Michel E Vera...

Um conto erótico de TETE
Categoria: Grupal
Data: 09/07/2012 20:52:40
Última revisão: 05/03/2018 08:05:15
Nota 10.00
Assuntos: Grupal

Meu nome é Michel e desde os 12 anos quando a sexualidade começou a se manifestar senti que era diferente dos outros. Era um garoto loiro de olhos azuis, magro e com uma bunda um pouco grande pra idade e isso fazia os amigos ficarem me zoando. Depois dos jogos de futebol quando todos iam tomar banho no vestiário, quase sempre os companheiros do time davam um jeito de passar a mão na minha bunda. Apesar de ficar bravo e chamar pra briga, no fim tudo acabava em gozação. Mas essas brincadeiras bobas não me incomodavam. O que passou a me deixar encabulado era o tamanho do meu pênis, pois naquela turminha de uns 15 amigos que estávamos sempre juntos, eu e outro garoto tínhamos os menores pênis.

E isso era motivo de brincadeiras maldosas e me deixava chateado. Porem o outro garoto que tinha o mesmo problema não se mostrava preocupado com isso e tentava me tranqüilizar dizendo que sua mãe o levara ao medico e ele afirmara que o pênis iria crescer mais e não deveria se preocupar com isso. E aquele garoto que se chamava Marcio disse outra coisa que muito me ajudou a superar esse problema. Naquela turma de 15 garotos só 3 tinha pênis um pouco maior, o resto era praticamente tudo do mesmo tamanho. Se o medico disse que devia aguardar que ia ficar maior, tínhamos que acreditar. RSS.

Eu e Marcio talvez por causa de nossas “pequenas deficiências penianas” ficamos bem mais amigos e daí quando resolvemos experimentar o famoso troca-troca de adolescentes foi rapidinho. Mas apesar de fazermos isso algumas vezes não foi uma coisa que marcou demais...pelo menos de minha parte. Lógico que aos 13/14 anos o pintinho ficava duro a todo instante e ficar se esfregando um na bundinha do outro dava uma fissura louca de tesão...mas penetração de verdade praticamente não existia. Mas Marcio todo safado vivia dizendo que minha bunda deixava ele tarado...e se deixasse queria fazer troca-troca quase todo dia.

Eu vivia com minha mãe que era funcionária publica, meu pai tinha nos abandonado ainda criança e levávamos uma vida bem simples. Mas tudo corria razoavelmente sem muitos atropelos.

Quando completei 18 anos estava terminando o colegial, sabia que só através do estudo é que poderia melhorar de vida e eu procurava estudar com afinco para poder passar no vestibular e poder estudar em uma faculdade federal gratuita. Foi então que me chamaram pra fazer parte um grupinho de estudos que iriam prestar o vestibular. Achei ótimo pois assim todos poderiam se ajudar.

A primeira reunião que participei foi na casa de uma loira de 18 anos, olhos verdes, um corpo lindo e muito sensual e que se chamava Vera, só que todos a chamavam pelo diminutivo de Verinha e quase que imediatamente ficamos trocando olhares. Foi incrível que quando eu estava me despedindo para ir embora ela me chamou de volta com uma desculpa qualquer e sem pestanejar me agarrou e começamos a nos beijar ardentemente.

Ela então me pediu que voltasse no outro dia apos o almoço e que estaria sozinha em casa.

Verinha era filha única de um empresário de uma grande rede de farmácias da região.

Pobre e sem carro era difícil conseguir alguma garota pra dar uns amassos e se ela queria que voltasse em sua casa logicamente não iria perder a chance de dar uns beijos naquela garota linda e gostosa e logo depois que cheguei vi que ela estava sozinha. A mãe tinha ido viajar e o pai com certeza não estava pois logo que chegamos ela ja foi me levando pra o quarto e em instantes ficou nua e logo estávamos transando loucamente.

Verinha era uma putinha muito tarada e completamente sem pudor. Ela gozava com facilidade principalmente quando seu grelinho era sugado com força. Rebolava como uma maluca, gemendo alto quase gritando.

Ela pareceu nem sem importar com o tamanho do meu pau e até disse que era bom não ser grande por que adorava dar o cuzinho e logo eu estava enrabando a safadinha tesuda. Transamos a tarde inteira e Verinha era uma putinha completa em tudo. Chupou meu pau maravilhosamente engolindo ele por inteiro. Meter naquela bundinha com marquinha de biquíni era tudo de bom e gozar no cuzinho apertadinho me fez sentir o maior prazer de minha vida.

Depois daquela tarde maravilhosa nos despedimos e ficamos de nos encontrar novamente.Talvez pela minha insegurança, pois quando as garotas transavam comigo dificilmente queriam sair novamente por causa do meu “pequeno problema”, achei que com Verinha fosse acontecer à mesma coisa.

Só que para minha felicidade isso não se repetiu e o melhor é que praticamente passamos a nos encontrar todo dia, e isso significava transar a toda hora e em qualquer lugar que pudesse.

Verinha era uma garota linda, inteligente e apesar de rica era muito humilde. A única coisa que ela não gostava era ser contrariada em seus desejos. E tinha que ter pique pra acompanhá-la em suas maluquices sexuais, já que parecia que ela pensava em sexo 24 h por dia. RSS.

Depois que já estávamos bem íntimos e praticamente sem segredos resolvi perguntar sobre o tamanho do meu pau, se isso realmente não importava pra ela. E o que ela respondeu me deixou bem tranqüilo quanto ao nosso relacionamento.

Verinha me disse que já tinha transado com 02 rapazes com paus maiores que o meu, mas isso não era tão importante assim pra ela. O que a deixava louca de tesão era sexo oral, que eu já percebera desde que começamos nosso namoro. A safadinha confessou que bastava passar a língua no seu grelinho que se entregava inteirinha e disse que tinha descoberto esse prazer com as amiguinhas quando ainda era virgem.

Mas também confidenciou que se tinha uma tara que a deixava louca de tesão era transar em lugares públicos e também adorava saber que alguém assistia ela meter. E só então fiquei sabendo que quando transávamos no quarto de sua casa ela deixava as cortinas abertas e como ao lado tinha um prédio de apartamentos tinha vários espectadores que já tinham nos assistido.

Verinha era uma ninfomaníaca incorrigível e não se importava com que pudessem pensar a seu respeito mas ela disse que como a gente estava se gostando não queria que tivesse mentiras entre nós.

Me senti bem mais confiante depois de nossas confidencias e notei que passei a sentir mais tesão e prazer com as loucuras de minha namorada taradinha e sem juízo. Ela sair comigo e ir pras baladas e festinhas com mini-saias e vestidinhos curtinhos sem calcinha era constante só pra ser bolinada com mais facilidade.

