MINHA ESPOSA, A PROFESSORINHA

Um conto erótico de Eros de Lesbos
Categoria: Heterossexual
Data: 30/08/2012 15:31:44
Nota 9.29

Fui casado c/ Júlia, uma morena baixinha, 1,60, um rosto lindo, uma voz maravilhosamente sexy, cabelos médios e um corpinho cheinho, c/ os seios apetitosos, coxas deliciosas, apenas sua bundinha era um pouco achatada. No conjunto, um tesão de mulher, destas que transpiram sensualidade e sexualidade. Quando a conheci era novinha, pois estava c/ 19 anos, estudava Pedagogia e pensei que Júlia era pouco experiente em sexo.

Começamos o namoro como é normal, com grandes beijos e agarramento no portão da casa dela. Decorridos uns 2 meses, ela insinuou se nós não iríamos além. Eu me toquei e aproveitei que trabalhava em um museu, inclusive em alguns finais de semana e a convidei a ir à Reserva Técnica, que naquele dia estava se ninguém trabalhando, por ser um sábado. Após a abraçar, comecei a acariciar seus seios, primeiro p/ sobre a roupa e depois "metendo a mão" direto neles. E tome beijo de língua. Aí ousei mais, abri o zíper de sua calça jeans e enfiei um dedo em sua xaninha, até encontrar o clitóris, que acariciei bastante, ela ficou toda derretida mas não gozou.

Poucos dias depois levei-a até meu apartamento e eu estava c/ tanto tesão que fui logo tirando a roupa de Júlia, colocando o preservativo, beijando seus peitos e metendo na sua buceta quente. Dei a maior gozada da minha vida. Júlia, nesta primeira transa ficou "na mão", mas assim que me recuperei, comecei um tratamento completo nela. Acariciei todo o seu corpo, lambi e mordisquei seu pescoço e suas pernas e "gran finale", chupei sua bucetinha e suguei seu grelinho, até que ela gozou desesperadamente.

Com a intimidade criada fui ensinando a Júlia todo tipo de sacanagem: boquete (tornou-se uma grande chupadora), punheta (punhetadora fraca). Até a ensinei a se masturbar. Só não conseguia enrabá-la, pois o máximo que conseguia no tocante a seu rabinho era gozar em seu traseiro; eu punha o caralho na entradinha do cuzinho, sem penetrar e pedia p/ ela mexer, o que era o suficiente para grandes esporradas, embora sua bundinha não fosse nenhum grande espetáculo, mas tinha uma pele tão macia e com minha tara por rabos...

Nosso namoro prosseguiu "mais quente" e eu adorava esporrar nela toda; chegava a gozar na lingüinha, nos lábios, nos peitos, nas coxas, nos pés e ela também gozava muito, principalmente com minhas chupadas embora fosse lenta, isto é, demorava muito para atingir o clímax. Em uma ocasião viajei de férias por 3 semanas e quando voltei ela havia arranjado um outro namorado. Fiquei puto da vida e tanto fiz que a consegui de volta, mesmo sabendo que ela tinha trepado com o carinha.

Antes do casamento (todo tolo acaba por se casar, principalmente se é corno) chegamos a transar na casa dela: milagrosamente, os seus irmãos (4) e irmã, mais pai e mãe haviam saído; aí pedi que ela trocasse os shorts por uma saia e tirasse a calcinha. Depois fomos para o sofá na sala, sentei-me e a deixei de pé, puxei-a e lambi sua xoxota e mordisquei seu grelinho. Nunca vi Júlia gozar tão rápido! De outra vez, ficamos na cozinha em um sarro tão grande que meu pau escapou por baixo da cueca e acabei por me esporrar todo! E para sair dali? Tive que entornar um copo d'agua para explicar a mancha enorme na frente da calça.

Acabamos por nos casar e após 5 anos de trepadas e muita sacanagem, a rotina se instalou entre nós. A coisa estava tão monótona que nem metia mais nela, eu ainda gostava de aliviar a tensão e gozar em suas coxinhas deliciosas ou em sua bundinha, quando ela dormia, pois mesmo após tanto tempo pouquíssimas vezes Júlia deixara eu comer seu cuzinho. Em algumas destas minhas incursões noturnas às vezes ela acordava quando eu começava a puxar sua calcinha e pedia para "participar". Aí eu a chupava até ela gozar. Mas ela era sempre muito calada na hora do sexo. Eu pedia para ela falar sacanagem e nada dizia eu: "diz que é minha putinha"; "pede pra' eu te fuder", "pede p/ eu gozar na tua buceta"; "diz que eu sou teu tesão", entre outras barbaridades e ela apenas murmurava, nunca se expandindo.

