.

– Vou me levar e voltar pra cá. – Beijei-o a testa e deixei-o ir ao banheiro.

Rapidamente ele voltou e dormimos junto. Ele em meu peito e Eu afagando os seus cabelos. Às vezes ele beijava e mordia meu bíceps e Eu apenas sorria. Eu lembrava, enquanto dormia com ele, que as pessoas diziam que depois de toda a tempestade vem a calmaria.


Este conto recebeu 0 estrelas
Estamos testando um novo formato de votação. O ranqueamento será feito não mais pela média, mas apenas pela soma das notas oferecidas. As notas também serão apenas de uma, duas ou três estrelas. Isso deve evitar que haja quedas repentinas do ranking por conta de ataques por alguém que queira manipular os resultados. Se tiverem dúvidas, .

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
22/12/2012 07:38:24
amei
22/12/2012 01:55:23
Cara pra q dedos se vc pode usar um OUTRO INSTRUMENTO(se e q me entendi kkk)(sorte a do walmir pq eu to na seca a 2 messes sem fazer pelo menos um oral, estou subindo as paredes de ponta cabesça, numca bati tantam punheta na minha vida, e ainda na minha adolescencia ate a buzina de caminhao me escita. estou no ponto critico!!!). Ja q a Nanny nao tem condiçoes, vcs sabem como e avos corujas, e so deixar por um tempo com eles ate vcs se sertificarem q a criança possa se instala na casa de vcs.
21/12/2012 22:54:00
Esse conto já estabilizou o relacionamento um pouco, se não fosse o diálogo com o pai do Walmir só teria sequissu hahahahaha. Vocês estão cuidando da filha dá Nadine? Se sim seria uma boa idéia dar um irmão a ela. Então se ano tiver um conto antes do Natal, Feliz Natal a vocês e toda sua família! HoHoHo... Docinho se não engano sao 5 anos
21/12/2012 18:02:45
A quanto vcs estão juntos? me perdoe a indiscrição sou uma pessoa muito curiosa
21/12/2012 13:13:25
Ufa! Já chegamos na metade do dia e o mundo não acabou(tive até pesadelo). Ainda bem que deu tempo pra ler mais um pouquinho sobre vocês, sabe José, a maioria das vezes te acho um cabeção, mas eu juro que te adoro, afinal quem não tem defeitos, né?! Eu tenho um mooooonte, cê não disse se vai ter mais uma parte antes do natal, se não tiver, desejo a vocês um FELICÍSSIMO NATAL!!! E baixinho do meu coração, coma muuuito peru, faz um bem danado pra pele!!!rsrsrs...
21/12/2012 12:55:14
Muito lindo, adoreii.
21/12/2012 11:07:33
muito bom, voces sao fofos junto e o amor de voces é lindo , continua logom
21/12/2012 10:48:56
vcs dois juntos é lindo, e acho que mais uma criança para vcs seria maravilhoso bjs
21/12/2012 09:11:56
Sorry, pessoal! Esqueci de "responder" a alguns comentários de vocês, por isso, hoje, será em forma de comentário: Jhoen Jhol - Radiante de alegria diante de tal situação? Mano, Eu provei, mais uma vez, que Eu amo esse Baixinho FDP e que nunca (Depois daquela vez com a Nanny) o trai. Porém, uma problemática maior a se levar em conta: A garota não tem condições para cuidar do filho só, pois a parceira dela a largou. Logo, Walmir e Eu estamos pensando em adotar a criança. Seria legal mais uma criança em casa, não achas? Docinho21 - Eu também digo isso a ele. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK foguinho99 - O Baixinho ama seus comentários, aliás, o de todos os leitores. Além do mais, Eu concordo com o senhor na maioria das vezes, não posso mentir. ¤netinho¤ - Amigão, obrigado pelo teus comentários, velho. Tu sabes que foste muito importante em momentos tão bons da minha vida, né? Vocês, leitores, me inspiram. Jhonnycash - Só posso dizer que muita coisa irá acontecer. ¤$€MI¤@¤ - A mordida Eu já dei, e muitas... Se quiser que Eu dê as dedadas também... KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Obrigado por comentar :D