A safada depois de tomar alguns drinks adorava se exibir dançando com sensualidade incrível. Todos os rapazes davam em cima dela tentando come-la, mas depois que passou a ficar comigo dizia que gostava de provocá-los, saber que os deixavam de pau duro, mas não iria colocar chifres em mim...pois além de fazer tudo que ela queria eu a tratava com muito carinho...e não ficava querendo controlar suas loucuras...até apoiava...era o que queria...um namorado cúmplice...e sem frescuras!

Nossa vida se resumia em estudar para o vestibular, sair pras baladas e principalmente transar loucamente!

Raramente eu encontrava o pai e a mãe de Verinha, ambos saiam muito. Eles me tratavam bem e eram muito educados. Verinha dizia que eles eram bem liberais e talvez por ser filha única praticamente a deixassem fazer tudo que tinha vontade...e certamente sabiam de suas aventuras sexuais!

Foi então que aconteceram duas coisas que iriam fazer com que minha vida mudasse por completo.

Passei no vestibular em duas faculdades federais...poderia até escolher onde estudar mas, a outro noticia quando fiquei sabendo fiquei muito preocupado. Verinha me disse que tinha quase certeza que estava grávida pois sua menstruaçao estava bem atrasada e também estava sentindo muito enjôos. Ela tomava anticoncepcional, mas me confessou que algumas vezes quando voltava das baladas um pouco bêbada nem se lembrava de tomar. Na hora que ela me contou fiquei muito nervoso imaginando os problemas que isso poderia acarretar. Porém Verinha disse que ia fazer um exame de sangue pra ter certeza da gravidez e que não precisaria se preocupar que ela iria dar um jeito de resolver.

Até achei que ela pensara em abortar mas não foi o que aconteceu. Depois de 3 dias ela chegou a mim e começamos a conversar seriamente:

-é amor...realmente vc vai ser papai...não tenho mais duvidas!

-e ai...como vamos fazer...fudeu de vez...teu pai e tua mãe...vão me matar agora...um pé de chinelo que nem eu...engravidou a filha deles...o que eles vão pensar?

-Michel...deixa de ser bobo...tá tudo bem...conversei com papai e mamãe...eu disse que a culpa da gravidez tinha sido minha...esqueci de tomar a pílula...até pensei que eles iam ficar bravo...mas a verdade é que eles ficaram muito contentes em saber que vão ser avós! RSS.

-Verinha...não acredito...verdade isso...que tá tudo bem? Pensei que o bicho ia pegar!

-é...mas tem uma coisa que meus pais querem...amor! Vamos ter que casar...eles não querem que o neto nasça de mãe solteira...vc fez neném...agora vai ter que virar marido! RSS.

-sua louca...e ainda fica brincando com isso...eu estou preocupado...como vou casar...não tenho nem um gato pra puxar pelo rabo...só estudo...minha mãe então...vai querer me esganar!

-amor...deixa de ser tonto...ja conversei com meu pai e minha mãe...eles sabem que vc é um rapaz honesto e que é também muito estudioso...passou em dois vestibulares...fica tranqüilo...vai ficar tudo bem!

Quando fui conversar com o pai e a mãe de Verinha sobre o nosso casamento percebi que realmente não precisaria me preocupar. Eles foram muito gentis e carinhosos comigo dizendo que tinham certeza que apesar se ser muito jovem eles sabiam que eu era um rapaz muito responsável e de muita boa índole e além disso muito estudioso e que certamente iria ter um futuro brilhante. E meu futuro sogro me confidenciou que achava que eu seria um genro muito especial pois depois que a filha começou a namorar comigo notou que ela passou a ser bem mais responsável e pela primeira vez deixou as farras de lado.

Com certeza ele sabia muito bem que sua filhinha era uma maluquinha muito namoradeira.RSS. Mas ele não

sabia que a filhinha continuava uma ninfomaníaca sem juízo.

O casamento aconteceu rapidinho pra que ela não aparecesse na igreja com barriguinha. Afinal filha de gente rica tem que manter a pose. RSS. Tudo mudou radicalmente em minha vida.

Meu sogro quis que eu só estudasse mas de vez em quando começou a me levar para seu escritório central para aprender como funcionava sua rede de farmácias.

Passei a ter carro do ano e uma vida de muitas mordomias. Depois do casamento passei a morar na casa dos meus sogros. Alem de ser um casarão enorme dessa forma minha esposa poderia ter uma gravidez bem tranqüila ao lado da mãe.

Imaginei que Verinha depois de grávida ia dar uma sossegada no tesão, me enganei redondamente. RSS.

Ela então disse que seria uma gravidez diferente de todas. Só iríamos fazer sexo oral e anal, a xoxotinha só ia levar pau depois que tivesse o neném. E também me disse que queria ter parto normal pra não ficar com cicatriz nenhuma e que iria pedir pro medico aproveitar pra deixar a bucetinha dela bem apertadinha, pra que depois eu tirasse o cabacinho dela... pela segunda vez. RSS.

Nem me preocupei em discutir essas maluquices com Verinha. Ela sempre acabava fazendo com que suas vontades fossem aceitas sem muitas contestações. Era perda de tempo contrariá-la.

Sem contar que a safada depois que se casou ficou ainda mais atirada...de vez em quando a gente saia de carro mesmo com a barriguinha ja bem saliente inventava de no transito tirar meu pau pra fora e chupar. Como ela sempre estava com vestidinho bem curtinho e se deitava entre minhas pernas sua bunda se mostrava por inteira. Os carros e os caminhões que passavam ao lado logicamente assistiam a tudo. RSS.

Ela ficava completamente molhada de tesão e quando chegávamos em casa nem esperávamos chegar ao quarto...muitas vezes na garagem mesmo ela levantava o vestido ficava de 4 no banco do carro e pedia pra ser enrabada com força. Gozava gemendo alto e intensamente.

Quando Verinha completou 4 meses de gestação Nicole uma amiga da adolescência que tinha ido morar na Espanha voltou e veio visitá-la. Foi uma festa o encontro delas. Logo fiquei sabendo que elas viviam de sacanagem quando tinham 14/15 anos. Era uma lambendo a bucetinha da outra praticamente todo dia. E logo percebi que as duas estavam muito assanhamento e foi então que Verinha disse:

-Michel meu maridinho querido...vou levar Nicole pro nosso quarto...mostrar o enxoval do bebe...daqui a pouquinho...vai lá...que vamos fazer uma brincadeira diferente...hj. RSS.

