Sexo no cinema (continuação)

Um conto erótico de Tininho
Categoria: Heterossexual
Data: 25/06/2009 18:51:38
Nota -

Quando Maria Rejane e eu nos separamos, foi uma separação mais do que amigável, foi amiga. Decidimos, originalmente, nos separarmos em lua de mel. Escolhemos Buenos Aires e fomos para lá. Na volta, cada um seguiria seu rumo. Passamos uma semana nos despedindo e fazendo muito sexo, para termos certeza que o que nos separava era o fim do nosso amor e não o desgaste de nossa vida sexual. E assim foi.

Lá continuamos transando, nos masturbando e falando das nossas fantasias. Numa tarde, enquanto caminhávamos pela Av. Corrientes, passamos por uma casa de streap-tease. Como estávamos fazendo uma verdadeira viagem sexual, falei com Maria Rejane que queria assistir a um streap. Ela não se opôs, ao contrário, prontificou-se a ir comigo, mas, não sabíamos se ela poderia entrar. Eu fui até o porteiro e perguntei. Ele custou a entender, mas, depois disse que ela podia entrar. Quando estávamos entrando ouvimos um mulher gritar para outras:

- Una chica está a ingressar!

Quando entramos, vimos que era um pequeno teatro, com um palco sem cenário e havia apenas dois casais na platéia, provavelmente clientes com as putas do local.

Assentamos nas filas do meio, longe dos casais e ficamos aguardando. Aos poucos a luz se apagou, um tango antigo começou a tocar e as atrações foram se sucedendo. As duas primeiras foram absolutamente burocráticas. Duas streappers sem graça, vestidas com lingeries tradicionais, se desnudavam com se estivessem diante dos filhos. Pensamos em ir embora, mas, decidimos aguardar a terceira. Essa valeu a pena. Era uma loira grande, forte, quase nórdica, mas, com um corpo escultural e vestida com um indecente vestido de noiva. A música era mais moderna e ela gostava do que fazia ou era mais profissional que as anteriores, não ligava se a platéia era pequena. Sua apresentação me excitou e pedi a Maria Rejane que a exemplo dos outros dois casais, me masturbasse. Ela, que gostava de uma exibição, atendeu prontamente meu pedido, abriu rapidamente minha calça e primeiro acariciou meu pau por sobre a cueca, apertando-o enquanto olhava para mim. Eu, por minha vez, não tirava os olhos da loira, enquanto alisava o corpo da minha mulher. Maria Rejane não era uma mulher ciumenta, mas, em nossos anos de casamento e aventura, nunca transamos com outra mulher juntos. Mas, como aquilo era uma despedida, sua naturalidade em me ver excitado por outra mulher e ainda me masturbar assim, era compreensível. O teatro não era totalmente escuro e a loira no palco percebia que eu era masturbado. Maria Rejane havia tirado meu pau para fora e se dedicava a ele. De vez em quando olhava o espetáculo. À loira seguiram-se mais duas mulheres, também com performances melhores, mas, à essa altura isso já não me importava. Eu e Maria Rejane estávamos excitadíssimos por estarmos expostos daquele jeito. Na lateral, uma mulher já se ajoelhara para chupar o cliente e a outra puta estava assentada na pica do seu, de costas para ele, subindo e descendo, como se fizesse flexão.

Então Maria Rejane me surpreendeu mais uma vez. Enquanto me masturbava devagar, como eu gosto de ser masturbado, me perguntou ao ouvido se eu queria que ela trouxesse uma puta para me chupar ali. – Claro!!! –respondi quase aos gritos – Você tem coragem?

Ela só assentiu com a cabeça, deixou meu pau na minha mão e foi-se. Voltou pouco depois, apresentou-me Amanda, uma das streapper que se seguira à loira. Não era uma mulher feia, também não era bonita de rosto, mas, tinha um corpo sensacional. Era uma puta e iria me chupar na frente da Maria Rejane. Eu mal podia acreditar. Era de pele mais morena que a média das argentinas, tinha um cabelo channel, com uma fita vermelha fina, como aquelas bailarinas de cabarets americanos do início dos anos de 1900 que vemos em filmes.

