O BARBEIRO NEGRO

Um conto erótico de Joseevan
Categoria: Homossexual
Data: 12/05/2011 13:36:04
Nota 9.67
Assuntos: Homossexual, Gay

Há alguns anos eu freqüentava a mesma barbearia, eles estavam na galeria há uns 20 anos e eu ia lá no máximo há quatro anos. Sempre fui fiel ao meu barbeiro. Num fim de tarde qualquer, eu cheguei e não o vi, um barbeiro negro se levantou e veio em minha direção, perguntei pelo profissional que me atendia e ele respondeu que não estava, apontou sua mão para uma cadeira vazia.

- Senta - disse num tom firme.

Eu sentei e ia dizer como queria meu corte quando ele começou a cortar. Tentei dizer alguma coisa, mas fui interrompido.

- Eu sei o que faço - falou seguro e confiante.

Aceitei, em virtude da segurança e firmeza que ele me passava. Só então comecei a reparar nele. Era alto, forte, musculoso, quarentão e tinha a pele de ébano. Ele ia cortando e eu ali quieto.

- Gosto de clientes tranquilos - ele dizia e acrescentou - já basta minhas namoradas tagarelando sem parar.

Fiquei ali e percebi que tinha prazer em fazer o que ele dizia. Nunca tinha sentido essa sensação, mas era bom ser conduzido, ainda mais por alguém com tanta convicção. Ficava o observando. Ele foi fazer minhas costeletas e quando tocou meu rosto, senti um arrepio e me surpreendi tendo uma ereção. O que era aquilo? O que estava acontecendo? Estava incrédulo. Ele me tocava e eu desejava suspirar. Ele terminou o corte, eu paguei e fui embora. Quando saía, vi meu antigo barbeiro num canto da galeria. Sem graça, expliquei o que aconteceu e pedi desculpas.

No mês seguinte voltei e os dois estavam lá. Pretendia voltar a minha rotina, mas o negão - Juvenal é seu nome - se levantou e apontando para a cadeira vazia disse para eu me sentar e eu obedeci. Nem olhei mais para o barbeiro, numa saia justa como essa, abaixei os olhos e só observava, vez por outra, o Juvenal. Quando acabou, eu paguei e ele olhou para mim.

- Vamos ali no bar - disse com seu tom autoritário e de quem tem o controle.

Ele pediu, eu fui. Chegamos lá, ele pediu uma cerveja e uma água para mim, sem sequer me perguntar. Achava estranho, mas gostava de estar ao lado de quem sabe o que quer. Não tinha muito o que falar e confesso que tentei puxar um papo. Ele me pediu que ficasse quieto e começou a conversar com outros frequentadores do local. Pediu outra cerveja e eu ali, quieto. Quando acabou, virou-se para mim.

- Paga - disse Juvenal, certo do que aconteceria.

Eu paguei e saímos dali. Na galeria, ele me disse que queria conversar comigo. Falou que era sobre o outro barbeiro. Que ele quis tomar satisfação com ele e que ele sabe como agir nesses casos, mas que prefere ter que evitar. Então, mandou que eu voltasse a barbearia e pedisse desculpas a ele dizendo que a partir de agora eu só cortaria o cabelo com ele, Juvenal, e que estava mais satisfeito assim. Que o Juvenal não teria nenhuma culpa nessa história. Eu concordei e ele nem agradeceu, apenas disse que era melhor do que ter dar uns tapas no sujeito. Eu percorri a galeria, no que pareceu ser uma das mais longas caminhadas que já tive. Entrei de volta na barbearia e falei para todos que pudessem ouvir. Fui embora arrasado, mas ansioso para a próxima volta, que dessa vez - por minha ansiedade aconteceu - em três semanas. Ele riu ao ver que voltei tão cedo.

- Por que demorou tanto. Veio cedo, hein - disse.

Quando acabou, a rotina do botequim e ele concluiu dizendo que era para eu ir na casa dele à noite, que ele ia terminar o serviço. Eu pensei em dizer que não estava entendendo - e não estava certo mesmo do que acontecia - só que gostava de obedecê-lo.