Pelo sorriso safado da minha esposa já sabia que vinha sacanagem da pesada e depois de 5 minutos fui até lá e quando entrei no quarto encontrei as duas fazendo um “69” incrível. Verinha estava por baixo por causa da gravidez e Nicole por cima. As duas se chupavam que nem loucas, gemendo e rebolando. Tirei a roupa e fiquei ao lado assistindo extasiado com o pau super duro. Nicole era uma morena de 19 anos com um corpo fantástico e uma bunda grande e empinada. Como Verinha era loirinha o contraste daqueles corpos era maravilhoso.

Logo minha esposa sorriu e disse toda sensual:

-vem meu maridinho...hj vc vai comer...duas putinhas juntas...mete na Nicole enquanto eu chupo ela...depois que ela gozar...vai ser minha vez...vem...meu gostoso...mete na putinha morena!

Como Nicole estava por cima fui atrás dela e Verinha pegou meu pau e quando pensei que ia enfiar na bu-cetinha, encaixou na portinha do cuzinho e disse:

-enfia tudo de uma vez...come o cuzinho dessa putinha safada...mete com força...igual vc faz em mim!

Fiz o que ela mandou, Nicole deu um gritinho e tentou dar uma escapadinha, mas segurei-a pelos quadris e logo comecei a bombar forte naquele rabo maravilhoso...minha esposa chupava o grelo da safada que rebolava e gemia sem pudor. Não demorou nada pra ela gemer mais forte e gozar intensamente. Em instantes foi a vez de Verinha levar pau no cuzinho com a amiga chupando seu grelinho sensível. Minha esposa sentia tanto tesão em ser chupada pela amiguinha putinha que gozou umas cinco vezes uma atrás da outra. Parecia uma cadela no cio.

Mas logo fui presenteado com uma coisa incrível...as duas me deitaram na cama e uma de cada lado e chuparam meu pau me fazendo gozar como nunca tinha gozado. Elas brincavam com meu pau entre seus lábios e se beijavam ardentemente.

Apesar de Nicole e minha esposa Verinha terem só 19 anos elas eram completamente putinhas, dava pra notar que as duas tinham aprontado muito quando eram adolescentes. A conversa e o entendimento delas na cama era incrível, pareciam que tinham nascido pra fazerem safadezas juntas.

Nicole dormiu em casa e como estávamos sozinhos foi uma orgia deliciosa de muitas descobertas.

Naquela noite enquanto eu estava metendo de conchinha na bundinha de minha esposa, a safada da Nicole se enfiou entre nossas pernas e passou a chupar nós dois alternadamente...só que logo ela fez uma coisa que me deu um tesão louco. Ela começou a passar a língua na pele entre meu saco e meu cuzinho e quando me dei conta ja estava lambendo meu cuzinho...aquilo me deixou tarado e quase sem perceber passei a gemer forte e rebolar na língua da safada. Foi então que ela enfiou um dedo profundamente no meu cuzinho...ai não consegui resistir ao tesão e rebolando deliciosamente dei um grito e gozei copiosamente. Realmente foi um orgasmo incrível que nunca tinha sentido em minha vida.

Até fiquei um pouquinho constrangido por ter dado tanta bandeira com o dedo da safada da Nicole no meu cuzinho mas a cumplicidade e as brincadeiras faziam parecer tudo normal. Enquanto tomávamos banho Nicole até comentou que quase todos os namorados que teve na Europa gostavam muito de um fio terra. Ela comentou que adorava fazer isso neles porque a sensação de sentir em seus dedos as contrações de seus cuzinhos, a faziam sentir poderosa. Isso a deixava mais taradinha do que já era. E também comentou que na casa dela na Espanha ela tinha vários pênis com cinta pra “brincar gostoso” com os rapazes. RSS.

Verinha toda safadinha brincou dizendo que depois que tivesse o neném ia comprar alguns pra “brincar” comigo, já que eu tinha gozado tão gostoso com o dedinho da Nicole. RSS.

As duas caíram em gargalhadas e acabei aceitando as brincadeiras daquelas malucas. RSS.

Durante o mês de férias de Nicole no Brasil praticamente quase todo dia a safadeza corria solta. Apesar da a barriga de Verinha estar ficando enorme continuava a querer transar constantemente. E Nicole com sua tara de enfiar dedinhos no meu cuzinho durante nossas brincadeiras me fez ficar viciado naquilo e logo me penetrava com até 3 dedos. Eu gozava loucamente...sem pudor.

Nicole voltou pra Espanha deixando saudades.

Quando completou 6 pra 7 meses de gravidez Verinha começou a ter problemas de pressão alta e o médico recomendou repouso absoluto e remédios para que não tivesse problemas no restante da gestação.

Só assim minha querida esposa teve que ficar calminha e deixar as safadezas de lado.

E Thiago nosso filho nasceu forte e saudável. Meus sogros ficaram extremamente felizes.

Depois que ganhou neném Verinha logo passou pelas mãos de um cirurgião plástico e depois de seis meses estava ainda mais linda que antes e com tudo em cima. E como prometera voltou quase uma virgem

...com uma xoxotinha apertadinha até pro meu pau pequeno. RSS.

Nosso filho era paparicado pelos avós que se bobeasse nem deixavam a gente pegar. RSS.

Meus estudos corriam maravilhosamente bem e meu sogro agora até me delegava poderes pra ajudar na administração da rede de farmácias. Minha vida em pouco tempo tinha se modificado pra melhor!

A vida sexual com minha esposa putinha devagar ia retornando a normalidade, mas as loucuras logo voltariam com força total. Verinha dizia que queria experimentar novas loucuras eróticas. RSS.

Como minha sogra junto com novas empregadas cuidava do neném praticamente em tempo integral eu e Verinha ficamos tranqüilos e com mais tempo pra voltar a sair pras baladas nos fins de semana.

Fomos convidados a passar um fim de semana em uma fazenda de uns amigos nossos no fim de semana. Nós dissemos que não iríamos mas na ultima resolvemos fazer um programa ecológico. RSS.

Não era longe da cidade, eram uns 60 km só que tinha um pequeno trecho de 10 km de terra pra chegar lá.

Verinha nem bem entrou dentro do carro já foi tirando a calcinha e como estava com um vestidinho curto já fui alisando sua bucetinha depilada enquanto ela chupava minha pica na estrada. Como sempre quando passávamos ao lado de um caminhão ela só faltava colocar a bunda pra fora pra se mostrar toda. RSS.