Me cumprimentou com o tradiconal Olá! que as putas argentinas abordam seus clientes e me soltou um – Muchas Gracias, mi nome és Amanda...

Eu havia continuado de pau duro enquanto Maria Rejane ia buscar a mulher, quase gozei, quando sem mais palavras ela se meteu entre minhas pernas, ajoelhou-se no chão, enquanto Maria Rejane assentava-se ao meu lado, tomava meu pau das minhas mãos e voltou a me masturbar, deixando meu caralho duro como ferro, as veias proeminentes, latejando e o ofereceu à boca experiente de Amanda que já estava esperando, olhos fixados nele e a boca aberta.

Eu me desliguei do ambiente e apenas sentia a mão macia da Maria Rejane em volta do meu pau, servindo-o à boca aveludada de Amanda, enquanto a última puta fazia um streap, atenta à cena à sua frente.

Durante quase dez minutos eu fiquei dominado pela eficiente punheta que a Maria Rejane tocava em mim e pela profunda, macia e molhada boca de Amanda. Maria Rejane, dobrada sobre mim olhava atentamente o serviço que a puta me prestava, mordiscava o lábio ao me olhar de vez enquanto e rapidamente voltava a observar entre minhas pernas. Ela fazia questão de encostar a mão na boca da Amanda, às vezes segurava meu pau e deixava a puta trabalhar com a língua, depois voltava a masturbá-lo. Então, Amanda deu sinal de cansaço e Maria Rejane a substituiu por alguns minutos, lambendomeu pau já todo babado pela puta. Por alguns instantes a sduas revesaram a chupada, oferecendo meu pau uma à outra. Minha mulher então voltou para seu assento e continuou me masturbando e dando de chupar à puta. De repente ela acelerou minha punheta. Iria me fazer gozar. Eu, excitado, maravilhado com a surpreendente aventura, apertava o corpo ajoelhado da puta com minhas pernas e a mão e a boca das duas se misturavam num movimento cadenciado e firme até que esporrei. Pude gemer alto, pois, ali não havia o que se reprimir. O prazer percorreu-me todo, pelos arrepiados, estrelas nos olhos, alívio. Senti a porra escorrer toda para dentro da boca da Amanda. Maria Rejane, que olhava atentamente a cena daquela mulher chupando seu marido, ficou ainda mais excitada com meus tremores e meu gozo, apertava meu pau para que Amanda sorvesse cada gota, o que ela fez com dedicação. Quando relaxei as pernas, Amanda limpou com dedo os lábios de onde corria um pouco de porra (como tinha classe aquela puta!) e ficou aguardando, oferecendo um beijo que Maria Rejane aceitou e as duas trocaram minha porra entre suas bocas. Depois minha mulher pagou Amanda conforme havia combinado lá dentro. Em seguida beijou-me longamente na boca, quando ainda pude sentir um pouco do gosto da minha porra e mandou eu me recompor e me disse, enquanto saiamos:

- Agora podemos nos separar tranqüilos, estamos quites! – Achei engraçado, apesar de não corresponder aos fatos, durante nossos anos de casados ela aproveitou muito mais do que eu...


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive mauricio222 a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.