A noite fui até sua casa e o encontrei apenas de calças jeans, quando pude observar bem seus músculos e tórax. Ele estava em plena forma. Ele me trouxe uma bebida e eu bebi. Ficamos ali, vendo tv no sofá dele, quando ele me fez beber uísque. Relutei, mas não teve jeito, logo comecei a ficar mais desinibido. Ele se aproximou, colocou a mão por trás do meu ombro e sussurrou no meu ouvido:

-Vamos.

Não acreditava no que estava ouvindo.

- Sei que você quer, posso ver. Vejo como você gosta de me obedecer, não gosta? - perguntou cheio de autoridade.

- Sim.

- Assim que eu gosto.

Ele me puxou pela mão e me levou para seu quarto, era grande e com uma cama de casal e um armário antigo. Sem que eu me desse conta, me puxou contra seu peito nú e me beijou. Senti um certo nojo de início, nunca havia beijado outro homem, mas meu pau duro me denunciava o tesão. Ele me acariciava e rasgou violentamente minha blusa, quando eu soltei um grito.

- Segura a onda - ele mandou - Você ainda não viu nada.

Ele segurou no meu cacete e eu suspirei.

- Tá gostando? - perguntou.

- Adorando. Uma delícia! - respondi.

Logo ele desabotou a calça e pôs seu mastro a minha disposição. Tive dificuldade de engolir, mas para minha inexperiência acho que me saí bem. Lembrava das mulheres chupando paus nos filmes pornôs que via na adolescência. E me imaginava como uma delas diante de um garanhão de ébano. Quando ele se sentiu bem lubrificado, me colocou de bruços em sua cama. Mandou que eu abrissebem minhas pernas e pude sentir sua respiração no meu cangote e seu pau duro, em riste, roçando em minhas nádegas. Senti sua cabeça sendo posicionada em meu buraquinho, ele tentou entrar e sentiu resistência.

- Apertadinha, hein - comentou.

Tentou mais uma vez e dei um gritinho.

- Tá machucando, você tá bem apertadinha. Não vai me dizer que é sua primeira vez?

Respondi que sim. Ele riu e disse que tinha tirado a sorte grande, ia descabaçar uma virgem. Disse que ia agir com calma e carinho, para que eu não me preocupasse. Saiu e voltou com um creme, que lambuzou meu rego, os dedos deles e seu pau. Brincou com os dedos, introduzindo-os um a um, fazendo-me gemer de prazer e rindo de como eu estava gostando daquilo. Dois dedos, viraram três, que viraram quatro e logo eu começava a me sentir preparado para o mastro negro. Ele entrou devagarinho, eu suspirava e tentava acomodar ao máximo, doía e pensava em desistir, cheguei a tentar me levantar - ele se aproveitou e habilmente me colocou de quatro - aproveitou-se para deslizar com mais facilidade. A dor ia sendo substituída por prazer. Ele mandou eu agradecer por ele estar tirando minha virgindade e eu agradeci. Ele começou a me bombar e eu fui sendo cavalgado pelo meu barbeiro.

- Negão tesudo. Ju, você é demais. Continua, não para. - eu pedia.

Ele me deu um tapa na bunda e eu enlouqueci de tesão, rebolei, urrei e gemi como nunca antes. As mãos deles, grandes e calejadas, percorriam meu corpo e paravam para brincar com meus mamilos. Sentia seu saco batendo em minha bunda, ele aumentando a velocidade e sem aviso, um jato quente que me inundou. Ele gozou bem e jogou seu corpo sobre o meu. Dormimos assim e quando acordei, tomamos banho juntos, ele me fez fazer sexo oral mais uma vez e disse que gostaria da minha bundinha de novo, mas que para uma primeira vez, eu ainda devia estar dolorido. Pegou meu telefone e disse que me ligaria.