De uma hr pra outra o tempo fechou e começou a ventar bastante e começou a chover. Até comentei com minha esposa se não era melhor voltarmos, mas ela sorrindo disse pra eu largar de ser bobo...que era chuva de verão...que logo ia passar. Continuamos nossa aventura e a chuva ia aumentando. Quando cheguei na estrada de terra depois de uns 3 km ao começar descer uma ladeira um pouco íngreme o carro deslizou e entrou em um lamaçal. Em instantes vi que estávamos completamente atolados. A chuva agora era torrencial. Só então Verinha se tocou que tínhamos tomado no cuzinho bem grandão. E o pior é que ali nossos celulares não estavam dando torre. Era umas 5.30 h. da tarde e com aquele temporal já estava bem escuro. Não havia muito que fazer, era esperar passar a chuva e ir andando até alguma casa mais próxima pra pedir socorro ou tentar chegar na fazenda a pé. Só que andar 7 km naquele barro não ia ser nada fácil.

Ficamos ali no carro vendo a chuva que caia sem dar tréguas.

Logo que encalhamos Verinha ficou um pouco preocupada mas em instantes a safada já me dizia pra passarmos no banco de trás do carro e continuarmos a nossa safadeza gostosa. Realmente o juízo tinha passado longe da cabecinha loira de minha esposa ninfomaníaca. RSS.

Mas então percebi que estava chegando perto de nosso carro um homem a cavalo e então abri um pouco o vidro do carro e começamos a conversar:

-é...vc estão com um problema serio...pra tirar o carro daí...só com trator e hj vai ser impossível... pelo jeito vai continuar chovendo um bom tempo...

-é...realmente...é preocupante...mas o Sr. mora aqui perto...por acaso tem telefone na tua casa?

-não...num tem não...eu moro perto...uns 500 m daqui...num sitio pequeno...to vindo da casa de um amigo!

-é...não sei o que fazer...nossos celulares também não tão funcionando...a coisa tá feia. RSS.

-bem...vou falar uma coisa pra vcs...acho melhor vcs me acompanharem até em casa...acho que vai demorar essa chuva...é até perigoso...ficar por aqui...depois que a chuva parar...vcs resolvem o que fazer.

Eu e Verinha achamos melhor irmos pra casa daquele homem...pegamos a mochila com as nossas coisas e saímos do carro. De cara Verinha escorregou e caiu na poça d’água com aquele vestido branco curtinho e o pior é que nem a calcinha tinha colocado de volta...devia ter ficado no chão do carro.

Eu estava com uma bermuda branca que logo ficou marrom de barro e uma camiseta larga.

O homem se apresentou dizendo que se chamava Betão. Ele tinha 45 anos, mulato quase negro e era muito forte. Vestia um short jeans velho apertado e uma camisa xadrez sem abotoar.

Ele desceu do cavalo e foi nos acompanhando puxando o cavalo e conversando.

A chuva continuava e até chegar na casa do sitio levamos vários escorregões. O vestidinho branco de Verinha já tinha mudado de cor, também ficara marrom e todo molhado grudava em seu corpo mostrando seu corpo perfeito todo sensual.

Logo que chegamos vimos que era um lugar bem pobre. Era tudo bem limpo mas na verdade era um barracão grande que transformaram em casa. Não tinha divisórias e até a porta do banheiro era apenas uma cortina. Tinha uma cama grande com um guarda roupa antigo em um canto, duas poltronas já bem desgastadas com uma TV pequena, uma mesa de madeira com umas cadeiras, um fogão e uma geladeira antiga completavam aquela moradia.

Quando perguntei se ele morava sozinho me disse que tinha sido casado mas já fazia um ano que a esposa tinha morrido em um acidente de ônibus, e tinha duas filhas que eram casadas e moravam na cidade!

Logo que entrou Betão disse:

-bem...primeiro...vou passar uma água rápida no corpo pra tirar o barro...e ai vou fazer café e preparar alguma coisa pra vcs comerem...enquanto vcs tomam banho...é rapidinho!

Ele era bem gentil e ficamos olhando o lugar esperando a nossa vez. Quando Verinha abriu nossa mochila vimos que estava tudo molhado. Mas logo teve uma coisa que nos chamou a atenção. A cortina do banheiro não ficou bem fechada e com um pouco de vento ela balançava e deu pra ver o Betão no banho e quando se virou ficando de lado deu pra ver que tinha uma pica enorme e grossa dependurada entre suas coxas fortes. Logicamente que minha esposa safada é que viu primeiro e me chamou a atenção.

Betão passou o sabonete naquela pica deu pra notar que a bicha deu uma leve endurecida e ficou ainda maior...e Verinha sussurrou dizendo:

-nossa...Michel...olha o tamanho do pau do negão...parece um cavalo...e nem tá dura...pensa aquilo duro!

-não dá muita bandeira...sua maluca...fala baixo...vai que ele escuta...mas nunca tinha visto um pau assim!

-eu também não...é uma pica pra arregaçar bucetinha e cuzinho...nossa...agora fiquei curiosa...queria ver ela dura...deve ser...linda...nossa!

-sua louca tarada...vê se não fica com idéias malucas...a gente nem conhece o sujeito...ja pensou se o cara é perigoso...a gente aqui no meio do mato...

-larga de ser bobo...meu maridinho...claro que não...ele é um cara legal...dá pra ver!

Ele logo saiu do banheiro sem camisa e com um short estampado curto e folgado.

Sorrindo disse:

-mesmo chovendo está muito calor hj...bem vou preparar alguma coisa pra nós...agora é a vez de vcs tomarem banho! Vou pegar toalhas pra vcs!

Verinha então disse:

-é...seu Betão tem mais um problema...a roupa que nós trouxemos ficou toda molhada na mochila...teria alguma coisa pra gente vestir...enquanto seca a nossa?

-Bem...vou ver...mas...tenho pouca coisa...mas...calcinhas eu sei que não tem. RSS.

Ele então abriu o guarda roupa e pegou duas camisas e um short jeans pra mim dizendo:

-as camisas acho que dá pra usar esta noite...agora o short eu acho que vai ficar grande demais...eu sou bem maior que o rapaz. RSS.

Verinha pegou a camisa foi pro banheiro e fiquei ali ao lado do fogão enquanto ele preparava um café fresquinho pra gente. Quando olhei pro banheiro nem me espantei, eu conhecia a esposa safada que tinha. Ela nem fechou a cortina e mostrava aquele rabo fantástico enquanto se ensaboava. Nem se preocupava em se mostrar inteirinha pelada enquanto tomava banho. Até sua bucetinha depilada deu pra ver. Betão a todo o momento dava uma conferida naquele corpo fantástico e eu fingia que nem percebia.

Verinha saiu e vi que a putinha safada só abotoara dois botões da camisa. Nem me preocupei...eu já conhecia suas loucuras...ela queria brincar com fogo. RSS.

Antes de ir tomar meu banho dei um olhada de rabo de olho e vi que já existia um volume um pouco alto na frente do short do Betão.