Como sou muito tarado, mas sem oportunidades de dar vazão a estes meus instintos sexuais e acho que a mulher com quem devemos fazer de tudo é a nossa própria esposa, resolvi incrementar nossa vida e acabei por comprar um vibrador e nosso relacionamento sexual melhorou com o "Ricardinho", nome que dei ao aparelho. Ela adorou e gozava bastante com a "agitação" no seu "clicli " enquanto eu metia na sua bichinha da frente. Então comecei a implantar primeiro a idéia de arranjarmos uma menina para foder com a gente (minha tara) e ela, nada! Sempre se recusando. Passei a alugar filmes pornôs, onde predominasse lesbianismo e sexo à três e fazia com que ela assistisse comigo e eu aproveitava e a fodia ou esporrava nela ou gozava com ela me masturbando, para aproveitar o tesão que eu sentia ao assistir o que se desenrolava na tela. Na verdade, nunca cheguei a ver um filme até o final. E ela continuava a se negar a fazer reais minhas fantasias.

Então, para subir o clima, comecei a perguntar como ela fazia sexo c/ outros namorados que tivera antes de me conhecer, qual era o tamanho do caralho deles, do que gostavam que ela fizesse, como eram as trepadas e isso fazia meu tesão aumentar muito, pois ficava imaginando ela com eles, se era tão quietinha como comigo e para avaliar se ela realmente tinha algum desejo por mim. Ela chegou a contar a transa que tivera quando me chifrou. As trepadas no carro dele e até a "despedida" deles.

Aí aventei a idéia de arranjarmos um garoto, p/ o mesmo fim. Falava pra' ela: "já pensou, querida, um pau te fudendo a buceta e você chupando outro, ao mesmo tempo !" "Dois caras a te chupar as tetinhas" e se conseguirmos um menino novo (quando o homem é novo, sempre está de pau duro, eu falava) e de pinto pequeno para te comer a bunda enquanto eu te fodo buceta, você "ensanduichada?" Dois cacetes para você mamar" Estas fantasias me faziam gozar como nunca, mas ela, aparentemente, nem se tocava.

Na verdade eu fantasiava em dividir a chupada em um pau com ela, em ser enrabado enquanto a fudia, pois quando adolescente fiz meia, isto é, tive uns 3 casos com outros meninos, mas sem nunca chegar a permitir que me comessem o rabo. Era coisa de excesso de hormônios e falta de mulher o que nos levava a chupadas, esfregadas de cabeça de pau e punhetas mútuas. Quando cresci nunca procurei nenhum macho, mas se a oportunidade surgisse... Uma vez até fiz com que ela esfregasse o bico do seio no meu cu, uma delícia de sensação. Não tive coragem de pedir a ela que enfiasse a ponta do vibrador no meu rabo, pois ela podia achar que eu era gay e me largar, mas algumas vezes quando ficava sozinho em casa, toquei umas punhetas c/ o vibrador na portinha do cu, mas nunca o enfiei no rabo.

Mas eu preferia mesmo era dobrar sua vontade e fazer sexo com ela e com outra mulher.

Comecei a perguntar a Júlia, se na escola onde trabalhava como Orientadora Educacional, durante a tarde e a noite não havia um menino gostoso por quem ela tivesse tesão e ela quisesse ensinar sexo, pois a minha intensão era que, no princípio ela corrompesse algum aluno p/ fazermos sexo a três e depois dessa abertura ela topasse que eu chamasse uma menina ou ela mesmo seduzisse alguma professora ou funcionária, pois ela sabia que eu tinha o maior tesão por uma moreninha, a Norminha, que era sua colega e trabalhava na secretaria e tinha um par de coxas alucinantes e eu já tentara fazer com que Júlia a convidasse para ir ao nosso apartamento, mas ela negara. Bem, para minha grata surpresa ela disse que sim, um menino de seus 16 ou 17 anos, o Paulinho, que gostava muito de conversar c/ ela e parecia querer algo mais, sempre se insinuando. E que ela reparara por causa das minhas invenções.