Fiquei esperando. O dia se passou e nada. Mais um dia e nenhum sinal. No terceiro dia, achei que não tinha sido bom, que não agradei ou que ele já tinha conseguido o que queria. No dia seguinte, achava que já se passara tempo demais e pensei em ir a galeria. A tarde, ele ligou para meu celular e disse que viria a minha casa. Pegou o endereço e eu voltei cedo do trabalho, para preparar um belo jantar.

Ele chegou, jantamos e bebemos, ele cerveja e eu vinho. Antes de terminar, me mandou para o quarto e me colocou de quatro em minha cama.

- Hoje serviço completo - falou cheio de marra.

Puxou uma navalha e ficou passando em minha bunda, ao redor do meu saco e do meu pau. Cheguei a imaginar o que aconteceria, mas o tesão era tanto, e ele acariciando meu pau de vez em quando, que deixei acontecer sem dizer um Ah. Ele foi ao banheiro e voltou com creme de barbear. Encheu minha bunda de espuma e começou a me raspar. Meu pau pulsava a cada navalhada, tamanho era o tesão que sentia.

- Me faz gozar - pedi.

- Quando eu quiser - respondeu ele contrariado - Nunca mais me peça isso. Você está aqui para meu prazer, entendeu?

Concordei com um tímido sim.

Ele me deixou bem lisinho.

- Gosta? - perguntou, enquanto eu passava a mão e via minha nova bunda.

- Sim, Juvenal.

- Então, paga. R$ 50 pelo serviço.

Eu ia reclamar, mas paguei.

- Trabalho de profissional.

Meteu um dedo e eu gemi, tentei rebolar.

- Tá no cio - falou sabendo a verdade.

Enfiou outro dedo e quando chegou a três, tirou.

- Até outro dia. Hoje vai ficar na vontade, por ter me pedido para te fazer gozar.

- Desculpa, desculpa, Juvenal. Você vai querer perder de experimentar minha bunda lisinha, como você preparou?

Sua resposta foi violenta. Me empurrou e se posicionou de forma que eu o chupasse. Segurou minha cabeça com força e controlou como eu o chupava. Assim que ficou duro, me enrabou sem dó. Eu gritei e ele só parou quando gozou. Desta vez, nada de banho, me fez dar outra chupada e então foi mais gentil, me comeu com carinho. Me fez gozar e gemer, suplicar e me encheu de beijos. Gozamos juntos e dormimos até tarde. Na manhã seguinte, preparei o café do meu homem e ele foi direto para o trabalho, mas antes deu uma rapidinha. Desde esse dia, Juvenal faz amor comigo quando quer e eu passei a admirar e ficar cheio de tesão por negros, ficando sempre a disposição deles para o que der e vier.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
15/09/2012 02:28:37
Adorei!!!
13/05/2011 16:51:17
Muito bom conto. Voce sempre foi um viadinho, só não havia descoberto isso. Agora carpe diem, aproveite.
12/05/2011 14:47:08