Entrei no chuveiro e sem saber bem o porquê nem fechei direito a cortina do banheiro e tomei meu banho todo despreocupado. Meu corpo se mostrou por inteiro, nem me senti constrangido de mostrar meu pau que era no máximo metade do tamanho daquele negão!

Coloquei a camisa e vi que nem adiantava colocar o short...não ia parar na cintura...e então disse:

-é...nem coloquei o short Betão...teu corpo é muito grande...não ia parar...na minha cintura!

-sim...eu sabia que não adiantava...mas não tem problema...tá tudo bem...mas ficou até engraçado...o casal ficou de camisa...sem nada por baixo e eu... só de short...sem camisa. RSS.

Verinha então estendeu nossas roupas molhada em um varal improvisado dizendo:

-que aventura maluca que estamos passando...ainda bem o Sr. Betão encontrou a gente... ja pensou se nos tivesse que ficar a noite inteira no carro...deus me livre!

Logo tomamos café com bolachas e ficamos conversando enquanto assistíamos TV.

Betão era um sujeito que apesar de viver ali no sitio tinha estudado, pois conversava bem e já tinha morado em cidade grande. E tinha sido porteiro de um hotel de alta rotatividade. Deu pra notar que não era nada bobo. E tinha um olhar perspicaz e matreiro. Ele até se ofereceu pra fazer janta pra nós, mas não quisemos. Tinha muita coisa gostosa pra comer...queijo colonial, doces, pães e bolachas.

Betão assistia TV em uma poltrona e na outra me sentei com minha esposa no colo e a safada de vez em quando se levantava pra pegar alguma coisa, tomar água, fazer xixi e nessas levantadas sua bunda se mostrava. Ele não perdia um lance desses, e algumas vezes até dava uma alisada no volume enorme que se formara no short. E quando perguntei se morar ali sozinho sem mulher ali no sitio não era ruim, todo safado disse que tinha duas mulheres casadas que moravam ali perto que sempre vinham ali “brincar” com ele. RSS.

Aquela situação de safadeza já me deixara com tesão e Verinha putinha do jeito que era se encaixou no meu pau e toda safada rebolava devagarzinho. Sua buceta estava completamente ensopada. Sua camisa só estava fechada com um botão...e quando se levantava e andava mais mostrava do que escondia. E então resolvi atiçar um pouco mais dizendo:

-Acho que deve ter algum bichinho que provoca coceira aqui no sitio Betão...minha esposa não para quieta, toda hr fica se levantando...toda inquieta...parece que tá toda elétrica. RSS.

Toda safada Verinha disse:

-é verdade...to me sentindo diferente...também tanta coisa que aconteceu hj...estamos aqui...quase nus...num lugar estranho...isso me deixa excitada...nem sei por que! Mas estou adorando essa aventura!

Betão resolveu mostrar que sabia o que fazer e sorrindo disse todo safado:

-Eu sei...porque sua esposa tá assim...Michel...vc também sabe...a coceira que ela tá sentindo não é por causa de um bichinho...é por causa de um bicho bem grande...mas acho que tenho o remédio pra fazê-la ficar bem quietinha...em vez de sentar no colo do seu marido...vem aqui...sentar no colo do negão...vem loira!...tira a camisa...quero ser esse rabo branquinho...sentando bem gostoso!

Submissa Verinha tirou a camisa e ficou rebolando como uma puta de costas pro Betão. Em segundos ele tirou o short e eu ali ao lado me assustei com aquela pica negra grossa e completamente dura e então ele disse todo macho:

-isso...assim...mostra que a putinha loira...sabe rebolar esse rabo gostoso...vem descendo...sua vadia...senta no meu colo...vou acabar com essa coceira...nessa buceta...

Verinha quando sentiu aquela pica enorme deslizando entre os lábios molhados de sua xoxotinha apertada gemeu dizendo toda sensual:

-humm...como é quente...nossa...é muito grande...acho que não vai entrar...sou muito apertadinha...ahh.

Betão então encaixou na entrada da bucetinha de minha esposa taradinha e puxou-a com determinação de encontro ao seu pau grosso. Ela deu um grito e tentou se levantar mas ele não teve dó e foi enfiando aquele monstro negro dentro dela...dizendo todo tarado:

-humm...que bucetinha apertada tem a vadia...que delicia...vou deixar ela bem larguinha...sua puta...rebola vagabunda...rebola no pau do negão...mostra que vc sabe dar gostoso...pra um macho...rebola!

Verinha gemia como nunca tinha gemido...chegava até a gritar...mas rebolava como uma puta profissional sussurrando de tesão:

-ahh...que delicia...que pau grosso...tá me arrombando toda...negão tarado...ahh...nossa...vou gozar...mete!

Betão então se levantou com ela espetada naquela pica descomunal e colocou-a ajoelhada na poltrona e passou a meter na minha esposa sem dó...logo ela levava tapas fortes na bunda banca...em instantes já tava toda vermelha...ela gritava de prazer...aquela pica entrava e saia com força...o barulho do ventre dele batendo na bunda dela era delirante...eu ao lado estava com meu pau todo durinho assistindo aquele macho negro comendo minha esposa fazendo-a delirar...e ele então me olhou e disse todo sensual:

-ahh...que delicia...meter na bucetinha da tua esposa putinha...tá gostando de ver a putinha sendo comida por um pau de verdade...tá...corninho...vou deixar ela toda arrombada...fala...que vc tá gostando de ver um macho de verdade...comendo sua esposa vadia...safada.

O tesão tinha tomado conta de tudo ali naquele lugar e disse:

-to...gostando...sim...nossa...nem acredito...que ela tá agüentando essa pica enorme na bucetinha apertada dela...eu to adorando...pode comer minha putinha...ela é bem safada...nossa...que loucura...

Verinha apanhava na bunda e rebolava como uma louca naquele pau imenso...ela já tava tendo orgasmos múltiplos...gozando copiosamente. Eu me levantei da minha poltrona nu e cheguei bem pertinho deles e fiquei ali de boca aberta assistindo maravilhado aquele macho pauzudo metendo que nem louco na minha esposa vadia e completamente tomada pelo tesão.

Betão então deslizou a mão pela minhas costas e quando chegou à minha bunda em segundos senti um dedo grosso enterrando no meu cuzinho. Nem percebi que empinei minha bunda grande pra sentir aquele dedo mais profundamente e ele todo safado...pegou minha mão e levou até seu pau que continuava entrando e saindo com força da buceta da minha esposa putinha...e então todo macho ele disse:

-agora...vamos pra cama...a putinha e o corninho viado...quero os dois chupando meu pau...quero gozar na boca dos dois!