Imediatamente comecei uma campanha para que Júlia facilitasse as coisas e as coisas aconteceram, como ela me relatou depois e eu aqui reproduzo, de forma editada:

"Depois que você insinuou que eu devia me relacionar c/ o Paulinho, comecei a reparar melhor nele e a ter um certo tezãozinho p/ ele. Logo nossas conversas passaram dos assuntos do colégio p/ os pessoais e perguntei se ele tinha namorada, ele disse que não. Então perguntei se gostava de alguém e ele me respondeu que adorava uma professora de lá. Nesta hora fomos interrompidos e durante alguns dias não pudemos conversar novamente. Em casa v. ficava perguntando p/ ele, ficava todo excitado e chegava a esporrar logo que metia em mim.

Um noite, quando saia do colégio, Paulinho esperava por mim e fomos conversando até o ponto de ônibus e quando ele chegou entrou comigo, o que estranhei, pois era tarde e ele morava ali por perto. Perguntei onde ele estava indo e ele disse que ia até a casa de uma tia, para um aniversário. Dentro do ônibus, lotado, percebi que ele estava tirando um sarro na minha bunda, o que me fez ficar com minha buceta toda molhadinha. Quando eu ia desembarcar ele queria descer comigo mas não deixei. Quando cheguei em casa, sem que você notasse, fui me banhar levando o "Ricardinho" comigo e toquei uma deliciosa siririca c/ o vibrador enfiado na buceta e dedilhando meu "clicli" pensando no pau do Paulinho encostado na minha bunda.

Daí em diante Paulinho ficou mais saliente. Pegava na minha mão, escorregava seus dedos por sobre minhas coxas quando eu estava de saia e até chegava a raspar suas mãos em meus seios. Um sábado ele chegou a telefonar p/ mim, você atendeu e Paulinho dizendo ser filho de uma colega professora mas não pude falar direito pois você estava por perto; ele queria que fosse me encontrar com ele! pois era seu aniversário.

Uma sexta-feira à noite, esperando o ôninus no ponto, quando saí da escola, estava choviscando e Paulinho apareceu e me ofereceu uma carona de moto e como não havia ninguém por perto, aceitei. Ao me segurar nele p/ não cair, o abracei pelas costas, apertei minha xereca na sua bunda e passei a dar apertinhos no seu pau. Ele diminuiu a velocidade e me perguntou se eu não queria ir a um lugar sossegado conversar com ele. Em um arroubo de coragem, sugeri um motel do outro lado da cidade. E ele me levou lá. O que aconteceu então, entre nós, foi muito gostoso, muito além de minhas expectativas.

Paulinho era mesmo inexperiente, um virgem e tive que consuzir toda a coisa. Logo que entramos, ele me deu um beijo de tirar o fôlego. Ele me disse que seu sonho era gozar na minha boca e toda noite tocava punhetas e mais punhetas pensando em mim. Logo atendi seu desejo. Tirei sua roupa e a minha, fiz com que ele se sentasse na cama, me ajoelhei e comecei a esfregar meus peitos em seu pau de tamanho médio, menor e mais fino do que o seu, mas estava durinho, gostosinho. Como vi que ele estava prestes a gozar, troquei meus seios por uma chupada caprichada, começando por passar os lábios e a língua na cabecinha e alternando com engolidas e chupadas; quando ele começou a esporrar, tirei seu caralinho da boca e deixei que ele se derramasse por toda a minha cara e fiquei esfregando e lambendo aquela porra toda. Fui ao banheiro e enquanto me lavava, Paulinho chegou por trás, já de pau duro de novo e começou a se esfregar em mim, de costas. Aproveitei, virei-me, ajeitei-me, peguei sua pica e fui enviando devargarzinho na minha buceta molhada, o pauzinho de Paulinho entrou deslizando gostoso. Aí não me contive, me soltei dele, fiz com que ele sentasse no vaso sanitário, subi em Paulinho e fiquei no sobe-desce, esfregando meu grelo e meus peitos nele e logo gozei tanto que fiquei toda mole. Logo após senti uma enguichada dentro de mim. Pensei em ficar sentada sobre ele até seu pinto amolecer, o acariciando e beijando mas para minha surpresa ele continuava de pé. Levantei-me então e o levei p/ o quarto, pois eu também ainda estava com tesão. Fiquei de quatro na cama, peguei seu pau e enviei novamente na buceta, pequei sua sua mão e comecei a passá-la em meu "clicli" até ele aprender a bulinar ali. Paulinho era um aluno muito dedicado e logo estava metendo muito gostoso. Em um movimento brusco, tirei seu pau de dentro de mim e comecei a esfregar meu cuzinho nele. Como meu tesão estava enorme e a pica toda melada, foi fácil a introdução e logo ele encostava o saco na minha bunda e que gozada nós demos. Primeiro ele gozou tanto que chegou a gemer e eu também me gozei toda. Exaustos, demos uma cochilada e quando acordei, fiquei apavorada, pois passavam das 2h e afinal de contas eu era uma mulher casada e não queria te contar nada, nem desconfiasse que estiverra trepando com o Paulinho pois não ficar sabenbo era teu castigo pelas humilhações de querer trocar nossas trepadas a dois por novidades, de me chamar de geladeira, de querer que eu chupasse uma buceta e dividisse meu corpo com você e pessoas estranhas. Nem olhar minhas trepadas com o Paulinho eu ia deixar. Eu cheguei a perguntar a ele se gostaria de transarmos os 3, mas ele me disse que isso era coisa de marido viado e se negou.