Online porn video at mobile phone


negao rasgando com o cu da brasileira ela chorando e critando bedindo papa papanovinha nao. greta psu grande. choracontos eróticos de doutor advogado e clientesogra ver o pau genrro nao recisti pornodoidoflagrei minha tia dormindo de sorte largo pornodei rivotril pra minha esposa e comi o cu dela contos"mete só um pouquinho"zoofilia buceta de cadela no pal grande do safadovideos violentos de homens estrupando mulher a forsapornoRelatoa erodico de geyse arruda contando como.perdeu a vingidade do.buceta e do.cuzinhoconto erotico madame submissame empreste magrinha abrindo a b***** com pau enorme do negãodescabaçada pelo primo relatafoto porno de babalu montada no cavalovidios porno mae dilinhocontos eroticosinha mulher viu eu dando o cuo preço de um jato de gozo no meus peitos estão de sacanagem comigoXvideos Resadeirainara puta dando pro sogroair tira o pau do cu dela , ela vai caga pornocontos eroticostranzei com uma de 17 aninhoscumendo cu da assistente social do capsmulhe de xotinho setada mostrando a beradinha da bucetaxvideo magrinha com destão de buçeta dando gostozoConto gay - "fodido por um tritão"fedemo com 1minutomenorzinha.esguinchando.muito na.rolavi minlha irma crenye no banlhero porrno safadoNovinha excitidacontos eiroticos leilaporncontos de gozadas nas bundas grande de coroasconto de safada esandalosa tarada por pica no cu manda mete fode me arromba mete mais que eu quero mconto erotico gay meu dono dei meu cu de presente de aniversariocontos de sexo depilando a sograpornor doido batendo poleta na varanda sexodotado pega novihna e fas ela chorar mad aguentaS-&-w- Casa Dos Contostia gostoza peituda seta no colo do sobrinho vigem deixa loucogosando no rabo da madura e deixa o cacete dentro ate sae toda porraconto um mulato superdotado para minha esposinha branquinha e magrinha b*******c.erotico diferente no apartamento 703vidios de cachorro pauzudo emgatado nas novinhas ate o taloacariciando a b******** da indiazinha dormindocomendo o meninos da igreja contos gayscomendo traveco na casa abandonadaAs panteras tia viuva na picina seduz. subrinhowwwxxvideo filhinha muito tempo sem gozarloria magria rosando napicaestragaram#calcinharosaporno filme grande que demore😉😉nó do cachorro incha zoofilia dicasum fingidor me chupou o pau do filhoarebentandocu velinhasporno ele e louco pra fuder a tia " depois de tantas punheitas ela deixa fodercontos eroticos sobrinha novinha peidando de tensaocorno covarde chorãocomo cosegui zap de gay velho de 50 anomtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1negao que empurrou quarentta sentimetro na magrelasedusundo indiscretamentefogosa nuonibufudeno uma ninfeta muito gostosa porbodoidocontos erótico velho dedilhando a bucetinha Galaxia no cacete todinho dentro da b***** da mulherBucetao agoentando pintao no xvidioContos eroticos seios machucados tio sobrinhacontos eróticos representadostravesti estuprado por dois pornodoidseduzida por um estranho contos pornoxvideos so12aninhoscontos/vi minha tia no puteiroContos eroticos socaram a rola na buceta da minha esposa e a engravidaraoconto erotico velha casada banca negao pirocudocasadoscontos tio gilson seminarista entilhada nao resti opadasto tomano banho di pau duro I trazol comelesexo novinha inocente fez contrato mais nao sabia que ia transar com um pirocudo e fica assustadaContos eróticos teens pai vendo q a rola do filho estava bem grandinha conto gayporno caseiro coroa de brusos levando forte e gemendo gosyosopadrasto dotado tentando fura cuzinho da intisda novinha dormindovidio de homem fosando a mulher a bebe a gosma dele pornodoidohome. bateno. earola no. cu. delavidios de mulheres tranzando com caes trenados pr fuder elas no youtubecontos eroticos entre jovens irmaos gemeosprovoquei mei filho e ele me fodeu bem gostosoconto casada chantageada pelo senhorioadorocuzinho cabacominha esposa e seus negoes comedores contoscontos nudismo la encasa e normalcontos pediu pra ver minha esposa peladarebola. simone. pra. mim. gosa. jatou. de. pau. duropadrasto brinca de fazer cosega na enteada e come elaconto erotico gay vovo deu leite pro netinho