Obedecemos de imediato...e em segundos nossas bocas chupavam com volúpia aquela pica negra enorme. Aquele mastro negro era imponente e muito grosso quase não cabendo na boca...mas o tesão fazia com que tentássemos engolir tudo. Betão todo tarado...estava com os dedos enterrados no meu cuzinho e no cuzinho da minha esposa putinha...fazendo-nos rebolar deliciosamente gozando junto com ele.

Quando saiu o primeiro jato quente de porra parecia que era um vulcão em erupção. Era muito liquido e tanto eu quanto minha esposa putinha engolimos tudo. Quanto senti nos lábios pela primeira vez o gosto de sêmen de um macho achei um pouco estranho mas rapidinho passei a adorar o sabor e lambi tudo que escorria com muito prazer. Naquele instante percebi que daquele dia em diante eu ia querer sentir um pau de macho em minha boca novamente.

Betão se levantou e foi tomar banho e Verinha então disse toda sensual:

-ai...amor...que loucura...foi essa...nossa minha buceta tá toda ardida...que pau grosso...to arrombada...mas adorei...ser comida desse jeito...que delicia...chupa meu grelinho...quero gozar na tua boca...agora...vc também gostou né safado...chupou aquele pauzão com vontade hein...meu maridinho...tá mostrando que também...gosta de macho...do jeito que vc rebolou nos dedos dele...o negão vai querer te enrabar gostoso!

-nossa...também nem acredito no que estamos fazendo...eu gostei de tudo...até agora...mas aquela pica não vai entrar no meu cuzinho...Verinha...eu nunca dei...só fiz troca-troca quando tinha 15 anos...Betão é um cavalo...ele mete sem dó...acho que não agüento...aquilo na minha bundinha.

-deixa pra saber...disso daqui a pouco...chupa meu grelinho...por favor...quero gozar...vc sabe que adoro...

gozar sendo chupada...chupa...meu maridinho...viadinho...chupa...tua putinha.

A safada logo rebolava com uma vadia tarada...e logo senti um choque com a língua do Betão no rego da minha bundinha me fazendo rebolar todo tesudo e Betão então disse bem sensual:

-o viadinho loiro...tá louco pra dar...esse cuzinho né? Ta querendo um macho nesse rabo gostoso...né?

Todo cheio de tesão com aquela língua quente penetrando meu cuzinho me entreguei inteiro e disse:

-eu...eu...to...sim...tenho medo...juro que nunca dei pra um homem...só brinquei assim quando era garoto...

mas...adorei chupar teu pau...e to louco de vontade...de dar pra vc...Betão...mas...to com medo!

Ele então colocou um travesseiro debaixo do meu ventre e se deitando em minhas costas disse sensual:

-fica tranqüilo...vou fazer vc gozar gostoso...vc vai virar uma fêmea...debaixo de mim...e vai adorar ser enrabado...pode ter certeza...sei como comer viadinhos como vc...relaxa...que vc vai virar uma putinha...igual à vadia...que vc é casado...assim...vamos brincar...bem gostoso...viadinho...vou ser teu macho!

Ele deslizava aquele pauzão grosso e duro como aço entre minhas nádegas e quando aquela cabeça enorme tocava meu anelzinho virgem eu tremia de tesão e ansiedade. Verinha se masturbava diante dos meus olhos olhando toda tarada aquele negão deitado em minhas costas e dizia toda safada:

-ahh...que delicia ver um macho comendo meu maridinho...humm...que delicia...come o safadinho...come!

Eu rebolava sentindo aquele pauzão em toda extensão do meu rego...aquele negro safado estava me levando à loucura brincando daquele jeito...quando sentia a cabeça tocando a portinha do meu cuzinho até jogava o corpo ao seu encontro querendo mais e então ele mordendo minha nuca sussurrou:

-viadinho...tarado...assim...to sentindo que vc já ta pronto pro teu macho...meu viadinho loiro...vc tá pronto pra levar vara...vc vai se sentir uma menina...teu macho vai meter em vc...quero que vc de gostoso pra mim...seja um viadinho...de verdade!

Quando a cabeça daquela pica grossa pulou dentro do meu anelzinho dei um grito...senti-me rasgado ao meio...mas Betão...segurando-me firme...foi enfiando aquele monstro dentro de mim sem parar um instante...eu gritava alto mas ele nem se importava e então disse todo tesudo:

-ahh...que cuzinho delicioso...apertado demais...que delicia...grita...viadinho...grita...eu adoro ouvir os gritos de viadinhos quando perdem o cabacinho...pode gritar...teu macho vai te comer...inteirinho...seu safado...

Lagrimas escorriam de meus olhos mas Betão não tava nem ai e então senti seu saco encostado em minhas coxas...ele estava inteiro dentro de mim dizendo:

-pronto...agora não tem mais cabaço...viadinho...teu macho...tá todo dentro de vc...ja já passa a dor...e quero sentir vc rebolando...como uma putinha...dá pra mim...bem gostoso...dá...vc agora...sabe que gosta de pau no cu...viadinho safado...rebola esse rabo...gostoso...rebola putinha...rebola viado!

O tesão de ter uma pica grossa e dura no cuzinho fez com que sem perceber passei a rebolar debaixo daquele macho negro que ao sentir isso começou a me comer de verdade e todo tarado dizia:

-hummm...que viadinho guloso...que vontade de dar o cuzinho...assim...assim...rebola putinha...rebola...que cuzinho delicioso...assim....rebola...viado...adoro viadinho bem putinha...quero sentir vc gozando na minha pica...da gostoso...dá...viado...

Dei um grito incrível e comecei a gozar intensamente...era um gozo incrível...e gozava com meu pintinho completamente mole...e aquele negro pauzudo...tarado demais...continuava a meter forte...eu era quase estuprado...mas eu me sentia uma menina sendo comida de verdade pelo seu macho...e quando ele deu um urro e ejaculou dentro do meu cuzinho...também gritei e gozei novamente...meu cuzinho foi inundado de tanta porra...o prazer de sentir aquele sêmen quente dentro de mim...fazia-me sentir um prazer louco!

O silencio tomou conta daquele lugar...só os pingos da chuva faziam um pouco de barulho.

Verinha minha esposa...estava com as pernas abertas...se acariciando lentamente com a mãos.

Levantei-me e fui tomar um banho...pelas minhas coxas escorria porra daquele macho negro...Verinha veio atrás e tomamos banho juntos...quietinhos e extenuados.

Achei que ia ficar uma semana sem poder me sentar direito...quando a água fria tocou meu cuzinho senti um calafrio de dor...mas logo em seguida me lembrei do prazer de ter sido enrabado por um macho e tive a mais absoluta certeza que ia querer repetir isso muitas e muitas vezes. So de lembrar o calor do corpo daquele macho deitado em nas suas costas e aquele pauzão enorme te comendo...fazia vc ter certeza que vc seria um viadinho pra sempre.