Eu estava te chifrando mesmo. A primeira vez foi naquela madrugada que eu disse que estava comemorando o aniversário da diretora, está lembrado?

Antes de sairmos, meu aluninho Paulinho ainda quis me comer novamente, mas eu estava toda assada e doída e não deixei, mas prometi que iríamos repertir as enfiadas muitas outras vezes e ainda haviam muitas coisas p/ ele aprender e praticar.

E assim fizemos, muitas manhãs ele passou "estudando" comigo, me fodendo divinamente e agora, meu querido, tenho uma outra notícia p/ você: estou grávida dele e vamos viver juntos. Você pode arrumar tuas coisinhas e dar o fora aqui de casa. Tá?"

E eu assim fiz, até mudei de cidade e agora, passados 10 anos, ainda estou sozinho. Nunca mais consegui nenhuma namorada. E muitas vezes, para me aliviar, toco uma punheta pensando na Júlia e em suas trepadas comigo e fico inventando na cabeça as trepadas dela com o pau do Paulinho.

Bem, alguns caras armam e se dão bem. Eu armei e me dei mal, muito mal.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
20/10/2012 15:56:09
gostaria de conhecer uma novinha na regiao do abc sp sou moreno sarado 1m74 78 kg faço academia corpo totalmente em forma e 14 cm de pau meu tel email
19/10/2012 14:12:00
bemm... essse é o risco.... dela gostar mais do outro... mas a sensação da transa a 3 ou mais vale a pena.
12/09/2012 15:08:32
Adoro esse tipo de mulher e estou louco para ser casado com uma puta deliciosa assim. Qualquer mulher que quiser ter uma vida liberal e liberada e com muito pau na buceta, tanto meu quanto de quem mais quiser, é só fazer contato para nos conhecermos. Sou de Belo Horizonte/MG, Empresário e adorador de mulheres safadas.
11/09/2012 15:31:14
Excelente. Muito boa a levada do texto. Não é meu caso com o Edu, mas conhecemos muitos casais que conheceram novos amores nessa de "apimentar a relação". Não deixa de ser uma desculpa. Não é todo mundo que pode. Fantasiar é bom demais, mas estar com outras pessoas na cama é algo que tem que ser muito bem avaliado. Parabéns. Beijinhos da Sandy
08/09/2012 21:16:12
Ola amigo parabéns pela coragem. ficou aqui imaginando com quantos pessoas acontece coisas desse tipo, eu mesmo tenho uma grande curiosidade de ter momentos liberais com minha esposa ja conversamso sobre isso e á chegamos a conhecer um carinha o qua ele mesmo conheceu no msn, mais ela se nega a sair com para fazer sexo com mais outra pessoa eu insisto muito, mais ela disse que sente muito prazer comigo e que não quer outra pessoa, mais eu sente que ela sente um tesão, pelo carinha e ela até ja me confesor sentir sim, mais que não que me trair com niguem e também não que outras pessoas e agora ficou pessando desisto ou ensistor kkkkkkkkk
30/08/2012 21:28:28
É o risco que se corre, pode ter certeza que muitos que escrevem aqui também já se deram mal, só não contam, quase ninguém conta o que da errado, não é erótico alias é trágico. Parabéns pela coragem em assumir que não deu certo.