Online porn video at mobile phone


conto gay contei pra ele que queria dar pra elecontos meu primo safado me vizitouxnxx tabareuQuilombola comendo gay conto eroticocuiada fudedo com xortiu de dormiLekes ficam cim vergonha ao se beija com amigo contos erotico,meu genro me enrrabou dormindoconto gay dotado e virei meninaestrupa filha e confessa yotubetarada nuonibucasa dos contos cunhado matheusvidios porno mae dilinhofis sexo com a filha da vizinha com dez anos ela ja bem putinha contos eroticospornodoido mulher sarra no pau dentro da cueca eu e minha mãe e minha irmã moramos sozinhos eu conversando com a minha mãe eu disse pra ela que eu ia tirar a virgindade da buceta da minha irmã minha mãe disse pra mim filho se você tirar a virgindade da buceta da sua irmã ninguém pode saber disso a noite eu entrei no quarto da minha irmã eu deitei na sua cama do seu lado eu dei um beijo na boca dela eu disse pra ela eu vou tirar sua virgindade da sua buceta eu disse pra ela que minha mãe já sabia que eu ia tirar sua virgindade da sua buceta minha irmã tirou seu babydool eu chupei seu peito eu disse pra ela sua buceta virgem raspadinha e linda eu comecei a chupar sua buceta virgem ela gozo na minha boca eu disse pra ela chupar meu pau ela chupou meu pau eu fui metendo meu pau na sua buceta virgem que sangro eu comecei a fuder sua buceta ela gozo conto eróticonegao colocou td o pau de 45 centi na loiranovinhas sendo a********* por monstros de Picão contos eróticoscontos eroticos sete anoscontos erotico,meu genro me enrrabou dormindoVidio porno de troxudasviadinho fui pagar o aluguel contos eroticostravestidepiladoraberou nopau donegraocontos eroticos peguei a maninha novinha loirinha dormindo de bruço fiz anal com alacontos erotico mestre de obra.pausudfilho pego a mae a pucho videus porno.comseduzida por um estranho contos pornoai ta doendo maninho.comxvideos indigestos estrupadasXvideos videos curtos o garanhaomenina+bem+novinha+nua+dadi+seu+cu+vigi+para+padtastoTitio gozando nas minhas tetinhas contos eróticospornodoido se surpreendendo com pal do irmaoyoutubebucetadcu da dona clotilde contoscontos: consegui convencer minha esposa ao culckoldingvideo porno inedito de mulher gozando descontrolada no vibradormulhe tabalado da abudafotonovela porno real o pedreiro dotadaoboyzinha n************ o c****** peidando e olhando para tráscontos corno e meus amigos pegamos minha esposa rabuda de fio contosconto erotico "padre não é homem"estrupei minha irma na cama do nossos paisContos de casadas sendo estrupadas no morro baile funkcrente safada contospediu colinho para dirigir levou rolarelato erotico uma madame na reformacontos crossdresswww.xxvideo lourinha calvolga corno verputa.impinadiha.baiana.so.fode.apanhando.muitocontos eroticos de Shirleypirocas grossas veiudas babando fotoscontos eiroticos leilapornConto porno apanhei de chinelo na bundavidio porno homen emtera o pou todo na garganta da muher ate gozarcontos eroticos vania minha meia irma 2contoseroticos mulher lactante amamentandoperdeno as prega saino bosta caseiroxxvideo caseiro espiano a buceta cabeluda da subrinha lavano o cachorrocoroa sai de saia e sandalinha pra fuderas buceta sussurrantefotos de bucetas q nhca tranzouxvideo novinha. ser fundeu.irmaomulher de corno trepando com peaozada no alojamentoporno atedente.da.claro.tocando.siririca.no.zpporno grats novinha beijando e sendo encochada con permiçao do cornoeternos apaixonados cap 7 conto gaynovinha com beloto do grelo granderuıva semastu e goża muitoporno inserto.tia nao guenta vem.sobrio.di.pau durozoofilia descuidei meu cão engatou na minha filhasex. video amarcaiaContos pornos-fodi a mendigazuando meti a pica na b***** da égua meladinhavideos de belinha e franco na zoofiliavídeo pornô me deitar na cama de menininha para arrancar a casquinha delepai cospe no cuzinho da putinha depois mete o pauzaoXvideos... Fode fode fooddeee caralhocontos de travesti depiladoramulher flaga sua amiga do rabao uma morena dando o cu para seu marido negao dotado com o penis de 030cm e da tambenconto porno menor de idade mendigo me comeusou puta e pratico zoofiliavideo porno jotalhaoporno cazeiro cunhada nao aguentou cu cunhado paugrande de São Paulo xvideo. comcontos eroticos fode Frouxomenina nociha demenor pededo asprega anal pornonao adianta chorar vou rasgar sua bucetinhaContos eróticos de sogro e noracoroa sai de saia e sandalinha pra fuderwww.xvideos.bucetaovirgenswww. pornodoido lesbicas pretas beijos c salivaenfiando um tronco na buceta sadoad bucetad mais petfeitas do mundoconto erotico tirei o cabaco da pateicinha no matoConto erotico scat adoro ver a mulher peidando