Voltamos e nos deitamos nus na cama. Betão todo sorridente foi tomar banho e quando voltou se deitou nu meio de nos e logo adormecemos, coberto apenas por um lençol fino, afinal era um verão quente.

Era já de madrugada e acordei com a cama balançando...Betão tava dando um trato na minha putinha da minha esposa. Ela estava sentada na boca dele sendo chupada com vontade. A safada como sempre era só levar umas lambidas no grelo que gozava com facilidade e então Betão ficou de conchinha com ela e começou a meter na bucetinha da safada que gemia sussurrando:

-aiii...que delicia de pau...como é grande...mete...arregaça minha bucetinha...seu tarado...que pau gostoso!

Em instantes fiquei com tesão com aquela safadeza rolando ali ao meu lado...e logo enfiei meu rosto entre as coxas de Verinha e passei a lamber sua buceta e também o pau negro e grosso daquele macho insaciável. Ela gozava quase que ininterruptamente e então percebi que ela ia sofrer um pouco mais. Betão tirava o pau da bucetinha inchada dela...e dava umas cutucadas no cuzinho. Ela embalada na sacanagem nem percebia o que ele tava querendo...eu aproveitava e chupava seu grelo sensível deixando-a mais tesuda e quando ela percebeu o que ia acontecer já era tarde. Betão encaixou a cabeça da pica enorme no cuzinho da Verinha e segurando-a com firmeza...começou a meter no seu cuzinho. Ela gritou como uma louca de dor...mas isso era um prazer para os ouvidos dele...e foi enfiando até o talo...dizendo:

-humm...que cuzinho gostoso...também...apertadinho...adoro comer cuzinho das putinhas....agora para de gritar...e rebola sua puta...vc já deu o cuzinho antes...deixa de frescura...sua vadia...rebola vagabunda!

Ele colocou-a de quatro na cama e começou a meter na safada...ela chorava e gritava mas não demorou pra fazer o que aquele macho mandava. Rebolando e gemendo sussurrava:

-seu....tarado...tá arregaçando meu cuzinho...negão filhodaputa...safado...aiii...

Ele então encheu sua bunda de tapas novamente...e dessa vez batia mais forte dizendo:

-sua branquela vadia...puta safada...vadia de rua...rebola vagabunda..na pica do teu macho...safada...ahh.

Ela deu um grito de prazer e se contorceu por inteira...gozando copiosamente...seu corpo parecia que tinha levado muitos choques...era um prazer incontrolável...

Demorou uns minutos até ela se aquietar no canto da cama. Nem se levantou pra tomar banho e dormiu.

Betão não tinha gozado e só deu uma limpada no pau com uma toalha e se deitou novamente.

Deitei de costas pra ele...Senti em instantes ele me abraçando de conchinha comigo...aquele pau grosso continuava duro e se alojou entre minhas coxas. Senti-me uma menina encoxada pelo seu macho...e todo safado me aninhei em seus braços e levei minha mão entre as pernas e peguei na cabeça daquele pau fazendo carinhos. Betão então beijou minha nuca e sussurrou baixinho:

-meu viadinho...adorou minha pica...né...acho que vai querer voltar aqui...e dar pra mim...muitas vezes né?

-eu...eu...sim...nunca senti tanto prazer...na minha vida...adorei me sentir menina...vc é um macho incrível!

-brinca com o pau do teu macho...passa ele no reguinho...coloca a cabeça na entrada do cuzinho...e rebola bem devagarzinho...dá um tesão...sentir o cuzinho do viadinho beijar a ponta da minha pica...brinca...deixa teu macho...com mais tesão...minha menina...rebola minha putinha!

Ele me deixava louco com sua voz grossa e sensual em meus ouvidos...suas mãos fortes deslizavam pelo meu corpo me deixando totalmente entregue aos prazeres daquele negro pauzudo. Minha bundinha tesuda rebolava na ponta daquele pau enorme...e mesmo com o cuzinho todo inchado...a todo o momento sem pensar em nada, empinava meu rabo de encontro aquele pau grosso...e Betão todo safado continuava:

-que viadinho delicioso...veio parar na minha cama...rebola...assim...bem gostoso...acho que a menina ta querendo macho de novo...que dar pra mim...putinha...quer...engole minha pica...com esse cuzinho gostoso...mostra que quer minha pica de novo...vai...rebolando e enfiando tudo...viadinho...dá pra mim!

O poder daquele macho negro sobre meu corpo era incrível...quase sem dor...metade daquela vara enorme e grossa estava dentro do meu cuzinho...e eu rebolava sem pudor gemendo e sussurrando:

-ahh...que delicia...sentir esse pauzão no meu cuzinho...ahh...que macho gostoso...que tesão...

Betão levou a mão entre minhas coxas e pegando no meu pintinho duro e disse tesudo:

-rebola putinha...vou abaixar esse pintinho...viadinho pra dá pra mim...tem que aprender a deixar o pintinho bem molinho...engole minha pica...viadinho...quero sentir sua bundinha encostada no meu ventre...rebola...

Ele pegou meu saquinho com uma mão e com a outra tampou minha boca pra que eu não gritasse e deu um apertão forte nas minhas bolas...quase mijei de dor...em instantes meu pintinho murchou e ele então disse sensual:

-pronto...agora meu viadinho...virou uma menininha...do jeito que eu gosto...tem que gozar só pelo cu...rebola putinha...quero te comer bem gostoso...rebola gostoso na minha vara...ela tá inteira dentro desse cuzinho gostoso...dá...putinha...da gostoso...pro teu macho!

Eu gemia e rebolava tesudo e senti que ia gozar e então todo entregue pedi bem sensual:

-aiii...Betão...vou gozar...vou gozar...mete...meu macho...enche meu cuzinho de porra...goza pra mim...goza!

Quando ele soltou o primeiro jato de porra no meu cuzinho gozei junto me convulsionando por inteiro...e como meu macho queria....gozei com o pintinho bem molinho...gozei só pelo cu...eu mordia aquela pica com meu anelzinho se contraindo como louco. Ficamos engatados deliciosamente e quando percebi que ele ia sair de dentro de mim disse todo sensual:

-não tira...Betão...teu viadinho quer dormir...com teu pauzão no meu cuzinho...por favor...fica assim...inteirinho dentro de mim...por favor!

Ele todo carinhoso me beijou a nuca e me apertando contra seu corpo sussurrou brincando:

-to vendo que minha menina...tá querendo ficar grávida...do macho dela...adorei saber que vc quer dormir assim...que delicia...dorme minha putinha...