Online porn video at mobile phone


XVídeos amador caseiros n******** gordinhas loucurinhacontos tia dando o cu pro sobrinhocontos eroticos rubia e beto .minha irma porno fotos com movimentosFelipe e Guilherme- Amor em londresContos eróticos sobre marido militar e sua esposa na lua de melcachorro fod madamegozaaí louca aquela fudida uuuicontos eroticos fingi um assalto pra transar com meu filhoso no buceta da novinha e ela chamando kauanporno. jafaleii nãopau mostro q gata nao aguenta e pede pra da um tempo pq sua buceta ta doendoela rebola fortr o cu n rolabucetas.cf/bruninha69contos eiroticos leilapornúltimos contos eróticos gaybundas grandes. apavoradas torturaporrno doido a doblinha brasileiracontos eroticos embreaguei minha mulher e comi outradesenho zeque estoueporno sacana c mao boca traveco nojenticontos eroticos.viadoooo da sogra safadaquero ver mulher g****** gostoso monografia g****** gostoso XVídeosxvideo.amiga chupa.a buceta da a migalha dormindocontos eroticos climax daputinha amigosVizinha novinha mim atendeu de tolha nao teve jeito acabei comendocontos eroticos capataz pau grosso que comia eu e minha mae e minha irma na senzalaflagrei minha tia peituda com consolo no cú eu dei uma mãosobrinha Zinha bem novinha mostrando os pentelho para o tio e foi f***** XVídeosvideo de mae assustada com o tamanho do cassete do filhocarolzinha santos e suas amigas trepano no churrascovideos de cornos que aguarda ansioso sua esposa voltar pra casa escorrendo porra de outro toda melada na bucetaxisvedeo estruado cono gay raptou o vizinho para lhe chupar o pauconto incentivado da o cuzinho de calcinhaminha cunhada casada crente ela ficou apavorada quando eu entrei com meu carro no motel conto eróticocontos eroticos estuprada pelo meu cunhadoFilme porno o dono da sinzala comendo as escrava tudo uma por umasexo conto meninas novas com cunhado safado me comendo brutamente.Vidios Porno tio aproveito que esta sozinho comeu a sobrinha safadachantageei e comi minha avo contopornodoido homen de quecao com o pau durocontos eroticos pastor comedor de mulher casadacontos eroticos polaco enrabadoconto erótico de familiaconto erotico meninoFui inciada pelo amigo do meu pai contos eroticosconto com fotos dei abuseta pro meu intiadoXxvideo so a cabeci.ha nela dormindoirma dormirno de xotinho irmao anal amadoro xvideovídeo pornô homem t***** possuído chupa b***** da mulher e filhos dele até virar uma chupetavidio de peixe chupeteiromae enssinando de quinse anos a fode dando a buceta pra elicontos eiroticos leilapornQERO VE COMO EO PRIQITO PODETOpriminhos na ferias do colejo fazem muita putariacontos eróticos massagem na coluna de minha esposaContos de crentes peludaspadre viadotrocando com outrocontos louco por cunhada rabuda casada "evangelica"relatos eróticos porca nojentaporno video tia fodeno seu sugrinho virgem ele broxa nelamuher desmai trazandoarrombando.o cu da deisy a forçacontos eróticos vi escondido minha mulher me traindo com dotadoscomo faze a mulhere no gta xupare no gtagosada no trem lotadosafada nuonibucontos cuzinho arrombado joanaWwwx vidios .con tirano tiranocabaso da vigercontos eroticos meninas quinze ano transando com cachorro com calcinha preta com lancinhos vermelhoxvideos coroas enpegada faxineira limpando a louça e o patrao chega em casa e acaba fazendo sexo com elaempurando o gatilho no prikito delamiudinhas cock do negao pirocudoloiro da cicatriz que eu amoconto erotico ensinando a tia de motonegao fodefo cu forcaimagens de bucetas de riasas sexoo tio tarado estrupando a sobrinha clitado de dornovinha 18 aninhos foje pra cama do papai pra trepavi a bucetinha virgem da minha amiga conto eroticocumi aminha tia muinto cavalax video a intiada virge aproveit q a mae saiu e traza com padrasto