Online porn video at mobile phone


contos esfolei o anus da mamae bebadaenfioo seu pirocao no cu do viado no chuveiroUm hétero machista e homofóbico apaixonado por um índio 4xvideos sonafero safadoAte o primo do corno ja me fudeuquero ver o homem com p***** de 50cm deixando tudo na b***** das mulher fazendo a virgindade filme pornô nacional agoravovo mais de oitenta anos brasileiras cagando i peidandoporno doido so chupança de buceta. com muita fomecontos eróticos virei putinha crossdresser dos pedreirosvideo enteada chama padrasto nua para fudela em seu quatocontos erotico,meu genro me enrrabou dormindoconto erotico encostou a lingua na linguinha da minha bucetacontos e xitantes a mulher do meu chefe me seduziuatropelei o pauzudo xvideosmãe rabuda de vestidinhos curtíssimo lavando louça e sem calcinhaContos eróticos de gozada na boquinha da madameXVídeos sobrinhas trombada virgemcontos eróticos gordinho afeminadoquero ver mulher só de calcinha fio-dental Zinha deitada de papai com as perna aberta de frentexvideos pau gráñdexsvidio meniana e menino de menor traçadotroncudo na putaria gayContos eroticos negao fudendo gostoso com a viuvadoce nanda parte cinco contos eroticosvideos porn daquelas mulheres enquanto fodem ela mete a mão na boca depois a mão que estava na boca vai a vagina no pornuhConto erotico de casada q nao se satisfaz com o pau d marido e fica com tesao d ver velho pintudoconto erotico tia tarada nosobrinhocontos eroticos filha 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 aninhoscontos eroticos cheia de pentelhos horriveisemtertida com celular xvideostopei minha prima dirmindo xxxvideoencoxando as meninas na baladasexo desleal com meninas na xotacontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgeAliviando os funcionarios contos eróticosporno gratis xvideos pai abriucaminho.pro.filhofodido pelo mendigo roludo contos gayeu não sabia que o amigo solteiro tinha um pauzao do meu marido eu queria fuder com ele eu marquei um encontro com ele eu fui me encontrar com ele eu entrei dentro do seu carro eu disse pra ele me levar pro motel ele me levou pro motel eu e ele dentro do quarto eu dei um abraço nele eu dei um beijo na boca dele eu tirei minha roupa eu deitei na cama ele chupou meu peito ele disse pra mim sua buceta raspadinha e linda ele começou a chupar minha buceta eu gozei na boca dele eu peguei no seu pau eu disse pra ele você tem um pauzao maior e mais grosso que o pau do meu marido eu chupei seu pau ele começou a fuder minha buceta eu gemia no seu pauzao ele fundendo minha buceta eu gozei eu disse pra ele fode meu cu bem devagar conto eróticomarido pega mulher.trazando com oltropornoirado.com / casada gritou na rola monstroXvideo.com irmãn boba chupando pau fino cabesudoXvideobibawww.mundobicha australiano sarado fode novinho.com.brconto erótico cadela limpar a casa nuacontos eroticos tomei tudinho a porra do meu cunhadoXVídeos de baianêsconto erotico tio metelãoxvideos filio comedo amae ela noa aquetaxvideos comendo o cadaver no cemitériocontos eroticos rapidinha com sobrinhomulheres gostosonas seduzimfotarada nuonibuxvideos vermebrancoNovosfiumepornoxvideo carreteiro sendo massageadocontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgeO que e doidopornMulher lendo jornal e dando cu pornotia dando uma licao no subrinho por ir mau na escola xvideos videosconto erotico gay o policial e o garoto marrento #14video de porou dirano vigidade da namoradafe vedtidoentilhada nao resti opadasto tomano banho di pau duro I trazol comelemagrinha quartuda pordo doidocontos eroticos de santinhassogrageroContos de coroa chatagiada pelo sobrinho e gostandooros .pornosogra transando com a nora e filhovideos eróticos de homens lindos se cumendo picudãos verfotos de grelos ichadinhosfotos de bundas bonziadas nuasimagens do negão enfiando o pinto na b***** da mulher que ela geme até a almacontos eroticos assediada pelo cunhadoXevedeos corno leva mulher para festa e eu como ela escondida vedeos casero ajudei minha filha perde vigidade com meu cunhado contocomendo minha cunhada que veio morar com agente aspanterascontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgecontos eroticos esposa fujonamenina que nao tem peito masgoza no pau gradexvideo ensinando boiarzoofilia.gratis/videos/pansexual-com-cavalo-gozando-na-buceta-e-cu-de-mulhervideo gratuito meu vizinho foi me ensinar matematica e fez sirirca em.mimcontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgeLeonilda Vídeos Pornôhttp://migre.me/w4IgEeu, minha namorada, minha namorada e meu tioConto veridico de tio e sobrinhagozando denrfo do cu virgemContos de primeira transa virgem detalhadamentenegao erguendo branquinho no paugarrafas decoradas com aniandranovınha fudeno a prımeıra vezminha eaposa me contou que gosta de super picabundas enormes aberdaamulher branquinha r***** com a b***** grande espelhinho pretinho