Acordamos de manhã felizes e satisfeitos. Minha esposa toda safada se levantou nua e foi tomar banho...fiquei na cama sendo alisado pelo meu macho pauzudo...minhas coxas estavam escorridas de porra...logo Verinha saiu e foi minha vez. Enquanto colocávamos nossas roupas que tinham secado Betão tomou seu banho e logo vimos que tinha saído um sol maravilhoso.

Betão então foi a cavalo no sitio vizinho onde havia um trator pra tirar nosso carro do atoleiro. E isso não demorou muito e por sorte o carro não teve problemas, funcionando normalmente apesar da sujeira e então resolvemos voltar pra nossa casa. Afinal em apenas uma noite tínhamos vivido uma aventura muito louca e cheia de prazeres.

E durante nossa volta, quando começamos a relembrar tudo que havíamos feito naquele sitio deu pra notar que aquilo ia ficar presente em nossas mentes constantemente e com certeza voltaríamos sem demora pra visitar Betão, nosso macho negro do pau grosso e enorme.

Apesar de tanto eu quanto Verinha estarmos doloridos por causa daquele pauzão...não demorou pro tesão voltar com força total. Mas isso a gente conta pra vcs outro dia...RSS.

Outros contos do TETE acessem meu perfil: //is.one-seo-capital.ru/findporn/perfil/150463

Se quiserem entrar em contato:

skype: tete-cp1

ppppppp9i8

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
03/12/2015 21:19:42
MARAVILHOSO!!!!!!!!!!!!!!!!!
06/11/2014 14:34:38
Reli o conto. Simplesmente maravilhoso. Puro tesão
j.a
12/01/2014 00:15:22
maravilhoso, exitante tudo de bom. nota 10
31/07/2012 21:57:10
Olá... meu nome é Rubia. Que delicia de conto. Eu e meu marido ficamos muito excitados. Também publicamos um. O Nome é: "A procura de um amante" Temos um blog com muito assunto e fotos de sexo. Tambem relatamos nossas aventuras. O endereço é rubiaebeto.comunidades.net
24/07/2012 17:10:09
13/07/2012 02:19:24
Nossa, que experiência maravilhosa!!! É interessante quando um casal é cumplice a esse ponto. Espero um dia ter a sorte de me relacionar com uma mulher que seja companheira assim e divida tudo comigo... Aguardo ansioso por novos contos!!! Apesar de longo, merece nota millll
11/07/2012 10:09:43
Nossa, que experiência fantástica. Voces são sensacionais e muito safadinhos.Agora, a vida de voces vai dar uma guinada, não tenho dúvidas. Voce Verinha, toda gostosinha, não vai se satisfazer mais com a piquinha do maridinho e, voce Michel, agora que provou da fruta, não vai parar mais. Vai disputar os machos com sua esposinha safada . Felizardo o Betão, que inveja dele.O conto é muito excitante e bem escrito. Fiquei com tesão do início ao fim. Nota dez.

Online porn video at mobile phone


xvidios tirando cingemcontos erótico de massagitas dotados comendo madames e ninfetascontos eróticos escritos de lactofiliacontos porno gratis estupro sadomasoquismo submissãoxvideos sobrinha peca tio batedo puetamulheres que gostam de ser encostada no ônibus contosvideos porno pau gigante.na.bucetinha apertada deu emoragiaeu sou solteira eu tenho um amante casado empresário rico eu nunca eu deixei ele fuder meu cu virgem ele sempre ele quis fuder meu cu virgem eu fui com ele pro motel eu e ele dentro do quarto eu dei um abraço nele eu dei um beijo na boca dele eu tirei minha roupa eu deitei na cama ele chupou meu peito ele disse pra mim eu adoro chupar sua buceta raspadinha ele começou a chupar minha buceta eu gozei na boca dele eu chupei seu pau ele começou a fuder minha buceta eu gozei eu disse pra ele não goza dentro da minha buceta eu disse pra ele eu quero dar meu cu virgem pra você pra você goza dentro do meu cu conto eróticoporno brasileiro cunhada vai na chacara com cunhado acaba trazzado com eleesperei ela se distrair e empurrei no cu dela xnxxporno vidios mulher vestida de mamae noeu engatada com cachorroxvideosmeninascom tesaowww.xvideos.com/negao rasgando a esposa do fornocontoseroticominha esposa, trepou com um casal de negrosconto corno confidenteconto porno submissa humilhaçaopornodoido maestral punhetaestripulia caseira na cama com a chanaconto erotico gay branco dominador gosta de maltratar viado pretoPadrinho picudo botando só a cabeça na afilhada virgem Iniciando uma bixinhacumendo a tia fazendo unia pornodoido contos eroticos gosto de levar surra de piça ggsobrinha abre a perna para o tiochuparxvideos nildaoContos eroticos a neta da vizinhacartas para paiestrupador Mulher fazendo ladra de condominio chupar sua bucetamandei se levantar e se debruçar na pia da cozinha que eu iria enrabala contos eroticospornodoidao caralho mostroxxvideosnegraslesbicasContos eroticos curtos esperiencia , sexesul com cachorrocontos tio vc e dotadao aiaiai fotos pornohomem fode a buceta dabesta i goza jemendomae e tia na piscina contosfodendo o cu e levando chutetranzasaovivochupando cuzinho beiçudovidio porno filha da abuceta pro pae com mais 70anossobrinha ainda sem peitinho 13 contowww.xvideos.com/negao rasgando a esposa do fornomulher furando o grelhilho da bucetaponto não. quebrau. cabaso da vigexvdnovinhas safadinhas dando para o dotadominha tia Gleice Albuquerque pornôcontos eroricos de papa anjo gaysConto erotico fudendo a novinha antes dela virar freira ela nao aguentavidio porno maniaco fode a forca muiler chegando em casaxxxvideos travesti bem novinha cumendo gayconto lesbico a procura do amor cap25bucetas da ñoviha gonzanovideos porno com nojo e volmito xvideos l.comnovinha brincano com pau do muleke e saindo aquele liquidocontos eroticos a brincar no escuroai mae maei pornopedreiro fodendo véia n refórmaquero baixar filme pornô do genro na intenção da sogra batendo p****** e g****** nas calcinhas delaEu confesso mimha cunhada fica muito bunduda de suplexcontos eroticos incedto padradto e intesdapornô sogro troca carinho com amora no celeirocontos eu e minha esposa demos carona a dois homem e meterao a pica nela..negão metendo a pica no alô Ninhaporno ecitNtecontos primeiro boquete de uma creteWww.mulheresemaridoscornos/porno conto erotico menino manhosoxvideos sobrinhopega tio de pau duroforçando a enteada dar o priquito e o cu pro padrastovídeo pornô comendo o c* da magrinha deitada transposiçãof****** a enteada da b***** bem raspadinha